Dicas de marketing para empreendedores e pequenos negócios

Dicas de marketing para empreendedores e pequenos negócios. Fonte: www.cintiacosta.com

Vocês sabem que eu sou confeiteira, mas o que nem todos sabem é que eu também sou especialista em marketing por profissão! Além de ter um MBA em Marketing Digital, trabalhei 10 anos em publicidade antes de entrar para o mundo dos bolos. E esse meu conhecimento foi fundamental para deslanchar meu negócio e tem sido super importante para ele crescer.

Vejo muitos empreendedores que tem produtos e serviços incríveis, mas um marketing fraco, e por isso acabam ficando em desvantagem em relação aos concorrentes e deixam de aproveitar todo o seu potencial.

Por isso, venho aqui compartilhar com vocês algumas dicas de marketing para pequenos negócios e empreendedores que podem te ajudar a vender mais e melhor. São dicas básicas, talvez você ache algumas até bobas, mas podem fazer uma mega diferença no seu negócio.

  • Crie uma marca

Seja lá o que você vende, o primeiro passo de comunicação é envelopar isso numa marca. Isso significa ter um nome, um logo, uma forma de as pessoas identificarem com quem estão fazendo negócio. Mas, mais que isso, sua marca é a forma como você escreve, como apresenta suas fotos, como gostaria de ser percebido pelo público. Sua marca é mais chique ou mais descolada? Quer ser percebida como uma marca econômica (“o melhor preço do mercado”), ou de repente como uma marca de produtos raros e únicos? Não existe resposta certa, existem nichos diferentes no mercado, pessoas interessadas em coisas diferentes. Entenda como você quer ser percebido e comunique isso com sua marca.

Se não rolar de contratar uma pessoa ou empresa para esse processo, bote sua criatividade para funcionar! Você pode pesquisar sobre construção de marca/branding para entender melhor esse processo, ter ideias e se aprofundar, e aplicativos como Canva podem te ajudar com a identidade visual.

  • Divulgue seu negócio para seus amigos e familiares

Seja no começo do seu negócio ou em tempos em que você precisa de uma força, fale sobre seu negócio com amigos e familiares. Ninguém quer ser o chato que força amizade, eu sei… Mas a sua rede de contatos direto é um público fundamental, porque é formado por pessoas que querem ver você crescer e dar certo, então são os primeiros a te incentivar, contratar e indicar para os contatos deles, começando a bola de neve do boca-a-boca. Eles também podem ser os primeiros a te dar um toque sobre algo que não está legal, te dando a oportunidade de melhorar.

Mas, para isso, eles precisam saber o que você faz! Poste nas suas redes sociais, divulgue a sua marca, seus produtos e serviços. Peça para curtirem, divulgarem, te darem opiniões sinceras… Ajude-os a te ajudar!

  • Crie perfis da sua marca nas redes sociais (separadas dos pessoais)

É super importante que sua marca tenha uma boa presença nas redes sociais separadas dos seus perfis pessoais. Para quem trabalha com bolos e doces, como eu, as principais redes para estar são o Instagram (que tem foco no visual, para encantar os clientes e fazê-los comerem suas delícias com os olhos) e o Facebook (onde estão os milhões de grupos em que as pessoas pedem indicação de doceiros).

Muita gente, quando começa um novo negócio informal, de casa mesmo, acaba usando apenas as próprias redes sociais para se divulgar. Mas, para passar uma imagem profissional para o público que ainda não te conhece, é importante ter perfis profissionais, onde a pessoa encontra fotos e informações sobre seus produtos e serviços, sem misturar com fotos dos filhos, das férias, das plantas… Isso também evita que você perca clientes por questões de opiniões pessoais, políticas, religiosas que possa ter postado nas suas redes pessoais. Separe as coisas!

  • Fotos lindas, informações claras

Não dá para falar em marketing sem falar em imagem… É pelos olhos que chamamos a atenção das pessoas na internet. Invista em fotos maravilhosas dos seus produtos ou que demonstrem seu serviço. Use fotos reais e suas e ajude seus clientes em potencial a entender visualmente o que estão comprando com você (e não criarem uma expectativa irreal com fotos de bancos de imagens da internet). Você pode contratar profissionais para te ajudar nisso, mas quem quiser se aventurar encontra muitas dicas bacanas na internet, como estas dicas de como fotografar seus produtos.

  • Apresentação e imagem

Se você vende produtos, preste atenção na apresentação do que você entrega. A embalagem, por exemplo, é super importante. Uma embalagem que passa uma imagem de descuido pode prejudicar a primeira impressão que seu cliente tem do seu produto e impactar negativamente a percepção de valor. Demonstre cuidado, carinho e capricho na forma como você entrega!

Caso você venda serviços, isso vale para todo o material que você passa para o cliente. Um orçamento rabiscado num papel, ou jogado no corpo do e-mail ou numa mensagem de inbox não passa uma imagem tão profissional quanto um PDF com marca d’água e as informações organizadas, por exemplo.

Considere a imagem que quer passar também na hora de fazer um cartão de visitas, de escolher a roupa com que vai visitar o cliente etc. Imagem é fundamental em vendas!

  • Facilite e organize o atendimento

Como você vai atender as pessoas? Telefone, whatsapp, inbox do Facebook e Instagram, e-mail… No começo, abra todas as portas para entender quais são os canais preferidos pelos clientes, por onde eles querem falar com você. Se a gente restringe os canais, pode perder clientes sem nem saber porquê!

Porém, é importante você se organizar para conseguir dar conta do atendimento. Nada frustra mais um cliente em potencial que mandar uma mensagem e ficar sem resposta. Parece que o negócio está abandonado… Essa é uma das minhas maiores dificuldades, confesso.. preciso constantemente me policiar para fazer a “ronda”. Eu também priorizei alguns canais e, nos demais, configurei uma mensagem automática direcionando para os principais.

Outra coisa que facilita é fazer um documento como os scripts de SAC, um Word com as principais respostas para as principais perguntas dos clientes. Esse documento de apoio é uma mão na roda para você poder responder centenas de mensagens de clientes, uma a uma, sempre, mas sem precisar digitar tudo, toda vez.

Seja atencioso nos detalhes. Releia o nome da pessoa antes de responder (errar o nome do cliente é uó, gente!); antes de apertar “enviar”, veja se respondeu a todas as perguntas que o cliente te fez; tenha um controle com todas as informações do que foi combinado para evitar mal-entendidos e erros…

  • Peça feedback

Inventive e esteja aberto a feedbacks! Saber o que o cliente achou, do atendimento ao consumo, é importantíssimo. Não é fácil ouvir críticas, mas é preciso engolir o orgulho e ouvir de coração aberto. Assim, você descobre seus pontos fracos e tem a oportunidade de melhorar, corrigir, reconquistar clientes não tão satisfeitos e fidelizar os que gostaram. Se você não ouve críticas, as pessoas deixam de comprar com você e você não sabe o que fazer para trazê-los de volta!

Já as críticas positivas te ajudam a entender qual é seu ponto forte e, o mais importante: qual aspecto do seu produto ou serviço seus clientes mais valorizam. Isso pode trazer insights poderosos para você decidir o que quer comunicar nas suas publicidades e atingir novos clientes (tipo flyer, links patrocinados etc. Isso fica para um próximo post!).

  • Arrase no pós-venda

O mercado brasileiro é muito deficiente no atendimento pós-venda. Pense aí: como foi a sua experiência da última vez em que não ficou satisfeito com algo que comprou ou um serviço que contratou? Dificuldade na troca, descaso do fornecedor em ouvir o que aconteceu e até brigas com gente que se recusa a resolver seu problema são alguns dos cenários comuns.

Olhando pelo lado positivo, isso significa que, se você fizer um bom pós-venda, terá vantagem competitiva em relação aos concorrentes e dará um passo importantíssimo na fidelização. Minha filosofia de pós-venda em casos de insatisfação, de uma forma resumida, seria: o que posso fazer para trocar a sensação do consumidor de “me dei mal” para “me dei bem”? Você não pode desfazer uma experiência ruim do seu cliente, mas pode melhorar a situação, oferecer algum benefício. Só o fato de demonstrar essa preocupação já é o suficiente para alguns.

Bom, este é um mini-manual bem básico, mas que espero que ajude vocês a terem uma visão melhor de como um bom marketing pode alavancar seu negócio. Tem dúvidas? Deixem nos comentários! Boas vendas!

Back to Top