9 coisas que você sente quando passa por um divórcio

Solidão.

Comecei a assistir Grace and Frankie e já chorei e ri mil vezes. A série, que fala da vida de duas senhoras cujos maridos pedem divórcio para viverem um romance entre si, me fez reviver muitos momentos e sentimentos em relação à minha própria separação. Resolvi compartilhar, porque imagino que possa ter alguém por aí passando pelo mesmo….

1. Desespero

O primeiro sentimento que me bateu assim que a decisão de separar foi tomada foi o de perder o chão. Por anos e anos, aquele casamento foi a coisa mais importante da minha vida. Tudo gravitava ao redor da família que tínhamos criado. E então, acabou. E agora, José? Eu não tinha plano B…

2. Medo

Aí vem o medo. Começam as perguntas: como vai ser minha vida? Onde vou morar? Qual vai ser minha rotina? Será que vou me sentir terrivelmente solitária toda noite? Quem ainda vai ser meu amigo e quem vai escolher ser amigo só dele? Como vai ser o próximo natal? Como vai ser voltar a ser solteira? No momento da decisão, nada disso tem resposta. E dá muito medo dessa vida desconhecida que começa sem pedir licença. Também dá medo da reação das pessoas. Como é que vou explicar pra minha família? O que as pessoas vão falar? Será que alguém vai me tratar mal? Adoraria dizer que não ligo pro que pensem de mim, mas a verdade é que me atinge, sim, e a expectativa de como eu iria ser percebida pelos outros me deixou ansiosa. Muita gente reagiu de uma maneira acolhedora e compreensiva, mas encontrei alguns sem noção pelo caminho, desses que falam a coisa errada, e foi realmente ruim ter que lidar com isso num momento tão frágil.

3. Tristeza

Bate também um luto. Não importa quem pediu o divórcio, se vocês terminaram bem ou não, se você acha que foi uma decisão acertada ou não; existe uma lamentação profunda por um amor, uma relação que um dia foi linda, e que morreu. A gente fica de luto mesmo… Todo fim de uma história de amor é triste.

4. Raiva

Aí dá raiva. Do outro, de tudo que a gente acha que ele fez de errado ou deixou de fazer. Mas depois vem a raiva de nós mesmos. Como é que eu deixei chegar a este ponto? Como não percebi antes? Por que não percebi na época do namoro, pra evitar isso tudo? O que é que eu fiz da minha vida?? Como fui me colocar nessa situação? Raiva de todo mundo que vem com aquelas fórmulas de como fazer um casamento durar pra sempre, que faz a gente se sentir uns fracassados (e que não tem a menor idéia do que se passou no seu casamento pra querer falar que nós que fizemos errado). Raiva do acaso, das coisas que os anos mudaram em cada um e que contribuíram para o fim da relação. Raiva de ter que passar por um momento baixo astral.

5. Deslocamento

Foram quase 10 anos sendo um casal. De repente, sobra um lugar na mesa do jantar com a família. Você não tem mais “lado” na cama. Você se sente deslocada nos programas com muitos casais… Mas tampouco se sente à vontade em programas de solteiros. É um período de transição que envolve bastante a sensação de deslocamento…

6. Cansaço

Muita coisa muda na nossa vida com uma separação. Além de todas as mudanças, e do esforço enorme que a gente faz para se adaptar à nova realidade e de ter que lidar com esse monte de sentimentos, ainda tem os sentimentos das pessoas próximas e queridas, que nem sempre ajudam, e muitas vezes colocam mais peso nas nossas costas. E aí a gente percebe um dia que está exausta. Exausta de chorar, de sentir tristeza, de contar a mesma notícia mil vezes, de tudo. Tem dias que só sofá, pijama, Netflix e cerveja salvam.

7. Esperança

Bom, em algum momento depois do choque inicial e dos dias mais escuros, chega a hora da esperança. A gente percebe que o mundo não acabou, que a gente não morreu e que o show continuou. A gente descobre que há vida depois do divórcio. Que nossa vida não era só o casamento, como pensávamos, mas que está cheia de pessoas que nos amam. Não era mais esposa de alguém, mas era filha, irmã, tia, sobrinha, funcionária, blogueira, vizinha, amiga, conhecida… Família e amigos mostram o papel fundamental que tem na vida da gente e nos dão amor, apoio, ombro, colo, casa, comida, companhia pro cinema. A gente se aproxima de pessoas que passaram pela mesma coisa que a gente e descobre que é possível refazer a vida, que é normal sentir isso tudo, mas que depois da chuva, costuma vir o sol e que o choro não dura pra sempre.

8. Liberdade

Um pouco menos arrasados, a gente percebe também a liberdade que o divórcio traz. Tem as pequenas liberdades, como poder voltar a fazer coisas que tínhamos deixado de lado porque irritava o outro. Deixar o sapato jogado na sala, comprar algo supérfluo e caro sem precisar consultar o outro, sair sem dar satisfação nem ter hora pra voltar. Mas tem uma liberdade mais profunda e significante: nos vemos livres das mesmas brigas de sempre, das mesmas preocupações de sempre. Quando casados, tentamos fazer de tudo para que o relacionamento dê certo, e isso não é fácil. Separação nunca é a primeira opção e a gente luta com todas as forças para ficar junto. Mas, uma vez que o casamento acaba, acaba também esse peso, essa luta. É uma leveza…

9. Gratidão

Pode parecer clichê, mas a verdade é que dá, sim, um sentimento de gratidão. Por tudo de bom que foi vivido juntos, quando o relacionamento ainda era bom, e também pelo término de algo que não fazia mais bem pra ninguém. Hoje, olho pra trás e reconheço muita coisa boa que o casamento me proporcionou. Especialmente depois de alguns meses separada, depois de ter vivido novas boas experiências, me sinto ainda mais grata. Claro que isso não apaga todo o resto dos sentimentos, e que tenho um longo caminho até o dia em que essa experiência não machuque mais, mas é bom ter gratidão no meio pra equilibrar a maré da bad vibe.

Quem aí estiver passando por um momento difícil de separação e quiser compartilhar, fiquem à vontade aí nos comentários <3

Foto: daqui.

30 ideias sobre “9 coisas que você sente quando passa por um divórcio

  1. Amanda

    Extremamente bem definido o divorcio. Quem me ajudou muito na época foi a Deh Bortoleti que foi o meu anjo. Depois do divorcio a minha vida mudou 360 graus para melhor. Nunca deixou de doer, e como a própria Deh disse não vai deixar, apenas outras coisas serão muito mais importantes. Hoje apos 4 anos estou feliz, com uma vida linda e noiva de novo hahahaha ha sempre a esperança do final feliz <3

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Amanda, a Deh é uma querida mesmo, né? Ela foi uma dessas pessoas que me ajudaram muito. Até porque, numa época em que todo mundo só conseguia dizer que sentia muito, só quem é separada olha no nosso olho e fala “acredite, sua vida vai mudar pra muito melhor” <3.

      Responder
  2. Silas Augusto Costa

    Cintinha , nunca esqueça que vc sempre foi e sempre será querida por nós e por todos ao seu redor, feliz por vc ser como vc é, sua tristeza é nossa tristeza e sua alegria é nossa alegria e lembre-se O choro pode durar uma noite mas a alegria vem ao amanhecer, te amamossssssssssssssssss f

    Responder
  3. Rosana Drubi

    Perfeito Cíntia! Mais triste que isso é ter 3 filhos pequenos no momento da separaçao!!! Mas um dia você se cura da dor; decide que fez o que era certo e segue em paz com sua escolha. Grande abraço solidário da amiga Rosana.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Ai, Rosana, nem imagino o que v deve ter passado! Mas hoje olho sua família linda e tenho certeza de que é possível ser feliz e reconstruir a vida!! Um abraço apertado de volta!!

      Responder
  4. Brown

    A gratidão é clichê sim, para aqueles que não passaram por uma perda de alguém que em algum momento amamos, ou aqueles que ainda não passaram por todos os passos necessários para se ver a vida sob sua nova ótica. Um belo dia, quando a poeira do mundo se assenta ao seu redor, você percebe que você se tornou alguém melhor, que tantas conquistas pessoais só foram possíveis porque você tinha aquela pessoa te dando apoio ou te criticando. Vocês fizeram coisas, um pelo outro que, sozinhos, jamais teriam feito e por isso tiveram experiências únicas que moldaram seu futuro de um jeito ou de outro.
    Para aqueles que não chegaram ainda a sentir a gratidão por tudo que viveram, deixo um ditado que não parece encaixar no contexto, mas que algum dia, garanto fará sentido; Vão se os anéis e ficam os dedos.

    Responder
  5. Adriana Iwanczuk

    Obrigada pelo maravilhodo texto !
    O assunto divorcio virou um grande tema em minha vida porque ñ so senti toda e cada uma dessas coisas que vc escreveu mas ainda ñ sou oficialmente divorciada porque meu ex simplesmente ñ assinou nem deu as caras pra isso e pela lei Argentina tenho que esperar . Por sorte o tempo voa e ja vou poder me divorciar sozinha .
    Mas o lance e que passado tudo isso me dou conta o quanto esse sofrimento me fez crescer e destravar coisas que estavam mal resolvidad no meu sistema familiar . Ñ e facil o divorcio tanto que tem todo esse desdobramento mas o divorcio chega a sua vida como tragedia para “iluminar” algo que esta mal resolvido no seu sistema familiar . Aconselho que com um texto tao maravilhoso desses vc leia bert hellinger e aprenda sobre as constelacoes familiares .
    E nunca pensei que ia chegar a esse estagio de gratidao que estou agora mas a verdade e que minha “tragedia” transformou minha vida e me colocou nos trilhos certos !
    Obrigada por sua generosidade , ate mandei pro meu ex pra ver se ele se ilumina coitado . Beijossss

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Adriana! Que dureza, quando tem essas complicações, né? :(. Mas espero que logo, logo tudo se resolva por aí. E você tem razão: em geral, o divórcio vira uma oportunidade para a gente repensar muita coisa importante… Beijos!

      Responder
  6. Babi

    Não esqueço do dia que li seu email falando sobre o divórcio. Lembro de ter comentado com a Ju Ricci o quanto isso devia estar sendo difícil pra vc e do quanto seria importante estarmos por perto pra te apoiar.
    Feliz que vc entendeu que a vida segue e que outras muitas oportunidades e amores ainda estão por vir.
    A minha separação (do primeiro casamento) aconteceu há muuuuitos anos. Não houve divórcio pq não casamos no papel, mas o término foi dolorido e demoramos muito tempo pra sair de vez da vida um do outro. Hoje, somos amigos, nos falamos com alguma regularidade e sabemos que somos quem somos muito por causa do que vivemos. E é bonito isso 🙂

    Responder
  7. Bianca

    Cíntia, não te conheço pessoalmente mas acompanhei sua história de longe desde antes de você casar até agora. Fico muito triste por você, toda separação é uma ruptura que dói muito, mas ao mesmo tempo, fico feliz por ver você bem (na medida em que isso te é possível hoje ;] ). Vi isso de perto com a separação dos meus pais e você está certíssima: as coisas irão melhorar 🙂
    Como minha mãe mesma me ensinou, nada nessa vida acontece por acaso e sem um motivo, se o dia hoje é de lágrimas, amanhã será de sorrisos.

    Muita força e felicidade para você no seu novo capítulo!

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Bianca, muito obrigada pelo carinho (e por me acompanhar todos estes anos! <3). Beijo rpa vc e sua mãe!

      Responder
  8. Paula Maria

    Daí que eu estou pra casar e venho ler um post desses, rs.
    O “engraçado” é que o texto não é desanimador, muito pelo contrário. Dá um sacolejo pra gente ficar atenta que existimos para além do casal, ainda que a decisão de estar junto com alguém seja um mega desafio, o desafio maior é não perder-se de si mesmo.

    Siga em frente e cuide sempre de vc. pra sempre! Pq o casamento consigo mesma é mais difícil do que parece…

    Responder
  9. Alice

    Cintia, muito obrigada por compartilhar um texto sensível, cheio de sentimentos e esperanças pra gente. Te acompanho desde a época do planejamento do casamento, eu estava preparando o meu na mesma época. Casei em 2009, depois nunca mais acessei blogs sobre o assunto, e faz um mês que comecei a pesquisar que blog era aquele que eu acessava de uma meninas de São Paulo e que eu gostava muito. Cheguei no “Planejando meu Casamento” mas não tinha certeza se era o mesmo, pq o visual era outro e outras pessoas também escreviam. Fui no histórico e comecei a ler e vi que era o blog que buscava. Depois cheguei ao post que você falava sobre seu divórcio. Senti muito. É estranho não conhece-la, nunca ter comentado no blog, mas sentir de verdade uma tristeza em relação ao momento que vc descreveu. E depois senti por mim. Por estar vivendo um momento muito dificil no meu casamento, aquele que fui muito feliz e sempre lutei, e que hoje me desanima e não me deixa feliz.
    Muito obrigada por compartilhar algo tão íntimo, sua as palavras são reais e me dá esperança, que independente do que aconteça é possível ser feliz, é possível suportar os pesos que colocamos e que os outros colocam na gente, mesmo sem querer. Te desejo muita alegria, encontro consigo mesma e amor!

    Responder
  10. Maria Lucia Gontijo

    Olá, Cíntia. Acompanhava seu blog, recém casada, casamos na mesma época e como ele me ajudou. O acessava quase que diariamente e me sentia sua amiga. Os anos se passaram…, não acessei seu blog mais…enfim, até que me vejo seus tuítes e lembrei de você. Resolvi dá uma vasculhada para saber o que estava arrumando. 1- te achei ainda mais bonita/ 2- Li sobre a separação. Não passei por isso, então nem posso falar que imagino o que você passou, mas me colocando no seu lugar não deve ter sido nada fácil. Só espero que, hoje, depois desse turbilhão, você esteja bem e feliz. Seu novo blog ta lindo e eu só te desejo plenitude e felicidade em qualquer decisão. Estranho ne? Uma desconhecida de BH-MG comentar sobre algo tão íntimo de sua vida, mas ne? quem mandou bombar na internet e ter fãs? rsrs Beijos e fique bem.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Maria Lucia! Obrigada pelo comentário… É tão gostoso receber carinho assim, de pessoas que me lêem. Porque aí não é mais só eu falando com você, agora você falou comigo também :). Olha, foi difícil essa mudança, mas posso te dizer que foi pra melhor! Beijocas e espero te ver mais vezes nos comentários!! Beijos

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *