Bela

A beleza está por todos os lados. Ela não tem tamanho único e não precisa seguir regras ou se encaixar em padrões pra existir. O belo não precisa de consenso pra ser belo, que dirá do meu reconhecimento de que é belo…

Pra mim, é um exercício diário essa coisa de me despir dos meus preconceitos e aprender a ver além dos padrões de beleza aos quais estou acostumada. De aprender que grande parte da beleza de alguém está na sua atitude, na sua postura, e outra parte no fato de que gosto pessoal é uma coisa que varia de pessoa pra pessoa. Ninguém é obrigado a achar ninguém bonito, mas é questão de respeito entender que a minha opinião não define a beleza de pessoa alguma, que ninguém deve ditar o que o outro deve vestir, que cara/corpo deve ter ou que regras de “cuidados pessoais” deve seguir. E que não é meu papel ficar expressando comentários negativos sobre a aparência do outro quando não me agrada.

Eu acho comovente ver gente que ama e aceita a sua aparência mesmo estando muito distante dos padrões de beleza atuais. Como essa moça. Ela tem olhos lindos, um cabelo fantástico, um ótimo gosto para maquiagem e uma bela duma barba. É um visual chocante. Não é comum ver esse conjunto de feições em uma mulher. Mas, uma vez que a gente supera o choque inicial, que a gente aceita que diferente não significa pior, olha de novo pra ela. Esquece “normal” e padrões de beleza, desencana do estranhamento, deixa de lado o medo do diferente. Olha pra esse sorriso, essas legendas cheias de autoestima. Como não concordar com ela?  Ela é, mesmo, linda.

A diversidade é bela.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *