Divórcio e separação: um bate papo com o canal Segue o Baile.

Divórcio: a pior experiência que vivi e a melhor coisa que me aconteceu

Participei de dois vídeos muito bacanas no canal Segue o Baile falando sobre como o divórcio foi a pior experiência que vivi e a melhor coisa que me aconteceu. Vem ver como foi o bate-papo!

Divorciar foi uma experiência muito forte na minha vida. Me pegou de surpresa, me deixou sem chão e foi muito duro. Mas também me libertou de um casamento ruim, me deu uma chance forçada de recomeçar, me ajudou a trabalhar no amor próprio e permitiu que eu sobrevivesse para descobrir que o amor da minha vida estava me esperando depois da tempestade. Quem aí passou por isso e quer compartilhar sua história?

Leia também: 9 Coisas Que Você Sente Quando Passa Por Um Divórcio

2 ideias sobre “Divórcio: a pior experiência que vivi e a melhor coisa que me aconteceu

  1. Silvia Souza

    Olá Cíntia! Obrigada por compartilhar sua inspiradora experiência. Acompanho sua trajetória desde 2007. A vida é engraçada mesmo, pois nós planejamos tanto, mas no fim descobrimos que casamento não tem receita ou manual para a felicidade. No vídeo você comentou que hoje sabe o que não quer. Pode falar um pouquinho sobre isso? Quais são bases do seu atual relacionamento?

    Responder
    1. Cíntia Costa Autor do post

      Oi, Silvia! Que legal que você é das leitoras de longa data, fico feliz que continue a me acompanhar!

      Fiquei um tempão pensando em qual é a resposta para sua pergunta… Eu acho que mudei muito a minha visão de relacionamento. Hoje em dia, por exemplo, acho inadmissível uma relação em que a outra pessoa não me trate com carinho e afeto. Parece tão óbvio, mas na intimidade sei que muita gente passa por isso: marido que não faz um mimo, não quer saber de nada romântico, não elogia, não diz um “te amo” se você não apertar… Que mais parece um parente qualquer que marido, sabe?
      Outra coisa que hoje é fundamental para mim é transparência e conversa. Se fico chateada, não gostei de algo, senti falta de algo, converso. Exijo o mesmo: nada de ficar com “é difícil falar de sentimentos pra mim”. É difícil pra todo mundo, mas tem que falar. Porque aí você descobre a raiz dos problemas e podem resolver juntos, em vez de ficar deixando acumular, deixar chegar no ponto que a outra pessoa se irrita com tudo que você faz ou deixa de fazer e você nem sabe porque (nem ela sabe explicar) e vice-versa. Quem tem medo de conversar não funciona pra mim…
      Por fim, hoje eu não penso mais em “até que a morte nos separe”. Eu acredito que um relacionamento que dá certo é aquele em que as pessoas estão juntas porque querem e se gostam hoje, e não porque algum dia prometeram isso ou assinaram um papel. A gente não precisa ter medo de términos, tem que ter medo é de ficar preso numa relação ruim…
      Isso tudo tem funcionado super bem pra mim! Eu e meu namorado temos uma convivência super delícia, moramos juntos faz uns 2 anos, temos expectativas bem alinhadas, temos espaço para elogiar e criticar, pedir mais chamego ou mais espaço etc. Ele me aceita do jeitinho que sou e eu a ele, sem querer mudar um ao outro, nem querer forçar nosso jeito no outro. Ele acorda cedinho, eu demoro pra levantar… Então ele faz café e me traz na cama quase todo dia. Eu me preocupo se ele está trabalhando demais e descansando o suficiente e tento entender o que o preocupa, como posso ajudar, sem porém exigir que ele faça algo diferente do que quer fazer. A gente se respeita muito…

      Acho que é isso! Um beijão!!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *