Recém-casados morando no exterior

Camila e Ériko em Portugal
Camila e Ériko em Portugal

Muitos amigos meus fizeram isso: casaram e foram morar fora, pra estudar. Por isso, quando a leitora Camila de Araújo me mandou um e-mail essa semana me contando sua história, senti como se já nos conhecêssemos.

Ela e o Ériko, seu marido, estavam casados há 1 ano quando decidiram ir para Portugal, fazer doutorado por seis meses. Fecharam o apartamento em que moravam desde 2008, deixaram as chaves com a mãe dela e uma amiga e embarcaram para lá.

“Apesar de estarmos em um apartamento legal, espaçoso e equipado, não é a nossa casa…”, conta Camila com saudade de seu cantinho no Brasil. “Às vezes não damos conta do quanto realmente amamos nossa casinha, nosso cantinho (e nossos pequenos detalhes de individualidade).” Ela conta que uma vez por mês, uma amiga sua visita o apartamento antigo para ver se está tudo bem e pegar a correspondência. As contas, ela paga lá de Portugal, pela internet.

Apartamento em Portugal
Apartamento em Portugal

Se por um lado estão adorando a experiência (que é um baita investimento na carreira dos dois), por outro sentem falta da família e dos amigos.

“Uma coisa boa de morar longe é que não sofremos intromissões familiares… Mas também não recebemos o carinho presencial deles”

E o que a experiência tem ensinado a esse jovem casal? “Um pré-requisito para um casal que vai morar longe de todos os familiares e amigos é se bastar. Aqui, longe da presença física de todos os familiares e dos amigos, deu para perceber como é importante o companherismo e a partilha de tudo”.

“Aqui fazemos concessões (até quase sem perceber) quase todo o tempo, afinal não temos para “onde fugir”. Sou só eu e ele. Eu, que odeio futebol, faço companhia para ele na hora do jogo. Assim como ele quer saber de tudo o que se passa comigo, em termos de sentimentos e percepção, mesmo nos piores dias do mês. Fazemos sempre questão de algum “mimo” um para o outro, nem que seja um chocolatinho em um momento inesperado.

Agora eu percebo, mais do que nunca, do quanto amo meu marido e que a melhor coisa que fizemos foi casar.”
Muito bacana a história deles, né? Camila e Ériko, espero que vocês aproveitem ao máximo a viagem e que façam muita festa com amigos e familiares quando voltarem!
Quem quiser, pode acompanhar a trajetória deles pelo blog Vivendo no Porto.
Se você também quer compartilhar com outros casais sua história de recém-casados, mande um e-mail pra pmcasamento@gmail.com.
Só um lembrete: vocês chegaram a ver as receitas de sopa de ervilha com bacon e Escondidinho de carne moída e purê cremoso de batatas.

13 thoughts on “Recém-casados morando no exterior

  1. Oi, Cíntia!
    Achei interessante você abordar esse assunto no blog, pois, hoje em dia, é cada vez mais comum os recém-casados irem morar longe de suas famílias, seus amigos, de sua terra natal enfim.
    Eu sou um exemplo. Não mudei de país, mas de estado. Como a Camila falou, existem os dois lados. O bom é que não há as temidas intromissões familiares e sobra mais tempo pra curtir a vidinha a dois. O ruim é que não participamos das reuniões, festas, batizados, casamentos, formaturas, nascimentos… E também quando vamos visitar os familiares, sempre rola aquele ciuminho bobo, disputa, normal de quem sente saudade, né? Mas é isso aí. É só ter jogo de cintura!
    Beijos!! =)

  2. gentennnnn, eu to no blog da Cintia! rsrsrsrsrs.
    Mas voltando a falar sério… a Talita comentou acima sobre mudança de estado no Brasil, dependendo do estado, eu creio que é quase como mudar de país também, afinal o Brasil é tão grande, com culturas tão diferentes. Mas como ela mesmo disse, o negócio é ter jogo de cintura.
    Cintia, eu e meu marido agradecemos o carinho, viu? (O Érico ainda não viu este post, vai ser surpresa pra ele, rsrsrsrs).
    Estamos longe, mas “estamos aí” para o que for preciso. 🙂
    Beijão

  3. Adorei esse relato diferente do que tô acostumada a escutar/ler. Adorei ainda mais o blog dela. Tem dicas, curiosidades e relato bem legais de um lugar que parece tão igual, mas acaba sendo diferente!

  4. Otima abordagem mesmo…
    Eu tenho uma cliente e agora amiga, ela esta na Califórinia e esta preparando tudo para o seu casamento de lá. E após se casarem eles voltarão para exterior. Na verdade comentei sobre ela, pois ela tem um relacionamento tão bonito com a mãe que mesmo a distância elas são mais próximas que nunca. Se falam sempre, dividem as coisas boas desta fase , uma sempre pede ou dá conselhos. São umas gracinhas…Ai fica mais fácil ter esse jogo de cintura pra outras situações ao lado da pessoa que te apoia e cresce com você.
    Parabén Camila e Erico pelas consquistas.

  5. Oi Cintia,

    Acabei de encontrar seu blog e dei , de cara,com esse post. rsrs
    Me identifiquei muito porque a minha vida e as minhas sensaçooes sao similares às da Camila e Thalita…
    Vim estudar na Italia e conheci o meu marido. Nos casamos e moramos em Roma.
    No inicio, eu tambem nao me sentia como se estivesse em casa, por causa da imensa saudade do Brasil. Mas agora ja estou acostumada 🙂
    Apesar da distancia, estou super proxima de minha mae. O que da saudade mesmo é daquele abraço apertado, é de fazer “aquela ligacao” dizendo: ” Ta em casa? Vou passar ai depois do trabalho…”
    Mas graças a Deus, o mundo Cybernetico encurta esses 10.000 Km de distancia! rsrsrs
    Como a Thalita falou, é que temos que ter muito jogo de cintura porque muitas vezes rola um ciuminho bobo entre os parentes e aguns amigos.
    Ops! acabei de chegar e ja estou escrevendo muito! kkkk
    Mas nacntive pois o su blog esta muito lindo!
    Parabens!
    Um beijo,
    Margot

  6. Cintia!! Acabei de descobrir seu blog! To praticamente terminando de ler o conteúdo todo numa tacada só! 🙂 me identifiquei muito com esse post! Quando estava ha 2 meses pra casar e arquiteto pronto pra quebrar parede no nosso apê novo, o Rafael recebeu uma proposta de trabalho em Londres! (panico!!!) Principalmente pros pais e amigos mais proximos! De quebra consegui ser transferida tb…e ha menos de 1 mês pro casamento os dois tinham emprego garantido! Confusão mental, dor no coração, dó de todo aquele
    enxoval que nao mudaria com a gente e de nao mudar pro apê q demoramos tanto pra achar! O dia do casamento foi de felicidade extrema, mas terminou com choro em massa na pista da festa! Afinal, casamos num sábado e no dia seguinte as malas nao eram pra lua de mel! Eram 8 malas gigantes e estávamos Mudando pra Londres!!!! Estamos aqui há 1 ano e 5 meses e nao conhecemos outra vida de casados! Nao sabemos o que é a vida com sogro, sogra e pais…nao sabemos o que é ter o dia de sair com os amigos! Fazemos TUDO juntos! Nao estou reclamando viu?? Parece uma eterna lua de mel! Mas de fato uma experiência muito doida! Que mexe comigo todos os dias! Ah e o futuro…ninguém sabe onde! :)) Bjus!! (desculpa o livro :/)

  7. Olá meninas, eu e meu noivo vamos casar e estamos interessados em morar em outro país. Eu sou brasileira e ele árabe, eu trabalho com moda já tive atelier e ele é medico anestesista e empresário. Estamos pensando em Canadá, Austrália ou Nova Zelandia , o que vcs acham? Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top