O que os homens não entendem sobre cantadas

Tradicional virada de pescoço pra checar a bunda da mulher

Tradicional virada de pescoço pra checar a bunda da mulher

Outro dia, li um post muito interessante no blog da Lola sobre cantadas de rua e machismo.

Começou com duas notícias. A primeira, de uma policial que prendeu um senhor por desacato quando ele a abordou em uma praça dizendo obscenidades. A segunda, uma moça que deu queixa na polícia e processou um rapaz por ter tentado roubar um beijo seu à força em uma van.

Entre os comentários, muita gente com aquele papo de que cantada de rua é elogio, que a mulher, no fundo, gosta de receber cantadas e que as que não recebem se sentem desvalorizadas. E que as que dizem que não gostam de cantadas estão mentindo. A maioria, homens, naturalmente.

O que os homens não entendem é o fator ameaça. O pedreiro que grita “Ô lá em casa” ou o tiozão sentado no boteco dando “Bom dia, princesa” podem parecer inofensivos, e até engraçados.

Mas quem acha engraçado é porque, provavelmente, não sabe que as mulheres têm medo.

Medo de a abordagem, que é uma invasão por si só, se tornar física. Como o dia em que um cara sentou do meu lado no ônibus e ficou passando a mão na minha perna disfarçadamente. Ou como o cara que encoxou minha amiga no metrô que nem lotado estava.

Medo que essa abordagem física vire um estupro. De que um completo estranho viole seu corpo contra sua vontade. Pra isso, basta oportunidade. Uma rua sem saída, um lugar deserto e um cara com tesão.

Nunca ficaram com o coração na boca e pernas tremendo ao se ver numa rua escura e perceber um vulto ou passos perto demais.

Pra correr o risco do estupro, a mulher não precisa ser bonita, gostosa, estar de saia curta, short colado. Basta ser mulher. Como esta senhora de 99 anos, que sofreu uma tentativa de estupro de seu neto. Como a jornalista do 60 minutes que estava no Cairo, Egito, cobrindo a revolução, e foi separada dos seus colegas (homens) pela multidão (de homens) e molestada por eles. Assim, em praça pública, à luz do sol. A violência só acabou quando um grupo de mulheres, acompanhado da polícia, a resgatou.

Você, homem, quando sai na rua à noite, fica de olho para não ser assaltado, mas não teme que alguém abra suas pernas à força e entre em você contra sua vontade. Os jornalistas que foram ao Cairo tinham medo de serem agredidos, sequestrados, mortos. Mas só as jornalistas tinham medo de serem violadas sexualmente.

Porque estupro é um crime típico do machismo. É uma violência específica contra a mulher. É para mostrar quem manda e quem é o objeto.

E o que você, rapaz de família, bom moço, que lê meu blog, tem com isso? Ora, pare de achar normal as invasões que as mulheres sofrem na rua, todo santo dia.

Chega de piadinhas sobre o corpo das mulheres do seu escritório, dos assobios na praia, da condenação das que usam roupas “provocantes”. Pare de virar o pescoço pra checar a bunda de cada mulher que passar por você. O corpo de cada uma é de cada uma, e não seu. Elas não saem de casa para serem avaliadas pelos homens.

Faça sua parte respeitando e deixando as mulheres em paz. Já é uma contribuição e tanto.

Foto: Gestualidades

Update: tem post novo falando sobre quando homens sofrem assédio e cantadas na rua.

445 ideias sobre “O que os homens não entendem sobre cantadas

    1. Um homem

      Mas vale lembrar de uma regra… só vale essa opinião se o cara for feio e pobre… se for o Caio Castro pode cantar, encoxar, passar a mão na perna

      Responder
        1. Gabriel Lima

          Qualquer um uma ova!
          Cansei de ver postagens no facebook de mulheres dizendo que se fosse um galã elas que adorariam serem assediadas. Umas até disseram que pediriam o número do celular para ligar pra o sujeito depois, outras disseram que era mais capaz de ela estuprar o cara e não o contrário, entre outras.

          Responder
          1. Elida

            E se ela quiser que seja o caio castro e daí? Adivinha só o corpo é dela e nenhum pervertido como vc tem o direito de forçar ninguém a querer.

          2. Daghar

            Ok mecher gera todos esses fatos, agora olhar? Quem sao voces pra me impedir de olhar pra onde eu quiser? Assim como o corpo eh dela, os olhos SAO MEUS! O mal eh achar que todo homem eh machista, e que toda mulher eh paranoica assim. Vivam mais suas vidas do que as dos outros!

          3. uma mulher

            então não generalize, pq pelo visto o tipo de “””mulher””” que vc está acostumado nem abriu esse post

        2. Levi Gomes Costa Junior

          A senhora não entendeu o que o rapaz que não quis revelar sua identidade quis dizer. Apesar de visivelmente esse “Um homem” apoiar a atitude dos machistas ridículos sobre a mulher ter que ser objeto, o que ele disse tem alguma verdade. Imagine o Cauã Reymond passeando pela praia quando se depara com uma garota anônima qualquer mas muito linda, e logo em seguida ele solta um “nossa como você é linda”, aparentemente nada ofensivo pois ele é o Cauã Reymond e nada mais fez do que um elogio a distâcia, mas e se fosse o João do bar que fizesse a mesma coisa? Mesmo que se fosse mais bem intencionado do que o galã em questão? Ele provavelmente seria tratado com diferença.
          Que fique bem claro que eu não falo daqueles chauvinistas masculinos, que invadem a privacidade e agridem a mulher verbalmente e até mesmo fisicamente que pra são criminosos e monstros que as vezes não tiveram oportunidade ou faltou coragem para fazer o mal, esses devem ser presos e até mortos por precaução. O que eu falo é de uma abordagem tão simples como elogiar alguém por algo como um filho que é muito bonito, uma roupa elegante e o caso em questão que é a beleza de outra pessoa,ser demonizado apenas por preconceito.

          Responder
          1. Uma mulher

            Sobre essa distinção “Cantada do João do bar” X “Cantada do Cauã Reymond”:

            Sim, faz diferença. E eu não acho que essa diferença seja motivo pra negar o argumento do post.
            Quando uma pessoa que te atrai (estou falando tanto de meninos chegando em meninas quanto de meninas chegando em meninos, sim, isso acontece) chega em você na night, no barzinho, no ônibus, onde quer que seja, não é uma situação legal? Claro que é, dur.
            Ao mesmo tempo, quando uma pessoa que NÃO te atrai chega em você, não é chato? Ok, vão ter aqueles que sentem prazer em dar toco, e vão ter aqueles que gostam quando alguém chega mesmo que não tenha interesse pelo narcisismo.

            Agora entendam, estamos falando de uma sutileza, e portanto, é difícil se fazer entender. A sutileza que negativiza essas abordagens de rua, das quais tanto reclamamos, está em um quê de invasivo. Imagine você – homem ou mulher. A autora do post deixou escapar um fato gravíssimo: estupro de homens ACONTECE, e muito, é muito grave e não tem nada a ver com homossexualidade, muito pelo contrário, tem mais a ver com heterossexualidade, mas voltemos à nossa questão… – andando pela rua, pensando na brincadeira que fará com o seu filho mais tarde, ou no paciente que acabou de atender, ou no seu almoço, ou no seu atual conflito amoroso, quando de repente, BUM, encontra um olhar de um estranho na rua te mostrando ali, no meio de todo mundo, o desejo de penetrar você. Ok, podemos pegar mais leve, pode ser um simples “Linda”, e aí? E aí que foda-se se o cara me achou linda, eu sei que é um elogio, fico lisonjeada em parecer linda para alguém, mas não se começa uma comunicação assim. Estando num local de flerte (i.e. balada), beleza. Mas andando na rua entre um compromisso e outro? Isso é situação para “Bom dia”.

            “E se o cara for bonito?”. Aproveitarei o anonimato para ser bem sincera com vocês: Ficarei bem feliz. Agora quem nunca teve um relacionamento com uma pessoa linda, MAS que era….. Significa que quando escolhemos com quem nos relacionar, pesamos vários fatores. E se um cara que me atrai me der uma cantada na rua, eu vou ficar feliz pq ele me atrai, MAS continuarei considerando sua abordagem invasiva. A invasão já aconteceu, eu não dei abertura, não pensem que a abertura já está dada porque o cara é um deus. Talvez para uma ou outra menina (e não por ser “vagabunda” como a nossa colega machista e preconceituosa disse ali em cima), mas isso não é dado, cada mulher é uma pessoa, com suas singularidades, e não uma buceta à procura de uma pica de um homem lindo.
            Então não, não fica legal para o Caio Castro sair por aí assediando as mulheres porque como ele é o Caio Castro todas tem que querer dar pra ele (porque foi isso o que vocês disseram, olha como colocando assim parece absurdo).

            Gente, é tão simples… É uma simples invasão, para umas mulheres vai ser muito grave (imagina se essa que você chamou de “gostosa” já sofreu um estupro e o seu comentário a faz reviver a violência? Eu diria que ela deve ter deixado de sair de casa), para outras nem tanto, e para outras, SIM, vai ser bom! E o quê então que torna a cantada de rua desapropriada? O fato de vocês não tomarem o cuidado de saber como que vai ser para aquela mulher específica. Então ela vira um corpo, e não mais um ser humano com suas singularidades a serem levadas em consideração.

            Então… calem a boca! Sejam gentis.

        3. Samurai

          Você pode chamá-lo de imbecil, mas será que ele pode te chamar do que penso que você é? Vai queimar sutiã sob pretexto de lutar por direitos iguais, vai, hipócrita!

          Responder
        1. Francisco

          Ora, esse post fala em contra do machismo o que eu acho bom, pois o machismo nao leva a nada, agora dizer “Tinha que ser homem pra…” aí se ja ta trazendo um preconceito á tona sendo que voce ta criticando o preconceito, isso é realmente hipócrita.

          Responder
        2. Igualdade

          Cada um é dono de seu corpo. Não importa o sexo ou cor ou raca ou qualquer coisa. E assédio é assédio.
          Mas desculpe-me, a frase “Tinha que ser homem pra falar uma merda dessas.” é muito preconceituosa, é falta de respeito e tira a igualdade que deve existir, pois a igualdade é soberana.

          Responder
          1. Provocações

            Genealogia da moral, não existe essa igualdade, e não me refiro a sexo, me refiro a pessoas – que são heterogêneas. A sexualidade ela é polarizada pois “feminino” é categoria que nasce tanto nos homens quanto nas mulheres e o masculino tb, o que acontece é que quando você vai se humanizando é levado a seguir um papel na sociedade, e é neste papel que está o modelo que se altera com as épocas. As mulheres evoluíram socialmente muito mais que os homens nos últimos tempos, e não por igualdade, “não é lama, é água e terra em suas diferenças”, evoluíram porque o ser humano tem que superar a si, um homem que inventa a si mesmo não atribui suas escolhas nem a deus nem a moral estabelecida, nem ao professor nem ao pai nem a geração passada, independente da sua historia existe um instante supremo, e nesse instante é o seu gesto que determina, não com a clareza, mas com capacidade de ler a si, rever a si, construir a si. Essa a ideia que se supera, abre a invenção de si, ta na superação.

        3. Testosterona

          Assédio é assédio, mas a mulher só dá queixa se for gordo e feio.
          Andar com decote e reclamar quando alguém olha, andar de short curto e reclamar quando alguém fala alguma coisa.
          Quer evitar assédio, vai pro Paquistão, adota a religião de lá e começa a usar burca.
          Já cansei de ver esse tipo de comportamento. Todas falam a mesma coisa, e todas fazem a mesma coisa. Dizem que nós somos todos iguais, mas isso vale para vocês também, mulheres.
          Se o homem for carinhoso demais vai achar que é gay, se ele tem atitude é estuprador, não entendo, vocês parecem chuveiro elétrico, ou é quente demais ou é frio demais.

          Responder
          1. cintiacosta Autor do post

            Oi, Testosterona. Sabe o que é curioso? Existe uma taxa monstruosa de estupros em países em que a burca é obrigatória… Se cobrir não evita nada. A única coisa que previne assédio é o assediador não assediar.

          2. olivia

            Testosterona
            A mulher pode usar short curto, decote, biquini o que for. Isso nao da o direito a nenhum homem de assedia-la, seja com palavras ou com atitude fisica. Eu uso short pra praticar corrida na rua pq eh mais comodo nesse calor, nao pq quero ouvir o obscenidades de idiotas que passam ao meu lado.

          3. Maria

            Eu só quero é ser feliz
            Andar tranquilamente com a roupa que escolhi
            E poder me assegurar
            De burca ou de shortinho
            Todos vão me respeitar!

          1. cintiacosta Autor do post

            Oi, pseudo-Cauã! Desenvolva melhor seu argumento… “Hipócrita” não explica nada. Beijos.

        4. Fiuk

          Como assim “Tinha que ser homem”?!
          Mais respeito. Não coloque as pessoas no mesmo pacote não Natalia.
          Quer falar contra o machismo com uma postura dessas?!

          Responder
      1. elisabete

        Nem o Caio Castro, nem o Justin ( qualquer um dos dois),nem o Brad, nem ninguém…quem já foi encochada ou abusada verbalmente por um cara bonito, que acha que pode mais que os outros só porque é bonito, sabe que o medo não escolhe Caios ou Justins, temos medo que qualquer palhaço abusivo,mesmo os que se escondem por trás da INTERNET e se esquecem que tem mães, irmãs, sobrinhas, tias, Ou talvez pensem nelas na hora da ” cantada” ou estupro…vai saber!

        Responder
      2. um ser humano

        Não fale o que não sabe ou o que não tem a capacidade de compreender. Dessa maneira acaba reproduzindo, legitimando e perpetuando uma visão preconceituosa que acabou de ser analisada e exposta acima. Leia com atenção e tente, ao menos dessa vez, se colocar no lugar de um outro ser humano que se sente cotidianamente exposto(a) e ameaçado(a).

        Responder
      3. Ambrosia

        Podia não ter escrito nada né sr. Homem. Isso vale para qualquer um. Um cara ser bonito e rico não faz a violência dele ser menor. O problema é que quando isso acontece muitas mulheres se sentem intimidadas em denunciá-lo por medo e vergonha, no caso se ele for bonito, pq muitas pessoas dirão a mesma coisa que vc “ah mas era bonito, vc deveria agradecer”. Se for Rico o medo de que ele tenha influência e possa prejudicar ainda mais a vida e o futuro da mulher que sofreu o abuso. Por tanto pense mais a respeito antes de julgar, a final alguem da sua familia deve ser mulher então pense melhor se vc acha que ser violada por um homem rico e bonito é argumento.

        Responder
      4. Mariana

        A diferença, meu querido, é que nessa caso ELA deixou. Não foi a força, teve consentimento. O problema é quando a mulher não quer. Eu acho o Caio Castro feio (já que foi a beleza que você colocou pra discussão), e se ele me mandar um assobio vou achá-lo não babaca quanto um pedreiro. Pare de culpar mulher pela sua imbecilidade. Se ela quiser dar pro Brad Pitt ou pro Mr. Catra o problema é da mulher, mas isso é uma escolha DELA, e não sua.

        Responder
      5. Juliana

        “Um homem”,

        Se a mulher QUISER ficar com o cara (tanto bonito, quanto feio) deixa de se chamar ESTUPRO e passa a se chamar SEXO CONSENSUAL (ou seja, quando as duas pessoas querem fazer). Se a mulher não quiser fazer sexo e o cara forçar ela a fazer, será ESTUPRO, não importando se o cara é feio ou se é o cara mais lindo do universo.

        Qual é a dificuldade de entender isso?

        Responder
      6. Outro homem

        Sou homem e te digo: não, isso não vale para o Caio Castro. O que faltou você perceber e seu machismo não deixou, é que vale sim a cantada, quando a mulher vê um homem que lhe interessa. Então ela dá sinais de que pode se aproximar. Aí não é invasão, é aproximação autorizada. Homens precisam parar de ser moleques e ser homens.

        Responder
      7. alpha

        Exatamente!

        O pedreiro, o tiozinho, o cara acima do peso, todos esses são vistos com desprezo.

        O cara bem sucedido, com boa aparência, que naturalmente desperta atração em outras mulheres, tem mais a oferecer do que a própria mulher que ele está cantando. Por isso é chamado pelas mesmas de homem de atitude!

        É uma questão matemática, se a mulher acha que é muito para o homem que a está cantando, ela acha isso um insulto. Mas se acha que de alguma forma tá levando vantagem, tá tudo certo…

        Responder
      8. cissa

        querido homem, vale apena lembrar que uma paixonite por um famoso não significa que uma mulher deixaria ser estuprada por ele. Pode ser bonito, feio, rico,pobre, gordo, magro, baixo ou alto, estupro é crime, estupro é algo horrível que ninguém gostaria de passar. Ou vai dizer que se uma panicat linda da vida te abusasse você ficaria feliz?

        Responder
      9. Daiane

        Eu me chamo “um homem”, mas tenho o raciocínio lógico de uma criança de 3 anos. Eu já fui perseguida por um cara de terno e gravata, o esteriótipo de homem de sucesso com seu carro de luxo. Ele insistia para que eu entrasse no carro com ele, recusei diversas vezes até que ele começou a me humilhar, me chamando de gostosa, que iria me chupar, que o vento batendo na minha saia me deixava linda. Eu corri para uma padaria e ele estacionou o carro. Graças a Deus, o senhor da padaria me socorreu, ligou para minha casa pedindo para que alguém fosse me buscar, pois era perigoso eu sair sozinha na rua. Ora, dizer “que eu fico linda quando o vento bate na minha saia” pode até parecer sensual, mas não é. Por quê? Porque trata-se de um absoluto estranho invadindo meu espaço, me amedrontando, me ameaçando, insistindo para que eu faço o que eu não quero! Você consegue entender isso? Cantada não é um flerte entre duas pessoas interessadas numa na outra, cantada é invasão, é ameaça, é falta de respeito, falta de empatia com os sentimentos das pessoas. Acorda! Se você verbaliza as coisas que você sente ou pensa ao ver uma mulher na rua, você é um descontralado. Pobre coitados de vocês, não? Que não conseguem aceitar o fato de que a beleza feminina é tão avassaladora para o homem que ele precisa humilhar e subjugar com palavras para continuar se sentindo o macho vencedor. Patético! Graças a Deus nem todos os homens pensam dessa maneira, pois foram muito bem educados pela sua família e entedem que bom senso, respeito e educação devem reger sua conduta diante das pessoas estranhas.

        Responder
      10. Ainda assim um homem

        Se você ainda pensa que mulheres “gostariam” de ser estuprada pelo caio castro ou um ricasso bonito, vc ta falando merda cara, desculpa

        Responder
        1. cintiacosta Autor do post

          Não, Tio T, você entendeu errado. O fator que faz a diferença não é o dinheiro nem a posição social do cara. É o consentimento. Se não há consentimento da mulher é assédio (ou abuso, se estamos falando de uma relação e não apenas de investidas), se há consentimento, é um relacionamento.

          Responder
      1. Ana Carolina

        Podem até haver comentários – que com certeza são mais discretos e respeitosos – mas o grande problema não é a cantada, é a ameaça. Já respondendo ao querido de cima, mesmo se fosse o Caio Castro me encoxando no metro, seria um puta desrespeito, e o medo de um possível abuso, humilhação ou até mesmo estupro continua presente sempre.

        Responder
        1. Samurai

          Nada que uma faca, teaser ou spray de pimenta não resolva. Dei um pra minha irmã e ela disse que afasta mesmo. Nunca mais um verme desses vai mexer com outra mulher.

          Responder
      2. Israel

        Fato, rola comentário do mesmo tipo a respeito de homens, mas não existe “feminismo” aí, por que? simplesmente pq a mulher é o sexo frágil e fica difícil de se defender a força. Já o homem não. E essa da roupa imprópria é a maior hipocrisia que já vi das mulheres. Tem mulher que se veste pra provocar mesmo, pra chamar atenção, pedindo pra ser olhada e/ou pra tirar vantagem com isso. Ontem mesmo eu fui resolver uns problemas em um Orgão público e entrou uma mulher na fila usando uma roupa super sexy, furando a fila, sabendo que tinha um monte de homem atrás dela, fazendo pose, empinando a bunda, etc. (ninguém comentou nada, só ficou observando) Quer respeito? Se dê o respeito.

        Responder
        1. Gustavo

          Cara, acho que o que ela está querendo dizer é o medo do estupro, que o homem não corre. Uma olhada, sempre vai ter, seja da parte do homem ou da mulher. Um comentário com um amigo ou amiga, também vai haver. Agora o problema é quando se torna natural e não se vê mal nenhum em chegar a fazer as tais cantadas. Aí é que a mulher tem o medo. Homem não vai ter medo, pois teria uma “força” para se defender. Queria ver se viesse um cara grande e forte se aproximando em uma rua escura e quando você achasse que apenas seria roubado, descobre que ele quer te violar. Esse é um medo que a mulher sente constantemente quando vê um homem se aproximando. Nós homens não sentimos este medo. Até porque se uma mulher viesse querendo sexo no meio da rua, 90% ficaria até feliz. Mas e se fosse um homem?
          Tenho esposa e tenho muito medo quando ela sai sozinha na rua, principalmente em horários como de manhã cedo e depois das 9 da noite. Procuro levá-la e buscá-la nos lugares em que ela vai principalmente por isto.
          Pensem bem, um dia muitos de nós teremos filhas e esposas. Se cada um fizer o seu, não precisaremos ter tanto medo assim.

          Responder
          1. Larissa

            Gustavo, você foi o único homem sensato
            o único que deixou de lado esse “orgulho de macho”
            e conseguiu interpretar e entender o texto.

            Parabéns cara!

          2. Miguel

            Muito bom o seu comentário Gustavo!
            Acho que entendo porque alguns homens fizeram comentários agressivos(não concordo). Gostei do texto, mas no final a Cintia foi hipócrita. Piadinhas rolam tanto entre mulhures como entre homens e de vez enquando uma olhada diferente faz bem, não que precise ser invasiva. Do modo que a Cintia colocou parace que ela prefere prefere conhecer alguem por sites de relacionamentos!

          3. cintiacosta Autor do post

            Oi, Miguel. Você sabe o significado da palavra “hipócrita”? Porque tá rolando uma confusão aqui no blog e a estão usando no lugar de coisas como “exagerada”, “sem noção”, “inverossímil”. Nada contra críticas, é só uma questão de vocabulário. Beijos!

          4. Luiza

            Olha finalmente alguém falou alguma coisa que presta!!
            Vi comentários aqui que, me deram medo. Os caras estão defendendo estupro. Tô chocada!!

        2. Natalia

          “Mimimi se dê ao respeito” então respeito depende da roupa que eu estiver usando? E se você estiver andando sem camisa na rua eu tenho todo o direito de te desrespeitar porque você não está se dando ao respeito?

          Responder
        3. elisabete

          Você tem certeza que não era a maneira que ela andava mesmo? Quem disse que ela estava ” empinando a bunda”??E quantas mulheres já passaram a mão na sua bunda na rua, ou te chamaram de gostoso, ou te falaram em alto e bom som o que fariam com você caso te ” pegassem ” de jeito, ou já te encocharam no metro ou no ônibus, só porque podiam? Percebeu a diferença?

          Responder
          1. Pedro

            Já fui encoxado no ônibus, tive minha bunda apalpada tanto por homens quanto por mulheres e, de fato, é algo bem estranho, constrangedor. Até mesmo com mulheres fazendo porque era uma surpresa pra mim o.o Sim, já encoxei também com e sem intenções e não orgulho de ter feito isso (apesar de na hora não me arrepender nem um pouco kkk).

        4. Jesus Cristo

          Cara, esse negócio de julgar pelas roupas e tals, é jogar a culpa na vitima, que por mais que queira sair pelada na rua, não é culpa dela a violência por parte de um ser que não consegue controlar o brinquedinho dentro das calças.

          Sinceramente, sempre que eu ouço falar em algum caso de estupro, eu sempre penso o quão frustrado e impotente socialmente o individuo deve ser pra ter que forçar alguém a fazer sexo com ele.

          Mas mulheres, entendam, alguns homens vão fazer cantadas e vão olhar, a olhada não é invasiva, é um reflexo natural, a cantada, não sendo pedreiragem, é só uma cantada, acontecem dos dois lado, só tem que existir o respeito, vai fazer uma cantada, seja o mais delicado e inofensivo possivel, que ela pode até dar um risadinha.

          Responder
      3. Amanda

        A diferença Wellington é que você IMAGINA que haja vários comentários, enquanto as situações expostas no texto são explícitas. Você COM CERTEZA já viu algo do tipo. Enquanto esses “comentários das mulheres” são apenas uma suposição sua.

        Responder
    2. Um ser humano

      A mulher tem todo direito de ser respeitada: ok.
      A mulher tem todo o direito de se livrar de uma vez por todas desse medo: ok.

      Mas levem uma coisa em consideração:

      O assédio não consiste em ser “encochada, apalpada, ou olhada”. O assédio é definido pelo fato de tudo isso acontecer CONTRA a vontade da mulher. Ou seja, se a mulher sentir atração por um indivíduo aleatório na rua a ponto de se sentir a vontade em ser tocada por ele, visando aproveitar um momento de flerte, auto-afirmação e/ou sedução (que é o direito de todo ser humano), e SEM QUE isso a desconforte, já que é essa a vontade dela no caso, papo encerrado.

      E outra coisa: o homem que quiser olhar para o corpo de uma mulher é porquê ele simplesmente sentiu vontade e atração, e ele tem todo o direito de fazer isso (logico, sem abuso, e CASO a mulher não queira ser abusada também…pois como dito acima, se é o que ela quer, estão ambos em um consenso).

      Existe uma coisa chamada LIVRE ARBÍTRIO, e isso não é exceção para ninguém. Se o um homem acha uma mulher sexy, ele vai achar e ponto final, e ninguém tem poder nenhum para impedi-lo de sentir atração por ela, ninguém é “Deus”.
      Se ele quiser olhar, vai olhar na sua sutileza e ponto final também, pois a mulher não é invisível e o homem não tem obrigação nenhuma de fechar os olhos só porquê a mulher vai achar ruim.

      Mulheres, aceitem que um homem, se ele lhes acharem atraentes, eles vão olhar vocês melhor. Seja seus olhos, seus seios e/ou seus bumbuns, ele tem esse livre arbítrio. Como vocês mulheres tem o livre arbítrio de fazerem o mesmo com um homem (ou uma mulher, no caso de uma mulher homo/bissexual). O importante é não ultrapassar limites. E se a situação é um consenso de ambos, aproveitem o sexo! E sejam felizes…

      Fui!

      Responder
    3. Um Homem de Classe Média

      Cíntia,

      há um tempo, quando era mais novo, gordo e com baixa auto-estima, costumava fazer isso. Eu fazia isso na esperança de que alguma mulher olhasse para mim e gostasse de mim. Era como uma fantasia. Eu não tinha confiança de falar com as pessoas, tinha medo. Na minha cabeça, o assédio seria minha forma de dizer: “oie! como cê tá? Ia reclamar do calor mas é um jeito muito clichê de puxar assunto, né? hahaha”. Depois de entrar na academia e melhorar minha aparência, minha auto-estima subiu em níveis que fico até boquiaberto em observar atualmente. Consigo conversar com quem tenho vontade, sorrindo, mostrando-me inofensivo e simplesmente interessado em conversar.

      Hoje em dia eu tenho uma namorada e, muitas vezes, estamos juntos e alguém passa assediando-a, seja com um “eita delícia!” ou “sua mina é daora em chapa”. Eu me sinto ameaçado. É como se você não soubesse se essa abordagem pudesse se tornar um estupro, é horrível. Consigo observar hoje pelo lado da vítima e me arrependo muito do que fazia.

      Muito bom o artigo, curti!

      Responder
  1. Alê

    Cín, publica isso na coluna de algum jornal popular, tipo Agora SP, MetrôNews, Metro, etc. Porque aqui não vai ter jeito de educar estes futuros bons moços..
    Gostei muito. Há 12 anos atrás (eu tinha 15 anos) fizeram o favor de enterrar a mão na minha bunda enquanto voltava pra casa pela calçada da minha casa… Desde então, prefiro ser mordida por um cachorro na garagem de alguma casa a se quer andar pelo meio, quem dirá à beira, da calçada.

    Responder
  2. Gigi

    Esse tipo de homem se acha O galo de briga, o “cantadô”, o que grita mais alto. Porém, no fundo são só uns frangalhos que morrem de medo de “perder o posto”, que não conseguem lidar com as mudanças, a modernidade e a independência da mulher.

    Só uma pequena correção: estuprador não é apenas “um cara com tesão”, mas um desequilibrado, uma ameaça que mereceria pena de morte.

    Responder
  3. Edd

    Texto GENIAL!

    Mas pude constatar que isso é uma cultura [sul] americana.

    (E, tbm, confesso que a “olhadela” é difícil de não fazer).

    My bad.

    Responder
    1. ana

      Edd, vou discordar de você. Claro que no Brasil é mais comum, mas passei por situações bem similares na Espanha! Tanto que eu e uma amiga, que fazíamos mochilão, não conseguimos aproveitar Barcelona muito bem a noite por sentir os mesmos assédios.

      Responder
      1. Alexandre

        Se vocês sabem que é assim e não vai mudar, por que reclamam? Não existe aquele ditado que diz: “seja a mudança que você quer ver no mundo”? Sejam a mudança que vocês querem para tal fato. Na Holanda, França e Rússia, por exemplo, os homens nativos não ficam secando suas mulheres. Mas também, elas não mostram o que não querem que seja visto. Mesma coisa de eu sair pelado na rua e ficar irritado com quem olhar para o meu bilau. Desculpem, mulheres, mas isso para mim é hipocrisia. Vão cozinhar que vocês ganham mais.

        Responder
        1. Natasha

          Nossa, que inovador você. Culpabilizar a vítima é tão novo, né?
          Que tal em vez de criticar o que uma mulher usa, aprender que um homem não tem direito nenhum de força-la a fazer algo? Ela pode estar nua, e mesmo assim, se ela disser NÃO, esse não continua significando NÃO!

          Responder
          1. Rafael

            Onde você leu no comentário do Alexandre algo relacionado a forçar?
            Ele foi muito claro quando ele diz: “Mesma coisa de eu sair pelado na rua e ficar irritado com quem olhar para o meu bilau.”

        2. Luana

          Tem dia que eu saio de CALÇA e uma camiseta normal, e mesmo assim os caras me cantam, falam baboseiras, olham, assoviam. Um dia eu tava com calça e uma camiseta normal – como eu já disse – e um cara perguntou QUANTO EU COBRAVA A HORA! Como você acha que eu me senti com isso?
          O problema é que homens querem dar pitaco sobre isso, sendo que não são eles que passam por tal coisa. Vá você cozinhar, porque eu não sei e não pretendo aprender, já que não é minha obrigação.
          Beijos.

          Responder
          1. Adriano

            A maioria das mulheres escolhe as calças que se ajustam ao corpo de modo a destacar suas curvas e sensualidade. Mulheres gostam sim de sentirem-se desejadas! E claro, se possível, escolher quem as vai desejar (alguém do seu interesse). Hipocrisia demais isso tudo! Homem desejar mulher não tem nada a ver com violência nem com segurança. Estupro, desrespeito e violência não tem nada a ver com machismo, e sim com caráter, educação e formação familiar. Valores! RIsco de estupro tem a ver com segurança pública e com educação. E homens passam sim por coisas semelhantes. Um cara que insinuou que você é puta é um estúpido, tal qual uma mulher que me assedia na balada de forma desrespeitosa é uma vagabunda. Existem pares e equivalências!

          2. cintiacosta Autor do post

            Oi, Adriano. Curioso como você entende melhor sobre o que as mulheres gostam ou não do que as próprias mulheres!

          3. Fábio Lima

            Luana entendo que tem muito homem que vem falar besteira nos comentários, mas por favor, não generalize. Sou homem, hétero e concordo completamente com a causa, além de achar o comentário como do Rafael ridículo. Então não generalize com “O problema é que homens querem dar pitaco sobre isso, sendo que não são eles que passam por tal coisa.” Existem casos e casos. Não é raro achar homens que na infância passaram por assédio de pedófilos, da mesma forma que mulheres adultas de homens machistas.
            Obviamente que o que as mulheres sofrem é infinitamente mais recorrente, mas um homem não precisa passar por algo igual para entender o lado delas, da mesma forma que um branco não precisa passar pelo racismo pra entender o que negros passam.
            Sei que sua generalização foi obviamente inocente, mas generalizar é a base de qualquer preconceito.

        3. Silvia

          Nossa, cara, defecou pelos dedos aí. Na Europa existe muito menos pudor quanto ao corpo e as roupas mostram muito mais do que aqui (fora no inverno né, quem sabe vc acha que todo mundo anda encapotado sempre por lá). O topless na praia, por exemplo, é uma coisa comum, tá todo mundo acostumado, os homens não ficam fazendo esse papel ridículo, secando as mulheres!

          Responder
          1. Adriano

            Claro! Na Europa as mulheres vão à praia com biquinis cuja calcinha parece da minha avó e a parte de cima igual as daqui, mas para seios que parecem azeitonas.. rs

        4. cintiacosta Autor do post

          Oi, Alexandre. Acho que você está um pouco equivocado. Moro na Europa e no verão daqui, as roupas são bem mais curtas que no Brasil. Ao mesmo tempo, a quantidade de cantadas e gracinhas que se ouve pelas ruas aqui é bem menor que aí. A diferença nessa situação quem pode fazer são vocês, homens: deixem as mulheres em paz.

          Responder
        5. Mi

          Olha Alexandre, tu acha que os nativos da Holanda, França e Rússia não fazem isso, e que as mulheres não se vestem da mesma forma que aqui (o que não vejo nenhum problema)?
          Começa a pesquisar mais sobre o que acontece mesmo pelo mundo, mas deixo um vídeo produzido na França pra ti dar uma olhadinha e ver se as mulheres lá tbm não sofrem os problemas do machismo.
          http://damn.com/p/this-is-what-everyday-sexism-feels-like-to-a-man-must-watch/

          Responder
        6. Beatriz

          Ah é? Queria ver se, nesse calor de 40 graus que tá no Brasil inteiro agora, te falassem que você tem que sair de casa de calça e blusa de manga comprida.. Por que se não, corre o risco de ser estrupado. E, se num dia em que você simplismente resolve usar um shorts, uma saia, te dizerem que você tá “se insinuando” e que é pra “mostrar menos”. Olha..pqp viu.. Cada uma que a gente tem que ouvir ! Esse foi só um exemplo pra te mostrar que, com os papéis invertidos, a mesma regra não se aplica, né? Afinal, homem sai até sem camisa de casa! E quantos homens por aí você conhece que foram estuprados? Mas, na real, eu acho que mesmo no ALASCA, a mulher tem o direito de usar o que quiser! Quem é VOCÊ pra achar que tem domínio sobre o corpo de alguém? Cada um usa a roupa em que se sente mais confortável e, se for pro estrupador estrupar, não vai ser por causa de um shorts ou um decote, vai ser por que ele é canalha e machista mesmo !

          Responder
        7. Natalia

          Alexandre, parabéns, tá fazendo certinho seu papel de machistinha. Claro, afinal o verdadeiro machistinha culpa a vítima pelo assédio e pelo estupro. A roupa era curta demais, era tarde da noite, ela pediu.

          Deixa eu te contar uma coisa: a culpa NUNCA é da vítima. Mas vai continuar sendo, sabe por que? Porque gente como você continua culpando as mulheres pelo assédio que ela sofrem todos os dias. Você pode andar sem camisa e não tem sua integridade questionada. Por que mulher não pode andar de short num calor de 35 graus?

          E ah, outra coisa: nos países desenvolvidos isso ocorre menos não porque as mulheres se vestem “apropriadamente”. Nos países que você citou a mulher tem muito mais liberdade pra andar como quiser. Isso ocorre menos porque mais homens RESPEITAM. Tenho uma amiga que mora em dublin. Nunca sentiu medo de usar short lá como sentiu aqui. Então chega de falar besteira, né, champz?

          Responder
        8. elisabete

          Concordo, temos que ser a mudança que queremos no mundo! Minha filha anda com uma teaser, encostou muito, toma choque e cai ” estrebuchando”, e dessa forma ela pode andar com a roupa que quiser, afinal nosso pais é horrivelmente quente, vamos andar como as russas para não sermos estupradas??? Afinal o estupro é culpa minha? Eu pedi por isso ao andar com roupas curtas, em um país que faz 40 graus no verão??pelo amor né??!!Você pode andar com qualquer coisa, que ninguém vai te estuprar e falar que a culpa foi sua. Quero ver se sustenta sua opinião se sua mãe ou irmã ou esposa/ namorada for desrespeitada na rua , ou estuprada por conta de uma roupa que estava usando, e caso você não saiba, homem também pode lavar louça tá fofo!! Então manda brasa que sua casa deve estar na mesma confusão que sua cabeça!

          Responder
        9. Juliana

          Quer dizer então que se usarmos roupas curtas ou decotadas damos o direito a outros de fazerem o que quiserem?
          Você cita países europeus.. Você deveria pesquisar um pouco mais sobre a cultura e o vestuário destes países. Aliás, você se quer sabe o que é Hipocrisia?

          “Hábito que se baseia na demonstração de uma virtude ou de um sentimento inexistente”.

          Por acaso você já passou por essa situação?
          Ser cantado por um cara, encoxado, violentado?

          Quem está sendo hipócrita aqui?

          Responder
        10. Ana

          Alexandre, primeiro esse seu tipo de comentário me faz pensar o uma coisa: Quando você sai com seu celular na rua, você está querendo ser assaltado?? Por que a lógica é a mesma, você estava mostrando o celular pra qualquer ladrão ver, se você não quisesse ser roubado deveria ter deixado o celular em casa então! Não é porque saí com determinado tipo de roupa que estou querendo que me olhem e mexam comigo.
          Segundo que as mulheres desses países que você citou, vivem em clima FRIO, não passam o calor que passamos aqui no Brasil até mesmo quando está calor, não chega a ser um clima tão quente e abafado como o nosso, por isso não usam roupas que mostram “de mais”. E só pra sua informação, em alguns desses países os homens recebem EDUCAÇÃO, e não to falando de educação que se tem nas escolas não, estou falando da educação de pais e mães. Nesses países o preconceito contra a mulher é bem menor, a desigualdade entre os sexos é bem menor. Isso influencia nessa questão do homem olhar para a mulher com respeito. E é esse o ponto que o texto fala, a questão cultural. E é isso que nós queremos que mude, e eu acredito que pode mudar, com um pouco de educação e com menos gente como você que acha mais do que certo essa cultura machista em que vivemos.

          Responder
        11. Levi Gomes Costa Junior

          Eu sou homem e sei cozinhar muito bem pois tenho formação, vocação e paixão por isso. Minha esposa por outro lado não sabe nem o ponto certo do macarrão, mas não é por isso que ela seja inferior a mim ou a outras mulheres que cozinham pois ela faz o papel dela como profissional, como ser humano, como mulher e faz as coisas que eu não faço, isso prova que nada é predestinado a alguém, não é minha obrigação saber concertar um carro tanto quanto não é a obrigação de uma mulher saber cozinhar.
          E sobre a mulher ser “culpada” do próprio abuso, eu acho isso um absurdo, e se fosse você sendo abusado no chuveiro do vestiário e te dissessem: “Se entrou aqui pelado é porque estava disposto a correr o risco de passar por tudo que entrar aqui implica.”? Não pense assim você só da mais força aos animais, trogloditas e monstros que existem para continuar fazendo o que fazem.
          E sobre os homens que mexem com mulheres na rua na verdade são apenas homens inseguros, fracos e burros demais para abordar uma mulher de maneira e local apropriados e fazer um simples porém maravilhoso, belo e irrecusável elogio, da seguinte maneira: “Olá, com licença posso te fazer um elogio?”. Se sim diga algo verdadeiro como algo que você tenha notado nela, por exemplo: “O seu jeito delicado de deixa ainda mais linda do que já é.” Viu simples assim, agora se ela disser não, se desculpe e vá embora.

          Responder
        12. Lia

          Essa de lavar, cozinhar, secar e afins é tão velho e tão chato, Alexandre… Por que não vai você?
          Segundo: abra seus olhinhos e veja ao redor, não são somente mulheres qe estão “mostrando o que querem que seja visto” que são assediadas. Mulheres de burca são assediadas, não seja hipócrita. E mais uma, moramos em um país tropical, que chega a temperaturas extremas. Eu não vou poder colocar meu SHORT que é CURTO só porque os homens “NÃO CONSEGUEM” (o caramba)se controlar? É disso que o texto e muitas mulheres falam, meu querido. Você não tem direito de ACHAR algo sobre as mulheres, independente da vestimenta e fim. A lógica é simples. Visto o que eu quero e você não tem que se sentir desrespeitado por eu me sentir bem. Adiós!

          Responder
        13. Francisco

          “Vão cozinhar que vocês ganham mais” Voce se acha muito machao falando isso né? wow cara que moral que voce tem, voce manda as mulheres cozinharem ! Faz um favor para o mundo e se mata, mulheres tem que ser respeitadas e ponto final, se voce gosta de olhar pra elas, olhe, mas seja discreto, e o que voce estiver pensando guarde pra voce ou seus amigos, o mundo nao tem interesse nenhum em saber “o que voce faria com ela se…” Ser machista nao é simbolo de forca e sim de covardia, homem que é homem mesmo sabe demonstrar fazendo as mulheres se sentirem protegidas e nao atacando elas, sinceramente, fazia muito tempo que eu nao lia um comentário de alguem com uma cabeca tao fechada quanto a sua, boa sorte na vida “campeao” vai precisar

          Responder
      2. Li

        Isso é verdade!
        Li uma reportagem que dizia que em países como Espanha e Portugal as mulheres brasileiras tinham que tomar muito cuidado, pois as pessoas as tratavam como prostitutas, então casos de estupro, outras violências e desrespeito eram muito comuns!

        Responder
        1. Bela

          É também consequência de um retrato que a mídia e outros meios (acreditem, agências de turismo) fazem de que o Brasil é país tropical, vida louca, sexo selvagem, altas temperaturas, samba, bikini, prostituição “legal”, povo “acolhedor”, “sorridente”, etc. É toda uma construção de uma imagem da mulher brasileira, e não tem nada a ver com a roupa que as brasileiras usam por lá.
          Existe também uma mentalidade de brasileiras não merecerem tanto respeito porque é país de terceiro mundo, “não tão civilizado”, “não tão polido, educado”, e por aí vai. Fora o fato de que existem brasileiras que vão para lá para se prostituir, mas eles não reconhecem as próprias cidadãs que também se prostituem lá ou em outros países.
          Enfim, NADA justifica, roupa nenhuma, comportamento nenhum. A violência é ação do violador, e não reflexo da vítima. Prova disso é que um violador reincide e uma vítima não é necessariamente (aliás, raramente) vítima de diversos violadores.

          Responder
  4. Pingback: Tweets that mention O que os homens não entendem sobre cantadas « Cintices -- Topsy.com

  5. yumi

    Mto mto perfeito!! Sério, os homens não entendem isso!!
    Tá certo que as vezes tem umas cantadas engraçadas ou até boas, que são aquelas em que a mulher nao se sente ameaçada. como por exemplo quando está andando no parque com muitas outras pessoas, ou numa rua também cheia de gente.
    mas tem gente totalmente sem noção!!! hj eu por um infortunio da vida fui numa sala de cinema do Belas Artes e só tinha EU na sessão. até aí tudo bem . fazer o que se fui na sessao mais cedo que tinha. O que aconteceu foi que qdo o filme começou a ficar mto bom, e tava quase no fim, entrou um homem e sentou na poltrona de trás, no canto, a umas 5 cadeiras de mim. achei mto estranho. que medo!! depois de uns 10 min entrou outro cara e sentou na poltrona da frente desse primeiro cara. CARACA!! Lógico que fiquei imaginando que os caras tavam armando pra me pegar!! Eram provavelmente o cara que confere o ticket na entrada, e um outro que não sei da onde surgiu- talvez o cara que roda o filme.

    Foi um terror psicológico!!! Eu não podia reclamar pra ninguém!!! o que iria alegar??? Eu tava com medo até de sair do filme, o que poderia ser a deixa pra eles virem pra cima de mim, já que a sala cinco é no subsolo e não iria ter ningue´m por lá, imaginei.
    Foi horrível pagar pra passar medo. Eles invadiram meu filme, meu momento de lazer, minha tranquilidade. Me deixaram de mal-humor. E num dia de TPM ainda!

    Responder
    1. Bruna

      Nossa cara, tadinha… Imagino como se sentiu… Um saco a gente ter medo de viver! 🙁 pior que os homens não entendem isso… Bom, acho que os homens não fizeram nada, nem queriam, né?! Menos mal… Mas, é terrível ter esse medo “a toa” :/ (a toa porque num mundo “perfeito” nao deveríamos temer homens né… :/) bom, da próxima vez tente fazer uma amiga ir junto… Hehe (se não se sentir a vontade sozinha, claro..)

      Responder
    2. na real

      Porque vocês mulheres se acham assim? Só porque um cara está perto de você, não quer dizer que ele quer algo contigo. Pensam que são as gostosonas e que todos os caras querem pegar vocês? Não é bem assim não, o cara se sentou a CINCO cadeiras de você, e você já achou que o cara queria algo? Quanta Hipocrisia…

      Responder
      1. Natalia

        Você leu o post inteiro? De verdade? Inclusive a parte onde ela fala que não precisa ser “gostosona” pra ser assediada? Porque, se leu, e tem um mínimo de capacidade de interpretação, vai entender que as mulheres não acham que vão ser cantadas por serem “gostosonas”, e sim porque elas tem MEDO de que sempre tem um animal pra fazê-lo.

        Responder
    3. Mulheres sendo mulheres...

      Yumi, Passou pela sua cabeça que talvez, Só TALVEZ eles estivessem lá pra ver o filme também? nossa você estava aonde mesmo? no cinema nossa… se eu entro no cinema e tem 5 pessoas no centro e mais ninguém na sala eu sento próximo(não muito próximo, mas fico por perto) as 5 pessoas, pra n ficar completamente isolado no canto, isso é natural. Acho que nenhum dos 2 rapazes/homens sequer notaram que você estava lá.

      toda vez que e estiver nesse “Dilema” pegue um espelhinho na sua bolsa e olhe pro seu próprio rosto e pense “será?”

      Responder
      1. Arilus

        O problema é que ela não pode se dar ao luxo de ignorar essa hipótese, amiguinho. Ela não pode simplesmente ficar tranquila, porque ela nunca sabe quando são só uns caras indo ver o filme mesmo, ou uns caras que foram ver o filme, e viram que tinha uma menina sozinha “dando mole”. E não custa nada para alguém abordá-la no cinema, justificando que se ela está sozinha num cinema, ela deve estar querendo. Porra, outro dia no programa da Fátima Bernardes um ancião qualquer falou que era assim mesmo que ele pensava! Se ela fosse um homem, esse medo dificilmente passaria pela cabeça dela, e por isso muitos que aqui comentam não conseguem entender o ponto principal do texto. Homens descritos no texto fazem com que mulheres sintam medo por sua integridade física.

        Responder
    4. Bela

      Putz, que situação!
      Quando eu tava entrando na adolescência e começando a me dar conta dessas coisas eu decidi q eu não queria me sentir frágil, indefesa, e comecei a treinar defesa pessoal. Foi ótimo, já treino há dez anos e realmente me sinto segura. Sei que tem situações em que não tem o que fazer, mas mesmo assim diria que a defesa pessoal ajuda. Já imaginei como seria algo como um estupro à mão armada, em que eu optaria por não me defender, e acho que me sentiria menos indefesa mesmo assim. Sei que não serve pra todas, pode não servir pra você, mas sei lá, não custa dar uma opção né… =]

      Responder
  6. Pingback: O estupro de policial no momento da mídia « Cultcoolfreak

  7. Pingback: Necessários da semana | Necessárias

  8. Zé das couve

    É, pq a proporção de cantadas na rua x estupro é praticamente igual né? Menos meninas, menos. Não venham com esse papo de machismo pra esse comentário não. Eu abomino estupradores e mesmo encochadores oportunistas, esses deveriam ter um cabo de vassoura tochado no…. bom, entenderam né. Mas dai comparar a cantada do tiozão no bar com um estupro é demais, né não?! Não gostou da cantada, vai lá e xinga o tiozão, que pela vergonha que passará, pensará duas vezes antes de repetir. Não gostou mas é vergonhosa, continua andando e finge que não ouviu. Mas começar a processar todo mundo que chamá-las de linda na rua é meio dramático.

    Responder
      1. Amanda

        Sabe, quando eu leio comentários assim me dá cada vez mais tristeza, sério.
        Sério que vcs acham que o tiozão do bar não é o mesmo que pode abusar da neta em casa? Sério que o velho do caminhão pode não ser o estuprador que anda de cidade em cidade (como eu JÁ LI UM RELATO em outro blog)? Sério isso?
        Sabe, não em entra na cabeça, nós, mulheres, estamos aqui dizendo que NÃO GOSTAMOS!! NÃO GOSTAMOS E PONTO FINAL!!! E por incrível que pareça, parece que vcs não querem escutar. Estamos aqui, estamos dizendo por nós e por aquelas que não tem coragem de fazê-lo, NÓS NÃO GOSTAMOS e vcs não tem que questionar.
        Vcs tem mãe? Irmã? Sobrinha? Esposa? Namorada? Tem?? Ah que bom, pq estão aqui dando pleno aval para que os machões de plantão as cantem na rua, que bom que não irão reclamar o dia que chegarem em casa se sentindo invadidas e sem auto estima.

        Responder
    1. Maria responsável pelas couves crescerem

      Tem mulher? Tem filha? Alguém do universo feminino em seu meio social? Não ou sim. Pensa comigo: A TUA não gostou da cantada do tiozão e volta para xingá-lo, um parênteses aqui (ele não está sozinho e é um tiozão “sensato” que está no bar”), afinal toda mulher é corajosa e não tem medo de ‘empeitar’ aqueles que tem três vezes a sua força. Beleza, vamos dizer que a TUA tem 15 anos e um corpo maravilhoso, está voltando da aula… e voltou lá pra empeitar o cara, afinal se ela xingar ele se sentirá com vergonha. Voltou. Xingou.
      Ops… o tiozão não gostou dessa atitude, e seus amigos tbm não, aquela menininha pensa que é quem? Ah, vamos pegá-la, afinal ela não tem forças para se defender, daí nos aproveitamos de outras coisas a mais. Tu tem um pingo de inteligência para considerar coisas que podem acontecer após essas situações que você considera de “bravura”, seu retardado.

      Responder
    2. Nara

      Sabe o que pode acontecer quando você responde pro tiozão do bar? Ou pro bêbado da balada? Ou o cara de terno, pasta na mão, que mexe com você na rua? Ele pode achar ruim, e vir pra cima… e sabe o que acontece com os outros tiozões do bar, e etc? Eles concordam que você não tem nada que NÃO gostar de um “elogio” e se o tiozão resolver te pegar a força – porque estupro é o ápice, o cume do morro, mas existem infinitas outras violações possíveis e comuns – e apertar sua bunda, meter-lhe o dedo, ninguém vai te proteger, e se for, pode ser tarde demais.
      E deixa eu te fazer uma pergunta simples – se você não é mulher, e enxerga a experiencia feminina através do seu crivo masculino, com opinião e não experiência, porque NEGAR À MULHER O DIREITO DE TER A OPINIÃO DELA? Porque a SUA opinião da MINHA experiência é mais verdade que a MINHA EXPERIÊNCIA? Porquê, assim, a maioria esmagadora das mulheres odeiam a cantada de rua, e temem essas cantadas, então, me parece verdade, não???

      Responder
      1. Bruno

        Olha, é direito de vocês nao gostarem etc. Mas é direito nosso discordar. O problema das cantadas é que grande parte dos homens são sem noção e necessitados. Mas dizer que não devemos cantar uma bela moça é ridículo. Como na matéria cita “Tradicional virada de pescoço pra checar a bunda da mulher”. Eu não posso simplesmente virar a cabeça pra olhar uma moça bonita por mais alguns segundos? E quem disse que estou olhando pra bunda dela? Só porque a maioria faz? Vocês generalizam demais. Isso que acaba com o crédito da reclamação, na minha humilde opinião.

        Passar bem.

        Responder
      2. Bia

        Então aqui vai uma opinião feminina, e, como vc mesma disse, tenho o DIREITO de expô-la aqui.

        Eu entendi o que o Zé das Couves quis dizer. De fato, estamos ficando extremistas. Na boa, eu gosto, sim, de receber cantadas na rua. Desde que elas se mantenham apenas nisso. Elas avançam? Muitas vezes! E é isso, e somente isso, que devemos combater.
        Vocês lembram da lei da palmada? Eu acho que o caso é bastante parecido: não era necessária uma lei contra a palmada. Minha avó sempre me sentava a mão quando eu fazia algo errado ou perigo. Mas não era para machucar. A palmada, na verdade, mexe com o brio da criança e a impede de repetir o erro. Agora, pais que extrapolam e ferem a criança devem responder pelo ato.
        Estupradores (e não somente a penetração é vista como estupro) devem responder pelo ato. Mas se alguém passar por mim e gritar “gostosa”, não acharei ruim. Vou parar e agradecer? Não. Um cara desses não tem a menor chance, pois não tem a habilidade necessária para abordar uma mulher. Porém não me agrediu, nem invadiu meu espaço.
        Agora, se o cara vier pra cima ou tentar qualquer coisa, é armlock na certa!!! hahahahahaha

        Responder
        1. Bela

          Bia, eu entendo a sua perspectiva. Eu tb não me sinto nada “frágil”. Mas é muita cabeça fechada achar que todas as mulheres devem se sentir igual a você. Isso jamais acontecerá. Não é porque “são mulheres”, é porque são pessoas, cada uma a seu jeito. Então vai sim haver aquela que sente medo, ou nojo, ou que não gosta, ou que se sente violada.

          Quando existe uma situação com dois indivíduos, é sempre o mais forte, mais capaz, que deve se conter para respeitar o espaço, a fragilidade do mais fraco. Por exemplo, se há uma criança autista que sofre quando alguém toca nela, você vai exigir da criança que suporte aquele toque? Não. Você pede para o adulto com maior potencial cognitivo para tomar cuidado com aquela criança em sua singularidade. Se um homem forte bate num homem fraco você manda o homem fraco ficar forte? Não, você manda o homem forte não bater no homem fraco. Se para aquela mulher, Ana, vamos chamá-la de Ana, um assédio provoca medo e ela jamais enxergaria a possibilidade de se defender de um homem, você pede pra ela “man up” e treinar um “armlock”? Não, você pede para o homem para tratá-la com mais cuidado.
          Isso é tão lógico que está em todos os segmentos legislativos. Veículos grandes devem proteger veículos pequenos; adultos devem proteger crianças; policiais armados devem proteger civis (há); e por aí vai… Não é feminismo, é humanidade.

          Responder
    3. Ami

      Tava demorando pra aparecer “uzômi” pra dizer o que é melhor pra MIM, o que EU sinto, e que EU estou exagerando por uma coisa que só EU sei…
      E pelo visto vc não sabe o que estupro. Estupro é qualquer ato com intuito sexual que façam com meu corpo sem meu consentimento. Um beijo forçado entra como crime de estupro, não precisa chegar nas vias de fato.
      Cantados e assédios tem a ver com poder, intimidação, tem a ver com estupro sim. Vc não sabe o que é ter de ouvir asneiras desde os 9 anos de idade. Vc não sabe o que é viver tendo a impressão de que vc serve pra enfeitar o mundo e que por isso será diariamente julgado e observado na rua, sem ao menos te perguntarem se vc está precisando de uma “avaliação”.
      Tentar nos silenciar tbm é machismo puro e simples.
      Menos Homem, bem menos…

      Responder
        1. Renata

          Caracteriza estupro, sim, senhor! A Lei 12.015/09 unificou os crimes de estupro e atentado violento ao pudor. Antes, somente a cópula vagínica era considerada estupro. Com o advento da Lei 12.015/09 qualquer ato libidinoso diverso da conjunção carnal é considerado estupro também – inclusive um beijo lascivo.

          Responder
        2. Li

          Diego, ela não se referiu a nenhuma definição jurídica. Ela falou, sob a concepção dela, que toda a espécie de violação transtorna a vítima como um estupro.

          Responder
        3. Natalia

          QUALQUER violação do corpo da mulher sem o consentimento dela (ok, violação já significa que é sem o consentimento dela, mas já que tá TÃO DIFÍCIL pruzômi entender, achei importante colocar) é considerado estupro. E, se eu bem me lembro, a boca faz parte do corpo da mulher. Portanto, é, sim, considerado estupro.

          Responder
    4. Luciana

      O problema, querido, é que você não está na pele de uma garota pra saber como é, eu uso a palavra garota, porque não são as mulheres de seus 30 anos que sofrem com isso, são meninas, que a partir da puberdade, já desenvolvem seus peitos, coxas, e bunda e andam pelas ruas sozinhas. Agora, ter os seus 12, 13, 14, 15 anos de idade e ter que passa por isso não é fácil, digo isso por experiência própria, viu?! Com 18 anos, quem tem e quando tem (porque por mais irada, a gente nunca sabe se o nojento não vai querer vir atrás e se vingar, ou cumprir com as promessas de me lamber toda, ou me beijar do jeito que eu mereço, ou ainda fazer um “nenem” em mim, né) a coragem pra gritar e xingar o “tiozão”, faz isso mesmo, xinga, mostra o dedo, tenta fazer o “tiozão” passar vergonha como der, mas eles não passam, ainda ficam rindo da cara da idiota que “deu bola” pra isso.
      Então não pense que é exagero ligar uma cantada ao estrupo, querido, porque só quem passa por isso todos os dias sabe como é, aguentar as olhadas e frases nojentas de um cara que podia ser seu pai, seu avô, ter que pensar duas vezes na roupa que você vai usar pra passar meio despercebida, e refazer o seu caminho varias vezes na cabeça pra ver se você vai passar em alguma construção ou bar.
      Portanto, não acho que você seja machista, acho que isso é muito pra se dizer, mas você é esse tipo de gente que não pensa no lado dos outros, ou das outras no caso, na sua cabecinha é tudo fácil demais, xingar o cara e ele para, seguir em frente e ignorar, faz assim então, vira mulher por um dia e anda pelas ruas de qualquer cidade do Brasil pra ver como é tudo fácil assim, como num passe de mágica.

      Responder
    5. Monique

      Já pensei várias vezes em mandar uns caras tomar para aquele lugar quando ouço cantadas na rua, mas é o que o texto diz: dá medo. Eu tenho 1,63, peso 50 quilos. E nem é medo de ser estuprada só, mas de me baterem mesmo. E sabe do que mais? Os homens que distribuem cantadas nas ruas acham que estão no direito deles. Logo, eles não ficariam nenhum pouco constrangidos, eles partiriam pra cima com, no mínimo, frases do tipo “mal comida”, “louca, vadia”, “isso é falta de pica”, etc, ridicularizando e desmoralizando a mulher.

      Responder
    6. Luiza

      Meu querido, você já fala como se cantada na rua fosse algo bom. Como se “receber cantadas” fosse uma obrigação da mulher”. Só por aí a gente vê como é difícil fazer com que as pessoas percebam o problema. É um machismo tão incrustrado, que mesmo desenhando não dá pra fazer com que gente como você entenda. Quer dizer, tá liberado a rapaziada “cantar” as mulheres, só não vale ENCOSTAR, né? Deixa eu te falar uma coisa: um “OI, LINDA” assusta, enoja e deprime. Sabe por quê? Porque esse inofensivo “Oi, LINDA” vem com um sorrisinho maroto, uma mordida de lábio, uma intenção de: ESTOU FALANDO ISSO PQ EU TE COMERIA AGORA”. Se o cara já for um pouquinho mais “envergonhado”, ele não vai fazer toda essa encenação, mas no fim das contas a intenção é a mesma. Ele fala isso porque ele acha que ele tem o DIREITO de falar isso por ele ser HOMEM e a receptora ser MULHER. Ele acha que pelas “leis da natureza” uma mulher é obrigada a ouvir merda na rua por ser MULHER e se sentir lisongeada com “cantadas”. Afinal, UAU TEM ALGUEM NO MUNDO QUE COMERIA ELA. RISOS.
      Sabe o que acontece muitas vezes quando uma mulher retruca? NÃO, VOCÊ NÃO SABE… mas eu vou te falar mesmo assim: o cara xinga, o cara faz um gesto obsceno, o cara PARTE PRA CIMA.
      Ele acha que o motivo pra uma mulher estar frustrada ou de mau humor é FALTA DE PICA. (Tenho certeza que você já deve ter até utilizado essa justificativa pra alguma mulher que foi grossa com você.)
      Você vem falar “se não gostou, xinga o tiozão”. Quer dizer, tudo bem, tudo maravilhoso, a vida é assim mesmo: O cara pode falar o que quiser pra você, se você não gostou: sai gritando pela rua feito uma louca. Se você não se manifestar, filha, não reclame. Merece ouvir mesmo.

      NOJO.

      Responder
    7. verdadeiro

      pois e, tem gente que nao sabe a hora de parar. De elogio a estupro, machismo, todo homem com tesao que esta em uma rua vazia vai comer geral kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
    8. Bruna

      Cara, chamar de linda tudo bem… (Há controvérsias…) mas o que vimos não são “elogios simpáticos” mas um monte de falação nojenta… Se xingamos podemos até apanhar… E, se temos vergonha de xingar, porque temos que ser “obrigadas” a ouvir um assédio..? Porque temos que fingir que não ouvimos e só continuar a andar?! Não seria muito melhor se as pessoas respeitassem as mulheres e apenas não fizessem esses comentários? (Se vc acha que não, lamento informar, mas está tendo um pensamento machista…) Repito um “elogio” é aceitável… Elogios “nossa, como você é bonita!” “Como seus olhos estão alegres” “você sabe andar como alguém realmente segura!” “Essa roupa foi uma ótima escolha para este dia” “seus cabelos brilham a luz do sol” …. “Ei, gostosa” “ô lá em casa” “que bunda hein” (entre outros) não são elogios! E, espero que a maioria dos homens entendam a sutil diferença entre um elogio e uma cantada…

      Responder
    9. Amanda Barros

      Homem falando de coisas que não entende, pelas quais nunca passou nem passará! Quem decide o que é violência é a mulher, e não o que você acha.

      Responder
    10. Thaís

      Querido Zé, o texto fala sobre o medo que essa cultura gerou nas mulheres. Não que processaremos todos os autores do “Bom dia, princesa” que a gente ouve por aí, mas sim o medo de não sabermos qual a real intenção desse autor. Muitas vezes, se não respondemos, o cara vem atrás e sabe-se lá o que ele pode fazer. Se partimos pra cima e respondemos, somos obrigadas a ouvir que deveríamos ser mais humildes, ou então andar cobertas (e nem precisamos estar de roupa curta, basta um jeans mais justo) e quem sabe até levar uns tapas por aí.
      A questão é que nós temos o direito de não gostar, e não precisamos de um motivo pra isso. Tenta colocar sua irmã (se tiver) ou então sua mãe (que com certeza tem/teve) no lugar da menina que você tá cantando, e vê se ia se sentir bem se ouvisse alguém dizendo o mesmo pra elas.

      Responder
    11. Ana Carolina

      Vou te contar algo interessante. Uma vez estava passando no metro, e havia um grupo de mais ou menos 6 homens trabalhando numa obra. Eles, obviamente, mexeram comigo de maneira grotesca, e eu “fui lá e xinguei o tiozão”.
      Na verdade, nem perdi tempo e simplesmente mostrei o dedo do meio.
      E aí o que aconteceu?
      Eles começaram a gritar e me xingar de volta, provocando e humilhando na frente de todas as pessoas que passavam pelo metro, me fazendo parecer uma “vagabunda”.
      Quando eu voltei, tinha que passar pelo mesmo lugar, e um deles sinalizou pros outros que era eu, e começou a andar por trás de mim, muito perto, enquanto os outros gritavam provocações de novo.
      Eu tive que pegar um taxi, com medo deles, já que eu estava sozinha “contra” 6 obreiros.
      Dá pra fingir que nao ouviu numa situação dessas?

      Responder
    12. Silvia

      Haha, ele vive em um mundo onde tiozões de bar e babacas de balada ficam envergonhados quando a mulher recusa sua investida nojenta! Na realidade, eles acham que têm o direito de importunar qualquer uma, dane-se se o dia dela tá uma merda, dane-se a história dela, ela é objeto visual e tá ali pra ser malhado memo! e ai dela se reclamar! leva de volta xingamentos e muitas vezes, agressão física! Melhor simplesmente calar a boca, 99,9% das vezes, sua cantada é um lixo que ninguém quer ouvir.

      Responder
    13. Beatriz

      Ah claro hahaha como somos insensíveis. Somos chamadas de “linda” na rua e ainda achamos ruim.. Veja que coisa ! Se fosse até um “gostosa” “que delícia” “vem aqui com o papai” (o resto nem escrevi por que são coisas muito feias, especialmente escritas), mas não… Só querem que saibamos o quanto somos lindas! Que gentileza ! Deveriamos agradecer.

      Responder
  9. Pingback: Abuso no metrô: terrível pras mulheres, engraçado pra Globo, fetiche pra Playboy « Cintices

  10. Cristiano Alves

    Diria que é um texto bastante mal escrito. É claro que o que toda mulher quer é respeito, principalmente se for casada ou comprometida, pois aí além da sua imagem, também compromete a de seu relacionamento, porém o texto contém alguns disparates, afirmando, por exemplo, que “se mulheres podem ser estupradas, então não se deve nem olhar para certas partes delas”. Eu não olho para certos tipos de mulheres por que só dou audiência para quem merece, porém seguindo esse mesmo raciocínio, ninguém deveria mais visitar o Museu do Louvre, pois uma vez que obras de artes podem ser roubadas, então não se deve mais olhar para elas. Percebem a analogia?

    Outro ponto a ser destacado é que é normal na natureza, não diria nem no homem, mas no Reino Animal que um dos sexos tente de alguma forma exibir o seu interesse no sexo oposto, seja através da cantada, de uma dança, mechendo as penas, com um tipo de canto… É melhor receber cantada do que ser ignorada, como ocorre com várias mulheres na Europa. Eu tenho uma amiga russa que mora na Alemanha e ela reclama que até na sauna, onde homens e mulheres costumam ficar sem roupa, e ela reclama que nem lá os homens “dão uma olhada”. Por que é que os homens italianos tem fama de conquistadores na Europa, justamente por que não são frios como no norte da Europa. O mesmo para os homens brasileiros na Europa. A mulher européia olha para essas brasileiras com muita banca e as acham tolas.

    Agora claro, o sujeito que anda passando a mão em mulheres em lugares públicos tem mais é que se dar mal mesmo, até por ser crime!

    Responder
    1. Cíntia Costa

      Cristiano, você parte do pressuposto de que as mulheres são como as obras do Louvre: feitas para serem admiradas pelos homens (as bonitas, claro. Como você mesmo diz, as feias não merecem). Tadinhas das que não recebem a honra de serem cantadas, hein? Nunca vão arrumar homem, o que, na sua cabeça, é sinônimo de tristeza profunda…. E você vê na falácia do apelo à natureza uma explicação rasa que te coloca na posição de macho “caçador” entre fêmeas “presas”. Em que posição confortável você se colocou, hein?
      Deixa eu te dizer uma coisa que sua mãe devia ter te ensinado: você é machista e tacanho e a melhor coisa que você pode fazer pelas mulheres é ficar quietinho, ok?
      Agora, sobre o post ser mal-escrito, isso pode criticar à vontade :).

      Responder
        1. Natalia

          TAVA DEMORANDO pra aparecer um que não aceita que não gostemos de assédio. Afinal, como resistir aos encantos e cantadas do machistinha? Só sendo lésbica ou feia mesma, já que feia ele não assedia e lésbica não gosta do que ele tem.

          Fica quietinho, moço, que tá ficando feio pra você.

          Responder
      1. José Alcântara

        Não sou do tipo que sai a caça na rua. Mas não acho que estou violando a integridade física da mulher se fixar meu olhar nela durante alguns segundos, sem falar alguma obscenidade.
        Que mundo chato esse em que as pessoas não podem nem olhar pro lado que são taxados de monstros pervertidos!

        Responder
        1. Bela

          José, acho que você está certo e um simples olhar em admiração à beleza que te encantou não tem problema nenhum.

          (Não estou incluindo homens doentes – realmente doentes -, carentes que tentam sugar algo do outro pelo olhar)

          Responder
    2. Nara

      Só pra constar, os italianos em Roma tiveram de ser educados para PARAR DE MEXER COM AS MULHERES NA RUA, porque o turismo em Roma estava SENDO AFETADO NEGATIVAMENTE por isso. Não, a MAIORIA das mulheres não gostam de cantadas. Eles AGUENTAM só.

      Responder
    3. Juliana M.

      HA! Essa é boa! Bom saber que você ‘só dá audiência para quem merece’, nem um pouco machista e depreciativo. O pior é dizer que o texto foi mal escrito e manda um ‘meCHendo’ HAHAHAHAHAHAH.

      Responder
    4. diogo

      realmente, vc se comparar aos animais mostra bem o que voce eh, UM ANIMAL.
      quando voce tiver uma filha voce vai entender o que estou falando, Don Juan do boteco.

      Responder
    5. Não sou Exposição.

      Só para te avisar que obras de arte do Museu do Louvre existem para serem apreciadas pelo público. No entanto SERES HUMANOS, mais especificamente mulheres, não estão expostas numa galeria aguardando o seu parecer. Eu ri MUITO ALTO da sua “analogia”.

      Responder
    6. Eve

      Estou sinceramente decepcionada com as respostas masculinas por aqui.
      Pessoal, sério mesmo que vcs acham legal cantar as pessoas na rua? Vocês acham divertido esperar uma mulher passar por vocês e sussurrar no ouvido dela???
      Se vcs acham isso natural, um direito biológico, desculpa, eu tenho dó das mulheres que convivem com vcs. E espero não ter o desprazer de encontrá-los por aí.
      Não tem nada a ver com paquera, como a autora mencionou nos comentários. Se vcs tem interesse real na pessoa, tem outras formas de se aproximar.

      Responder
    7. a

      Os homens italianos têm a fama de PEDREIROS da Europa, não conquistadores.
      Brasileiros, idem.
      Falácia naturalística: achar que por que ocorre na natureza, é bom. Se fosse assim, com base no comportamento dos bonobos, relações sexuais cis e trans a céu aberto deveriam ser toleradas. Que lindo!~
      Da “olhadela” à indiscrição tem o que os gringos chamam de slippery slope. Cara que sai gritando e passando a mão tem mais que tomar o dele mesmo.

      Responder
      1. Isadora

        Sabe qual o maior problema? os homens não entendem é que nós mulheres não sabemos quando uma simples cantada, será só uma cantada, ou quando o cara vai partir pra cima de você. EU NÃO TENHO COMO SABER, DÁ PRA ENTENDER ISSO? eu odeio cantada, mas se fosse o caso de os caras SÓ elogiassem e deu, ok beleza, MAS NÃO. As mulheres sempre ficam no MEDO de o cara ser um louco e te agarrar. Não precisa ser muito inteligente pra entender isso.

        Responder
  11. Anilson Martins

    Senhorita Costa é valido quando você repudia situações como a que ocorreu com a si mesma e a sua colega ou quando um velho babão de 50 e todos anos diz algum tipo de cantada direcionada a uma bela garota de 15, 20 e 25 anos. Agora dizer que uma garota que está em plena juventude não gosta de receber uma cantada tenha dó, más os jovems que foram dar uma cantada em uma garota tem que observar o local, o momento e principalmente se a garota não é comprometida tenho certeza que os meninos que seguem estas regrinhas não estão fazendo mal algum, e eu concordo com o Cristiano nós meninos devemos dar audiência só para quem merece.

    Responder
    1. Cíntia Costa

      Rapazes, os senhores estão confundindo “paquera” com “cantada de rua”. A grande diferença entre as duas coisas é que uma é respeitosa e tem seu momento, enquanto a outra é inoportuna e desrespeitosa. Mas não precisa esquentar muito a cuca pra saber qual é qual, né?

      Responder
      1. Diego

        Concordo com isso!
        Acho que é mais do que natural e saudável um homem abordar uma mulher pela qual se interessou de uma forma respeitosa, ou de uma mulher abordar um homem também, qual o problema? Porém a forma como tal abordagem é feita fará toda a diferença. Se você demonstra seu interesse e deixa a pessoa LIVRE para aceitar o cortejo ou não, isso sim merece respeito, e claro, no caso de uma recusa, saber aceitar e entender que não a outra pessoa simplesmente não se interessou é o mínimo que se espera.
        Isso serve para mulheres também! Já vi casos em que alguma mulher demonstrou interesse por algum homem, mas esse não fui recíproco, o que causou revolta na mulher e a fez chama-lo de “BIXA”.
        Então, resumindo, não gosto de rótulos com relação ao gênero (homens fazem isso, mulheres fazem aquilo…,) acho que o caráter, ou a falta dele, independe do gênero.

        Responder
    2. Ana

      Anilson, olha que legal, que tal você perguntar para essas jovens se elas gostam? Opa, peraí! O que esses sites estão falando é exatamente que NÃO! Elas NÃO gostam! Eu sou uma garota de 25 anos que é cantada na rua desde os 12 e eu odeio isso. Ah, deixa eu consultar TODAS as minhas amigas aqui. Não, nenhuma gosta. Acho que você tem de começar a refletir se o mais importante é o que as mulheres gostam realmente e o que você acha que elas deveriam gostar.

      Responder
    3. Maria de Fátima Lima de Vargas

      Se é uma garota que não se dar o valor e só tem titica na cabeça realmente ela vai gostar pois pelas musica que cresceu escutando mulher é pra isso mesmo.

      Responder
  12. Luiz S.

    Olha, concordo que as cantadas são grosseiras e invasivas, mas nunca ouvi falar de um estuprador que tenha assobiado ou gritado indecências para a vítima antes de praticar o crime. Também duvido que os safados escrotos que bolinam as mulheres no metrô, no ônibus etc. fiquem falando obscenidades.

    Responder
    1. Sabrina

      Mesmo partindo do pressuposto de que atacantes físicos e verbais são pessoas diferentes, isso não muda o efeito psicológico da “cantada”; por mais que, conscientemente, você não acredite que aquele homem vai te atacar, a insinuação dá a entender que ele teria o direito de fazê-lo. E o ser colocada em uma posição de objeto, combinado à sensação de vulnerabilidade, ao medo do ataque físico, é que faz das cantadas algo tão agressivo. Mexe com seu inconsciente, aumenta o medo já existente (esse advindo de notícias, relatos ou mesmo experiências), altera seu estado psicológico.

      Responder
    1. Lígia

      Essa frase disse tudo o que eu queria dizer, só que resumido. É incrível que a galera não consegue se colocar no lugar do outro. ” Eu não olho para certos tipos de mulheres por que só dou audiência para quem merece, porém seguindo esse mesmo raciocínio, ninguém deveria mais visitar o Museu do Louvre, pois uma vez que obras de artes podem ser roubadas, então não se deve mais olhar para elas.”. Que merda foi essa?
      “Olha, concordo que as cantadas são grosseiras e invasivas, mas nunca ouvi falar de um estuprador que tenha assobiado ou gritado indecências para a vítima antes de praticar o crime.” Sim, porque em toda matéria de jornal está escrito: estuprador assovia para vítima e depois a viola. Isso não interessa depois que o ato está consumado. Foi só o começo do pesadelo, não quer dizer que não existiu, só quer dizer que, depois de tudo, não importa mais. As palavras só vão ficar ecoando na cabeça da vítima.
      “más os jovems que foram dar uma cantada em uma garota tem que observar o local, o momento e principalmente se a garota não é comprometida”Como já foi dito antes, confundiu cantada com flerte. Flerte tem lugar, hora e consentimento. Cantada de rua é nojento. E mais uma coisa: garota em relacionamento não pode porque já tem “macho”, com o resto, bora ser nojento né. Como se quem merecesse o respeito não fosse a garota, e sim o namorado dela em si.

      Vocês não tão entendendo. A rua é lugar pra andar. Ninguém vai pra rua pra ouvir flerte, pra arranjar marido/esposa, pra se sentir de bem com a vida. Pra isso a galera vai pra boate, bar, danceteria e o caralho a quatro. Eu vejo que cantada está indiretamente influenciando no meu direito de ir e vir. Me deixem ir e vir em paz, cacete!
      Ou alguém aqui já deu uma cantada numa mulher, e ela virou pra você e disse: UAU, ERA TUDO O QUE EU QUERIA OUVIR! Agarrou no seu pescoço, e se amaram logo ali? Por favor.

      Responder
      1. Daniel

        O problema aqui é que vocês extrapolam qualquer comentário feito aqui. Vocês tem o direito de ficarem revoltadas e tudo mais, mas estão ignorando qualquer contra argumento porque simplesmente lhes convêm.

        As mulheres tem o direito de se vestir do jeito que quiserem e ir andar na rua, mas daí os homens também tem direito de olhar pra onde quiserem. Falar que quando é dado aquela olhadinha isso vai remeter ao estupro… Aí já estão extrapolando…
        E sobre o comentário que um colega fez ali em cima, comparando com o reino animal… Ele comparou os flertes, cortejo que existe, ele só sitou o lado comum e saudável com que os animais agem, não o lado animalesco da coisa, foi um comentário inocente, e que se enquadra no “flerte” e não possível estupro.

        E só pra dar um exemplo de que toda moeda tem dois lado (sendo esta moeda o homem), do mesmo jeito que somos os enquadrados como os possíveis criminosos, também somos nós que botamos medo nos possíveis estupradores para que não cometam o delito. Digo isso, porque como é de conhecimento popular, mesmo dentre os criminosos, o estupro é visto como crime hediondo, tanto que quem o comete e é preso, não dura muito tempo dentro da prisão. E por favor não vamos extrapolar aqui e dizer que toda a minha argumentação foi perdida quando nos comparei com criminosos, o que eu fiz foi dizer que nenhum homem são, admite o estupro.

        E lembrar, que estupro não é “exclusivo” das mulheres, é de conhecimento geral também que muitos homens, jovens, garotos e meninos são estuprados, tanto por homens quanto por MULHERES. Mas como existe a pressão cultural, as vítimas masculinas são logo taxadas como “safados, pervertidos” que se aproveitaram da situação e também estavam gostando. Quantas vezes li de vítimas que ouviram isso, principalmente mulheres.

        E outra, todo mundo com um pouco de conhecimento das diferenças biológicas entre homem e mulher, sabe que as mulheres tem a visão periférica avantajada, e todo homem atento (nem precisa tanto) já se viu sendo avaliado por uma mulher passando do seu lado, sem olharem diretamente. Não to nem inventando, é só ler qualquer livro de linguagem corporal, que eles sitam este fato.

        Por último, só peço que as mulheres tenham um pouco de calma na hora de generalizar e julgar a todos os homens com suas olhadas e flertes, taxando a todos como possíveis estupradores. Vocês acham que seus pais e avós não fazem fizeram o mesmo? Vocês também os consideram possíveis estupradores?? Creio que não.

        Responder
      2. Maria de Fátima Lima de Vargas

        Você falou tudo. Meus parabéns. Na verdade antes de ler esses depoimentos eu achava que tinha alguma coisa errada comigo. Pois pensava que só eu não gostava dessas merdas todas.

        Responder
  13. Homero mACHADO

    Vocês tem problema. Nós homens não temos a necessidade checar como está a nossa bunda no reflexo do vidro dos carros estacionados. É fato científico que nós homens somos irresistivelmente atraídos por vocês, que sabem perfeitamente disso. Também que há homens rústicos que não tem refinamento algum no trato com o sexo feminino. Portanto seria como utilizar uma peneira para tapar o sol se ignorássemos este problema: As mulheres tem necessidade de sentirem-se desejadas e os homens não resitem às mulheres. o que deve haver é acomedimento. As mulheres que não desejarem ser assediadas devem mudar seu estilo de vestimenta e postura, e os homens que desejem aproximar-se de alguma mulher, devem aprender a ler os sinais corporais dela, para verificar se há possibilidade de aproximação, caso contrário devem tomar “simancol”, tirar o “cavalinho da chuva” e recolherem-se à sua insignificância, pois não são bem vindos. Agora, nossas colegas do sexo oposto também não devem colocar “todos os gatos no mesmo saco”, pois taras sexuais são desvios de personalidade das quais apenas uma fração da humanidade (homens ou mulheres) são portadores. Se ficarem achando que serão estupradas cada vez que saírem às ruas, aconselho que procurem um psicanalista ou terapeuta.

    Responder
    1. Cíntia Costa

      Homero, o machismo cega e este é claramente seu caso. Você pede para não colocarmos todos os gatos no mesmo saco, mas coloca todas nós, mulheres, no mesmo saco, dizendo que todas precisamos de atenção masculina. E, no seu machismo, sugere que as mulheres que não queiram ser assediadas mudem suas vestimentas. Aprenda, filho: o corpo de cada mulher é dela, e ela o veste como bem entender, e suas roupas não são um convite. Não devem ser os homens que definem o código de vestimenta das mulheres – essa decisão é da mulher. Se você ama as mulheres como diz, respeite-as!

      Responder
      1. Aly S

        Não que eu esteja defendendo alguém aqui… mas decidi comentar porque achei algumas partes da resposta bastante absurdas. Principalmente a que foi direcionada ao Cristiano. Afinal, isso é um blog, não é? Se você escreve algo relacionado a um assunto recorrente e bastante discutido na atual sociedade é de se esperar comentários negativos e positivos, pois então, como uma escritora que deixou aberto para comentário, respeite-os e não mande ninguém “ficar quietinho”. Isso é um assunto sério e merece mais maturidade. O que ele falou em suma não foi machista(só acho maldoso e desnecessário comentários sobre que mulheres devem ou não devem ser olhadas), e essa necessidade de exagerar falando que tudo e todos são machistas é muito lastweek. Estupro é sério, e tem gente que parece que precisa usar de um assunto tão complexo para demonstrar um feminismo exacerbado. Cantadas na rua, assovios do pedreiro ou um “olá princesinha” do homem no bar podem ser desconfortáveis, como também não podem, mas nenhuma dessas coisas influência diretamente no estupro de uma mulher ou homem. Como alguém citou acima, homens que tem a necessidade de abusar sexualmente de uma mulher são homens(ou mulheres) com sérios desvios de personalidade SIM, e essas precisam de tratamento adequado e punição severa por um crime tão grotesco. Mas dizer aos homens que parem de mostrar o quanto se sentem atraídos por mulheres na rua? Me diga que mulher nunca secou um homem por quem se sentiu atraída? Simplesmente ignore e passe reto se lhe incomodar e o mesmo vale para eles. Não é isso que vai influenciar um estupro ou não. Nem o tamanho das roupas que você usa, nem o que você faz ou fala, ou como se comporta. SER MULHER é o único fator que influência o estupro de uma mulher e a conscientização em relação a isto e o estudo de medidas que o impeçam é o que REALMENTE importa. Ninguém é macho alfa, ninguém é superior a ninguém e acho difícil de acreditar nessa revolta contra meros elogios aleatórios. Estamos todos sujeitos a desventuras nos dias de hoje. Continuarei xavecando inúmeros homens E mulheres aí pelas ruas tendo a certeza de que não estou praticando um delito ou influenciando no meu estupro ou no de alguém.

        Responder
      2. Rodrigo

        Cíntia, machismo cega o quê?
        Se a mulher veste uma roupa mais “provocante”, óbvio que ela vai provocar.
        Provocar o quê?
        O instinto dos machos.
        Homens de verdade respeitam as mulheres independentemente de suas roupas.
        Aprenda. Existem homens e machos e eles andam por aí, todos misturados.
        O problema da mulher é “achar” que tem a razão e dar tiros como entendendo ser seu direito e até seu dever.
        Nada melhor que um argumento bem elaborado.
        Aqui a gente escreve, então, dá tempo de pensar um pouquinho antes de postar qualquer coisa.

        Responder
        1. cintiacosta Autor do post

          Oi, Rodrigo. Concordo: homem de verdade sabe respeitar. Infelizmente, são muitos, mas muitos os que não sabem respeitar e que, cegos pelo machismo, ainda acham que cantada é elogio apesar de tantas mulheres falarem o contrário, como você pode ver pelos comentários desrespeitosos deixados aqui…

          Responder
        2. Samantha

          Sabia que é esse o argumento pra obrigarem as mulheres mulçumanas a usarem BURCA??? pq dizem que até a visão de um calcanhar feminino pode levar o pobre e fraco homem a cometer loucuras… que o som do salto alto, pode fazer um homem enlouquecer…

          Você vai dizer, ahh mas não é bem assim.. tem uma diferença.. QUAL?? qual vai ser o LIMITE?? e quem vai estabelecer esse LIMITE, vocês HOMENS!!!!!!

          Responder
        3. a

          rodrigo jênio, o que é uma roupa “provocante”?
          porque tem quem ache que calça jeans é provocante.
          tem gente que acha que saia é provocante, não importa o comprimento.
          tem gente que acha que “se tem mais de 13 tá valendo”.
          e aí????
          afff, será que esses caras não têm mãe, não?

          Responder
          1. Francisco

            Olha eu concordo que pros homens machistas a desculpa mais facil é botar a culpa nas roupas das mulheres e isso está errado totalmente, agora eu tenho mae sim, e irma também, eu vejo elas quando saem e de fato elas usam ás vezes saias um pouco mais curtas ou algum que outro vestido mais decotado e eu acho totalmente justo pois elas tem a liberdade se utilizar o que elas quiserem agora tem limites pra tudo, ela nao usa um decote que vai LITERALMENTE até o meio da barriga e deixa aparecer uma parte do mamilo, porém tem mulheres que usam, e supostamente elas tao “no direito delas” e eu discordo disso, com esse critério amanha vo sair na rua com meia bola pra fora da cueca e nao vai ter problema nenhum por que estou no “meu direito”, pelo amor de deus isso ja passa a ser ridículo, é oobvio que tem limites. Nao estou dizendo sob hipotese alguma que essas mulheres devam ser estupradas ou molestadas nem muito menos, apenas estou demonstrando como há sim, parámetros que estabelecem quando trata-se de uma mulher expressando sua liberdade e quando trata-se de uma mulher que nao valoriza nem ela mesma.

    2. beth

      Aí Homero. Então agora não tenho direito de sentir calor? Tenho que me vestir de mulçumana pq vcs não conseguem se controlar? Vcs constrangem
      desconhecidas na rua, e nos que somos as loucas? Velho. ..nunca li tanta Merda…vc não tem noção do que é ser mulher, e ter que passar a vida toda escutando machos lhe imporem o que vc deve fazer para ser respeitada. Respeito é um direito. Ponto. Pare de culpar a vítima.

      Responder
      1. Daniel

        Não estamos dizendo que não podem se vestir como quiserem, mas se você coloca uma roupa super justa, contornando todas as possíveis curvas do seu corpo, desculpa mas isso não é porque você estava com calor, se tava com calor, coloca um shorts ou uma saia, não um micro shorts, nem uma micro saia, porque até mesmo as mulheres julgam, quando veem outra usando tais vestimentas, como sendo provocativas demais.
        Tem que saber sim o que vai vestir e saber o efeito que vai gerar. Porque do mesmo jeito que vocês tem o direito de escolher a roupa que quiserem, temos o direito de olhar o que a gente quiser, do mesmo jeito que vocês tem esse direito e fazem uso dele também.

        Responder
  14. melissa

    Quanto homem babaca comentando, cala a boca cara. Se vocês não se dão ao trabalho de se colocar no nosso lugar, não sabem o que é passar cada dia da sua vida passando por isso fiquem quietinhos por favor. Porque vocês não fazem então eu devo fazer o que? Beijar seus pés? Parabéns pra vocês por agirem como seres humanos racionais ao contrário desses outros que passaram no nosso caminho. Ninguém quer saber se vocês são macho alfa ou se tem genes isso ou aquilo, vocês só se importam com o que influencia vocês e como esse tipo de coisa não o faz, ficam de mimimi enchendo o saco. Ah, se foder!

    Responder
    1. Daniel

      Não estou defendendo nenhum argumento dado por nenhum homem aqui, mas só queria deixar claro que também temos direito de dar a nossa opinião e nosso ponto de vista. Vir com palavras rasas e mandar calar a boca porque não sabe como é viver na pele de vocês não vai ajudar em nada. Afinal, vocês também não vivem na nossa pela pra saber como é impossível segurar um simples instinto de admirar uma bela mulher passar do seu lado.
      E NÃO TO DIZENDO QUE ISSO ME DA O DIREITO DE ESTUPRAR VOCÊS, só to falando que tem sempre dois lados pra se analisar em qualquer debate/discussão.

      Responder
      1. cintiacosta Autor do post

        Tem dois lados pra analisar, mesmo, Daniel: o da pessoa que está sendo desrespeitada e o daquela que acha que tem direito de desrespeitar.

        Responder
        1. Francisco

          Olhar nao é desrespeitar…ele está falando simplesmente do ato de olhar, mais nada, nada de fala, nem cantada, nem contato físico, um mero e simples olhar, isso é meu direito e está TOTALMENTE correto eu fazer

          Responder
        2. Jaime

          Concordo com o Daniel, pois Admirar não é Desrespeitar!

          Acho que Cantadas não são e nunca serão a melhor maneira de se elogiar/aproximar de uma mulher. PRA MIM as cantadas estão mais pra piadas do que pra ofensa ou desrespeito. Digo cantadas tipo essa: “Gata, você não é produto do Polishop mas eu só vejo qualidades em você!”. u.u
          Antes de ler o Blog eu já tinha consciência que boa parte das mulheres não gosta de ser cantada, elogiada e que ficavam ofendidas com isso.
          E afirmo que NUNCA utilizei cantadas com mulher alguma justamente por esses motivos.

          Assovios já, mas com PESSOAS QUE TENHO INTIMIDADE. Seja pra elogiar por estar bonita(linguagem universal), por ter experimentado uma roupa que ficou legal ou simplesmente por brincadeira, sem a intenção de conquistar ou querer algo mais.

          Entendo o medo que vocês mulheres sentem ao serem abordadas invasivamente, entendo a falta de respeito que em muitas das vezes ocorre com palavras de baixo calão, entendo a sensação de insegurança que as acompanha todos os dias. Mas lembrem-se que muitos casais foram e serão formados justo por essas Cantadas “Baratas”, por aquela “encarada” que se tornou uma Paquera/Troca de olhares em ambientes, lugares e horários diferentes. Seja na padaria, no ônibus, na escola, ambientes do cotidiano.
          Conheço vários casais(e quem não conhece?) que se conheceram assim e continuam juntos. Ou seja, não generalizem.

          Me corrijam caso eu tenha escrito alguma besteira!

          Finalizando, o Estupro é algo Abominável!
          Boa noite!

          Responder
        3. Decepcionada

          E é incrível que, mesmo com tantas mulheres aqui dizendo que não gostam desse assédio, os homens venham aqui dizer praticamente que a gente tem que aceitar… Como assim? E a questão da roupa é o pior, cada uma tem que se vestir como quiser, não importa o tipo de roupa… É o homem sim que tem que respeitar a mulher não importa a roupa que use.. Gente, eles querem dizer o como a gente deve se sentir… Continuam nos comparando a objetos… Inacreditável…

          Responder
  15. Dolores

    Os homens não entendem que o assédio da cantada pode,e é,muitas vezes,acompanhado de uma passada de mão,uma perseguição,etc…a mulher andando por aí nunca tem certeza de quando a coisa vai se limitar a somente uma interação verbal.Por isso,quando vocês gritam para uma mulher que ela é gostosa,pensem no que ela pode estar sentindo,como um pânico de voltar correndo pra casa.

    Responder
  16. Sidney

    Tão chato quanto o discurso machista, é o discurso “politicamente” correto demais e “engessado” de algumas mulheres. “Nem tanto o céu e nem tanto ao mar”. O segredo é o equilíbrio.

    Responder
    1. Não sou Exposição.

      Eu acho muito “equilibrado” quando eu saio na rua na minha cidade quente, tentando me ocupar dos meus afazeres e tenho que ouvir bosta de DESCONHECIDOS quadra após quadra após quadra após quadra… Porque caras escrotos acham que têm o direito divino de tecer opiniões sobre a minha aparência. E por alguma razão misteriosa acham que isso interessa.

      Responder
  17. Annie

    Todos esses homens babacas que comentaram que o texto é um exagero provavelmente acham uma atrocidade, uma abominação e falta de respeito quando despertam o interesse de outro homem. Aí a coisa toda muda de postura, né? Acordem.

    Responder
    1. Bia

      Verdade Annie, já que eles acham tão normal cantadas de rua, devem achar o máximo quando um homossexual (de p referencia bem maior que eles) chega e dá uma cantada bem sensual neles. rsrs

      Responder
  18. Bia

    Sei que gosto não se discute, mas se existe mulher que gosta disso deve ter o gosto muito duvidoso. Me pergunto o que pode ter de interessante nisso, é desrespeitosos, Além disso os homens que cometem tal ato são visivelmente caras sem classe, feios e sem educação. Como diriam: deselegantes. Afinal, se fossem elegantes não estariam fazendo isso.

    Responder
  19. Gabriel Rodrigues

    Muito bem escrito,embora eu ache exagerado.Engraçado que se cantadas do pedreiro ou do velhinho causam vergonha,raiva e agora descobri que sensação de estupro… se essa mesma moça passar pela Gavea e o time de natação do flamengo(pensei em um exporte de caras “pintosos”,pra mim ,todos os homens,inclusive eu,tirando Miguel,são feios xD) e algum deles joga uma cantada…. ela ia se sentir com raiva e medo de estupro? me parece que a cantada que ofende e assusta é aquela vinda do cara feio na rua,o pedreiro ou o tiozão são só exemplos mais comuns,me parece que agora estuprador tem cara e é feio,de meia idade,meio careca….. em fim,mas o texto é muito bem escrito.
    Obs: não defendo as cantadas nas ruas por que alguns caras “PERDEM A LINHA”,tipo seriamente…mas ja vi diferentes reações ,da mesma mulher, dependendo do cara que fez a cantada.Se ele for bonito pode falar “que eu sou o ovo frito da marmita dele” ,se não for bonito deve ser preso O.o

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Gabriel! Curioso e pertinente seu comentário, eu nunca tinha reparado que tinha pintado os “cantadores” dessa forma… Mas eu sempre tenho a sensação de invasão quando recebo cantada na rua, nunca de elogio, não importa de quem venha. E talvez seja essa sensação incômoda que faz com que todos eles pareçam feios e asquerosos pra mim e pras outras mulheres!

      Responder
      1. tito

        Achei um ponto de vista interessante o texto em si, mas essa parte da pintura concordo com o Gabriel e acho q essa é a primeira imagem que se tem do estuprador, para mim estuprador não tem esteriótipo é apenas uma pessoa com transtornos ou patologias. O da “Olhadinha” eu acho que um discernimento é necessário, por exemplo, se for aquela olhada como a olhada que a mulher também dão não vejo problema, porém ficar “secando” ou perseguindo acho uma invasão. Mas eu fiquei curioso se eu me interessar por uma mulher na rua e quiser aborda-la de uma forma educada e não invasiva qual seria a melhor opção?

        Responder
    2. Lara Briolio

      Vou te falar uma coisa, Gabriel, eu estudo comportamento feminino e já fiz muitas pesquisas sobre cantadas com mulheres, e descobri uma coisa que pode ser um choque para você e muitos outros que tenham esse pensamento. Mulheres não gostam de cantadas. De ninguém, rico ou pobre, bonito ou feio, pedreiro ou advogado, simplesmente não gostam, e isso não tem nada a ver com de quem ela está vindo. Mulheres gostam de ser conquistadas, gostam que o homem chegue, converse e a elogie para ela e não de que alguém grite na rua como ela é gostosa, linda, bonita, etc. Se o homem for bonito, o máximo que elas pensam é “Nossa, o cara é bonitinho até, mas olha o que ele está fazendo.”

      Responder
  20. Fernando

    Muito legal o artigo, mas não entendi a parte de não virar o pescoço pra checar a bunda de uma mulher. Primeiro que não é qualquer mulher. Tem que ser muito bonita ou muito gostosa. Segundo que isso é praticamente uma reação involuntária. Vc olha, gosta do que viu e quer continuar vendo. Ninguém tem nada que ver com isso.

    Eu noto que o feminismo hj vive numa linha muito tênue entre lutar pelos direitos das mulheres e a pura idiotice. Ninguém pode querer proibir os homens de se sentirem sexualmente atraídos por mulheres. Não existe absolutamente NADA de errado nisso. É esse impulso inclusive que é o maior responsável pela perpetuação da raça humana.

    Entendo a importância do artigo, agora falar pra não virar o pescoço quando vê uma mulher bonita… sério… é idiotice…

    Responder
    1. Carlos

      Assino em baixo colega.
      As mulheres que concordarem com esse argumento da autora são no mínimo hipócritas, pra não dizer idiotas mesmo. Du-vi-do que se passa um homem alto e bonito na rua por elas, estilo Rodrigo Hilbert, se elas não iriam virar o pescoço e o olhar.

      Responder
      1. Bela

        Eu sou mulher e também acho q um simples “acompanhar com o olhar” não tem nada de errado. Tenho amigas lindas e com bundas incríveis e fico com um pouco de dó ao imaginar o que elas devem passar na rua. Mas não acho errado da parte do cara o simples olhar, mesmo que seja para a bunda. Eu sou heterossexual e se passa uma mulher com uma bunda incrível eu mesma olho.
        Mas meninos que estão defendendo a “olhada”, primeiro, acreditem que a maioria das mulheres tem discernimento pra saber quando é uma simples olhada e quando é uma secada invasiva, e estão aqui reclamando da secada invasiva. Já ouviram a expressão “comer com os olhos”? É isso. Segundo, se vocês dão a “simples olhada”, estejam cientes de que mesmo para a “simples olhada” haverão mulheres que se sentirão mal com isso. Sabendo disso, se vocês continuarem olhando, saibam que podem estar causando desconforto (e que poderia ser com a sua filha, irmã, mãe, …).

        Responder
    2. Isa

      Tadinhos dos homens, não podem evitar seus instintos naturais de olhar… As mulheres deviam ser mais compreensivas e parar de choramingar. Cara, na moral?!
      Eu entendo o seu ponto de vista, só não acho que você tenha separado muito bem as coisas. Nenhuma mulher, jamais vai negar ao homem o direito de sentir atração pelo sexo feminino. Isso não existe. Até porque, mulheres também se sentem atraídas pelo sexo masculino, e também olham na rua quando alguém que elas julgam ser interessante passa. A questão não é olhar. A questão é a falta de respeito ao olhar. Mulheres se sentem ameaçadas com olhares masculinos que são NA MAIORIA DA VEZES, e eu digo 99%, extremamente indiscretos e desrespeitosos. Nunca reclamei de alguém que tenha me olhado na rua, olhado rapidamente e desviado o olhar, não devo nem ter reparado. Reclamo de homens que me veem, esperam eu passar e quase quebram o pescoço pra olhar a minha bunda, SEM A MENOR DISCRIÇÃO. E eu sinceramente duvido que os homens que fazem isso sejam desligados a ponto de não notar que as mulheres reparam. Não só reparam, como ficam desconfortáveis e até evitam olhar de volta pra não incentivar a atitude ridícula. É muita falta de respeito, e falta de vergonha na cara quando você vê que alguém esta desconfortável com o seu olhar e não parar de encarar.
      Além disso, acho que muitos homens não leram o post direito. Ninguém aqui ta falando que quando um cara manda uma cantada nós mulheres achamos que vamos ser estupradas. Mas o MEDO e o desconforto está SEMPRE ali. E me desculpem, contra isso vocês não podem argumentar por que nunca foram mulheres, e não sabem o que nos causa medo e o que não causa. Por isso, fiquem menos na defensiva e aprendam com o que o dizemos. Não estamos perguntando se por algum acaso vocês não acham que a atitude de vocês nos incomoda. Estamos AFIRMANDO. Por que isso é tão difícil de aceitar? E particularmente, não, não me sinto ameaçada quando um homem, pelo menos aparenta, me achar bonita e trocar olhares comigo na rua. Isso é um flerte, e qualquer mulher ou homens no mundo se sentem bem com a apreciação do sexo oposto. Mas me sinto extremamente ameaçada quando olham pro meu peito, ou pra minha bunda, ou pro que seja só por que estou de saia curta. Isso não é flerte, isso não é paquera. Isso é abuso. Mulheres não são pedaços de carne pra ficar encarando, e nem vocês são animais sedentos. Evoluam.

      Responder
  21. Veruska kashapova

    Isso também vale para as mulheres, hein? Nada de cantadas feias, olhar para bunda de outras mulheres e ficar insistindo, quando a outra diz que não curte e ainda por cima, é comprometida. Eu acho ÓTIMO estarem falando sobre essas atitudes de macho alfa dos homens, que humilha a todas nós, porém, muitas mulheres fazem o mesmo. Uma vez, sentada na praça fumando um cigarro, um grupo de meninas me chamou para conversar (eu estava sozinha). A primeira pergunta, só porque estava sozinha, foi “está sozinha por que?”, disse que havia ido ao teatro, quando me perguntaram “tem namorado?”, respondi que tinha, porém, o via pouco, pois o mesmo não mora na minha cidade. Então, veio a fala “mas você dá umas escapadas, não é?”; “curte putaria? curte mulher? não quer fazer umas putarias?”. Apenas respondi que não pulava cerca nenhuma, mas fiquei muito constrangida com essa atitude, vinda de mulheres, não de homens.

    Responder
  22. K.

    Impressionante como mesmo depois de um desabafo vem um monte de macho com dor de cotovelo dizer que nós precisamos disso, que saímos na rua pra atrair olhares e blablablá (as palavras variam, mas a ideia é precisamente essa). Que nojo! Acham-se na posição de dizerem o que NÓS gostamos, o que NÓS precisamos, o que NÓS queremos! Muito cara se achando mais entendedor de mulher que AS PRÓPRIAS MULHERES! Isso chega às raias do absurdo! Agora vão querer ditar como devemos nos sentir???

    Esses caras acham que é fácil simplesmente dizer pro cara ir se catar. Nunca foram perseguidos por um desses rejeitados tentando te pegar o braço, ou que se acham no direito de te xingar de “metida, mal-comida, vagabunda” porque você decidiu responder aos disparates. Então, se não podemos responder (porque frequentemente esses babacas se acham no direito de tomar satisfação, e adivinhem: NINGUÉM AO REDOR FAZ NADA, porque todo mundo acha essa merda “normal”), resta-nos abaixar a cabeça porque os “reis da rua” podem falar a merda que quiserem? Ah, vá!

    Vocês se acham no direito de falar isso, mas quando algum cara mexe com uma mulher “sua” (sua mãe, sua namorada, sua filha, sua irmã), vocês vão tirar satisfação. Sabem por quê? Porque sabem que isso É OFENSIVO, mas só se preocupam quando essa ofensa é dirigida à “propriedade de vcs”. Mas quando é uma desconhecida qualquer na rua, vcs tão nem aí se ela se ofende, se ela não pediu.

    Mulher não é obrigada a ficar rosnando na rua pra “passar a linguagem corporal de que não quer que mexam com ela” (até porque sempre tem um imbecil pra gracejar que ela tá de TPM ou coisa assim), nem a se cobrir dos pés à cabeça (nesse calor infernal) pra não atrair os “sensíveis olhos de vcs”. A gente sai na rua por “n” motivos, não pensem que é só pra agradar os olhos de vcs. Aliás, vcs nem têm como saber se ela saiu toda arrumada pra seduzir alguém em especial que ela esteja indo encontrar (homem ou mulher).

    Saiam do centro do universo, caras, vivam suas vidas e nos deixem viver a nossa! Lugar de cantada não é na rua, onde vcs falam a merda e vão embora sem o menor interesse de conhecer a pessoa melhor. ACORDEM! Ajam como animais racionais que são, ou que deveriam ser! Vcs certamente sabem abafar o “impulso” quando se trata de não xingar o chefe no emprego ou coisa do tipo, por que não se esforçam pra conter esse “”””instinto de macho”””” pra respeitar quem passa na rua??? Vocês são humanos, e não feras! Ajam como tal!!!

    Responder
  23. Paulo Lenzi

    Primeiramente, parabéns pelo texto Cintia, conteúdo muito bom.
    Agora, aos ‘HOMENS’!
    Sinto vergonha de ser homem e pertencer a um grupo de pessoas que por uma questão biológica (ter um pinto no meio das pernas) acham-se no direito de ‘elogiar’ as mulheres “que merecem” e que elas tem a OBRIGAÇÃO de se sentir lisonjeadas.
    Se vocês homens acham que não ofende, então saia na rua acompanhado da ‘tua’ irmã/mãe/vó/namorada mas ande uns passos atrás e veja quantos ‘homens’ vão mexer com elas e vê se elas vão se sentir confortáveis! Se “não faz mal assoviar”, ‘elogiar’ uma mulher por que então tantos (praticamente 99,9999…%) dos homens (machistas) se sentem tão incomodados quando mexem com ‘a sua mulher’?! Ué! Não é só um elogio!?

    Não tem cabimento achar que mulher saí na rua para ser cantada. A frase mais estupida e clássica é “elas se arrumam o horas e passam na frente de uma construção, se não forem elogiadas ficam deprimidas” WTF?!

    O fantástico (vou sim usar como referência) fez uma reportagem um dias desse em que mulheres consideradas socialmente bonitas passavam ‘cantadas’ nos homens na rua, NENHUM deles se sentiu confortável!
    Vergonha, apenas isso!

    Responder
  24. IP3-7-3

    Não generalizando, mas a natureza hetero cultural feminina, é dissimulada, falsa, hipócrita, mesquinha, fútil, invejosa, brutal e cruel, assim como alguns homens que não merecem respeito pelo caráter ruim. Não acho que as mulheres devam virar homens e nem ser submissa aos homens só por serem mulheres(a maioria faz isso naturalmente, principalmente para bandidos). Se os homens mentem para as mulheres é culpa delas, por conta de seu caráter duvidoso, pois entre os homens a verdade é uma questão de honra, enquanto que, entre elas, reina a fofoca, a inveja, o fura olho, a mentira e principalmente a falsidade transvestida de elogios meigos e fofos, provocações machistas entre elas mesmas, também o fazem! O machismo só existe por culpa das mulheres hetero sexuais, que desejam qualidades machistas em seus homens e os progetam em seus filhos(culpa das mães). Elas preferem os bandidos, isto é fato. Conclusão, o mundo é cruel demais pra ficar se importando com o ego de seres tão mesquinhos, manipuladores e falsos. Vejam, elas querem respeito sendo vadias falsas e querem dar para bandidos bonitões. Amo as mulheres , principalmente para o ato sexual. Respeito poucas mulheres na minha vida e mesmo assim menos que os meus amigos homens, mas no fundo são tudo puta , falsa e merece ser tratada como objeto mesmo, foda-se 🙂

    Responder
  25. Fernanda Occhioni

    Oi Cintia! Vi seu texto no Facebook da minha prima e gostei muito. Vou compartilhar no meu blog, mas claro, vou colocar sua autoria!
    Essa questão de cantadas na rua é realmente muito desagradável. Tem dias que deixo de usar uma roupa mais curta, um vestido no verão ou então roupas mais frescas com medo de ser atacada na rua. Eu me sinto muito mal quando um cara passa perto de mim e mexe, como você disse, parece que eles acham que somos objetos, é como se fosse um pedaço de carne.
    Eu não consigo andar na rua à vontade, até quando estou com meu marido os homens mexem comigo. Acho muita falta de respeito, odeio isso e acho esses homens uns idiotas.
    Enfim, precisamos compartilhar esse texto para que eles entendam que isso não é bom.
    Muito obrigada por escrever algo que está preso em nossa garganta!

    Beijos,
    Fernanda Occhioni

    Responder
  26. Denis

    Aos homens, desistam de comentar, vocês sabem que as mulheres sempre querem ter razão em tudo. Agora manda passar na rua um cara no estilo Caio Castro, pra ver se elas não olham. Não existe lugar pra se cantar alguém, o q existe é o tipo de cantada e o momento. Se não gostarem da cantada ignorem, o verdadeiro homem sabe respeitar a decisão de não querer da mulher.

    Responder
  27. Rodrigo

    Desconcordo.
    Mulheres tmb olham homens. Admiram corpos e rostos bonitos.
    Qual a diferença? A mulher não oferece risco. Não dá cantada. Não chega junto. Não “estupra”.
    Deve ser um saco, pra mulher, andar na rua e ficar recebendo assovios, adjetivos e outras coisas mais.
    Agora, no geral, entendam VOCÊS uma coisa sobre olhares: a mulher é maravilhosa, tem uma forma admirável. É impossível não olhar.
    Claro, existe algo chamado discrição e contenção.
    A mulher não precisa saber que está sendo olhada, muito menos ser tocada para isso.

    Responder
    1. Yasmin

      Exatamente, até porque embora tenha (até certo ponto) um cunho biológico o interesse em olhar, em até mesmo sexualizar alguém que seja atraente, a mulher (e nem o homem) não é obrigada a ter de lidar com isso a qualquer momento, voltando para casa cansada, indo malhar para se sentir bem (talvez arrancar olhares sim, até de outra mulher, afinal pessoal aqui se esqueceu que existem mulheres que se arrumam para atrair outras mulheres), ou passando calor de 40ºC na rua (vamos combinar que calor deixa as pessoas de saco cheio, ainda mais para receber cantadas porque decidiu usar uma roupa mais curta porque o calor está insuportável!) etc.

      Essa atitude machista é ruim para todo mundo, às mulheres que são obrigadas a aprender a passar calor, por não poderem vestir algo mais curto se quiser aliviar um pouco, que têm de lidar com possíveis retaliações ao responderem a uma cantada que detestaram, desde serem tachadas de estar na TPM, ser sapatão até serem encurraladas em algum lugar isolado e sofrerem uma violência de qualquer tipo. E aos homens decentes também essa febre machista deveria ser um saco, andarem na rua com um grupo de outros machos e ser obrigado a olhar conjuntamente para qualquer moça atraente que passe, independente de sua opinião a respeito, se é comprometido, se é assexuado, se é homossexual mas não lida ainda bem com isso, se é homossexual e lida bem com isso, não importa: ninguém tem de ser obrigado a todo tempo sexualizar ou ser sexualizado e achar essa atitude a correta.

      Responder
    2. Iasmim

      Rodrigo, tenho que dizer que concordo com você: a mulher não precisa saber que é olhada. O que incomoda é a sensação de estar sendo “comida com os olhos”. Isso é nojento, desrespeitoso. Lógico que mulheres olham homens bonitos quando eles passam, mas com discrição, até porque nós mulheres somos ensinadas a não manifestar qualquer tipo de interesse sexual, porque é feio, é coisa de puta. Aos homens que disseram que “admiram” as mulheres por puro extinto, por favor, melhorem! Abram a porra dos seus olhos! Vocês foram ensinados a fazer isso. Ensinados pela sociedade machista que é sinal de virilidade “secar” mulheres na rua, olhar descaradamente a bunda da gostosona de short curto, chamar de “gostosa”, passar a mão, tentar se aproveitar. E mais: aprenderam que é típico da mulher fazer cu doce, que ela AMA essas cantadas, mas não admite. ME-LHO-REM! Vocês são machistas, nojentos, nós abominamos vocês! Entendam uma coisa: nós estamos dizendo abertamente que NÃO gostamos dessas cantadas, que sentimos medo, que nosso coração acelera e nossas pernas tremem, porque sabemos que não, estupradores não são maníacos com distúrbio, estupradores são homens machistas que pensam que mulheres são objetos. Estupradores, em sua maioria, não são monstros. Estuprador é o seu vizinho, o seu amigo, o seu namorado ou seu marido (porque pasmem, homens, muitas mulheres são estupradas pelo próprio companheiro), é o cara que assedia mulheres na rua, é o cara covarde que aproveita o momento numa rua deserta e escura, é o cara nojento e tarado. Por favor, entendam de uma vez por todas, nós não nos sentimos elogiadas, nós nos sentimos DESRESPEITADAS, nós sentimos MEDO. Eu poderia elencar os motivos pelos quais eu concordo com tudo que o texto defende/afirma, mas muitas mulheres já fizeram isso aqui, assim como muitos homens, como sempre, quiseram dizer o que nós sentimos melhor que nós mesmas. Eu só espero que, um dia, isso tudo mude e eu possa caminhar tranquilamente na rua, na faculdade, no shopping… com a roupa que eu bem entender, porque eu amo usar shorts, mas muitas vezes uso uma calça jeans que disfarça minha bunda e meu quadril e, consequentemente, chama menos atenção. Eu quero dizer a vocês, homens, que só uma mulher pode dizer o que sente com o machismo, porque é a mulher que sente isso na pele quando vai até a esquina comprar pão. Vocês façam o favor de não se meterem a falar por nós.

      Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      QQissu, o link que você postou fala sobre o estupro de homens em situação de guerra, como forma de tortura e amedrontamento. Infelizmente, para as mulheres, não é preciso estar nem perto de uma zona de guerra… E fica a dica: comentário anônimo é coisa de gente que não tem coragem de assumir o que pensa, então, da próxima vez, não se esconde que fica feio…

      Responder
      1. Carlos

        Numa população de bilhões de indivíduos, razoavelmente bem distribuídos entre os dois gêneros, não ache que certas patologias recaem somente sobre o cromossomo Y. Do mesmo modo que existem homens maníacos e estupradores, existem mulheres igualmente cruéis, porém por não possuírem necessariamente vantagens físicas desenvolvem tipos de abusos muito mais sutis e que igualmente visam o prazer sexual.

        http://www.youtube.com/watch?v=lheVzC-hm8w

        Responder
        1. cintiacosta Autor do post

          Carlos, não entendi seu comentário: por acaso o fato de existirem outros tipos de violência faz com que cantadas de rua sejam menos asquerosas?

          Responder
          1. Thisgo

            Homens sofrem sim estupro fora de tempos de guerra. Principalmente crianças ou os que têm algum tipo de limitação. Mas homens saudáveis também são estuprados, geralmente sendo drogados. Na maior parte dos casos o estuprador também, mas mulheres também estupram.
            Serio, eu coloquei em outro comentário mas veja essa estatística americana. 9% das vitimas de estupro e violência sexual (na lei brasileira os dois são a mesma coisa, nos EUA estupro só é estupro se houver penetração).
            http://www.bjs.gov/content/pub/pdf/SOO.PDF

          2. Daniel

            A interpretação que eu tiro do post do Carlos é: Não é porque é mulher que só elas sofrem algum tipo de violência sexual. A maior diferença que eu vi, é que o sexo masculino também pode sofrer abuso na mesma frequência, a diferença que se vê no vídeo, é que é quando é criança, e esta não tem nem noção de que esta sendo abordada, e as mulheres se fazem uso do maior poder físico sobre a criança pra fazer isso. Já as que estão sendo cantadas percebem e podem ter algum tipo de reação, mesmo que o estuprador tenha um poder físico maior.
            O que eu quero dizer é, não é a cantada na rua que vai te fazer ser estuprada, nem de longe que esse é o motivo. O motivo real é que o estuprador tem algum desvio mental, e esse pode atacar tanto uma mulher que estava vestida de forma chamativa e foi cantada quando uma criança totalmente inocente.

          3. Cintia

            E por acaso o fato de as cantadas de rua serem asquerosas faz com que não existam outros tipos de violência? O ponto dele é que sua afirmação “estupro é violência específica contra a mulher” é preconceituosa de um modo diametralmente equivalente a um argumento machista. Parabéns, você ficou cega no momento em que escreveu “específica”.
            Não vou voltar aqui para ler resposta, porque esse blog é claramente um circlejerk.

      2. Bela

        Cintia, estupro de homens não acontece só em situação de guerra.
        O lance não está na mulher ser frágil, indefesa, está no homem que estupra para se achar em um papel de poder, dominância. E ele o faz com outros homens também. É um problema do violador, não da mulher ser “sexo frágil”, por isso é super comum com homens também (já trabalhei com isso), a gente só não fica sabendo tanto porque eles têm ainda mais dificuldade para falar do que as mulheres vítimas de estupro. Não é caso de zona de guerra, é caso da cultural machista.

        Responder
  28. José

    O texto tem como ideologia mostrar a insatisfação que as mulheres tem com cantadas OK! mas tem um porém. As mulheres independente de feias ou não, todas tem um ego e uma vaidade que querem mostrar para chamar atenção de alguma forma. Umas nas roupas, outras no corpo, outras pela própria postura. É uma uma coisa maaaaais do que nooormal o homem se interessar ou admirar por uma dessas opções. Não podemos nos esquecer que as mulheres também dão cantadas, as mulheres também olham, isso tudo gira e torno de um interesse que é normal. Claro que se tratando de toda forma violenta seja ela verbal ou física, nada tenho há argumentar sobre qualquer tipo de falta de respeito. Mas vale comentar que …
    Estarão as mulheres de hoje preparadas para receberem com bons olhos , os elogios pessoalmente ?
    Hoje em dia com o impacto que as redes sociais trouxeram as nossas vidas , muitos dos elogios “cara a cara” parecem que viraram uma ofensa . Sim , difícil entender a teoria de algumas mulheres . Elas se exibem constantemente , com suas roupas super justas , seus biquínis cada vez menores , corpo sarado , dietas , e caras e bocas . E só um elogio , o que deveria ser uma cena normal como antigamente , hoje e tido como falta de respeito ou coisa de outro mundo .
    APRENDAM A RECEBER ELOGIO APENAS COMO ELOGIO E PONTO !!!
    Ta cada dia mais comum esbarrar com mulheres com ego inflado e corpos sarados . E cada dia mais difícil encontrar mulheres com perspectivas de ter uma vida a dois.

    Responder
  29. Juliana M.

    Texto ótimo! Amei!!
    Como ressaltado no começo, ler os comentários em sites: morrer de raiva e sentir uma leve crise de depressão.
    Parabéns 🙂

    Responder
  30. Gabriela

    MEL DELS! Chocada com a quantidade de comentários absolutamente machistas e imbecilóides que o seu texto recebeu, o que só prova que vc tem toda a razão ao argumentar o nosso ponto de vista. É frustrante e desesperador…
    Parabéns pelo texto!

    Responder
  31. Pingback: Eu não sou a Monalisa!! | Não sou Exposição.

  32. Raíssa Vieira Teixeira

    Que estranho, pq será que os comentários mais idiotas são dos homens? É difícil ser mulher por culpa desses próprios homens.

    Responder
  33. Arthur Silva

    Eu fiquei mais de uma hora tentando escrever algo bacana, falando detalhadamente o que eu achei sobre o texto e sobre os comentários, mas decidi falar bem superficialmente e foda-se. Enfim… Não achei certo a forma como foi posta essa coisa do estupro no meio de um texto que aparentemente se tratava de cantadas de rua e machismo. Na verdade, esse foi o motivo de algumas discussões desnecessárias nos comentários, porque acabou misturando o homem sacana, que quer se aproveitar, com o cara que quer simplesmente conversar, o que é muito comum, independente do lugar. Essa coisa de “liberdade de ir e vir” não cola, sério! Se você se sentiu ofendida com algo que lhe foi dito, tenha atitude, tome suas providências. E não tem essa de “ah, mas o cara pode ficar irritado e partir pra cima”. Você ser mulher não é desculpa pra se sentir ameaçada, as mulheres só chegaram onde elas estão hoje, porque algumas foram fortes e não tiveram medo, assim como alguns grandes homens! A incerteza do que pode acontecer quando você sai na rua não vale somente para mulheres e, mesmo sendo (ou parecendo) mais frágeis, no mundo em que vivemos é difícil pra qualquer um dos sexos andar por aí se sentindo totalmente seguro. Bom, concluindo… Eu acho que acabou rolando uma confusão entre o cara que aborda numa boa e o cara mal-intencionado (as vezes MUITO mal-intencionado), mas é um perigo como muitos outros que todas as pessoas correm todos os dias.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Arthur. Realmente, deve ser bastante desconfortável ler um texto em que você se vê numa posição próxima de um estuprador. Acho bom que você tenha se sentido assim, isso é sinal de que você não quer ser esse tipo de homem… Infelizmente, estupro é uma coisa que acontece e que nos dá medo. E cantada é uma coisa que nos incomoda, nos desrespeita e nos dá medo também. E não estou misturando nada, essas duas coisas tem conexão. Ninguém aqui tá achando que “ser mulher é desculpa” para qualquer coisa. Mas a gente sente na pele, todo dia, como se fosse uma isca no meio da rua.

      Responder
  34. Ricardo

    Concordo com o texto, abomino homens desse nível. Mas me veio à cabeça uma pergunta pertinente: Com esse texto, você deixa bem claro que os homens são diferentes das mulheres, correto? Neste caso, poderia me explicar, sendo homens e mulheres diferentes, porque a maioria esmagadora das mulheres reivindicam direitos iguais?

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Ricardo. Acho que você não entendeu meu texto. Afinal, o que peço nele é exatamente direitos iguais. Queremos o direito de andar por aí sem sermos constrangidas. É pedir muito?

      Responder
  35. Gu

    Entendo completamente esse medo da mulher… Hoje em dia a violência e a insegurança estão completamente descontroladas! Mas isso são maníacos, bandidos e marginais…..
    Eu nunca faria nada parecido, mas involuntariamente, eu que sou solteiro, olho uma mulher bonita sem dúvida… Não fico olhando pra constranger, olho escondido inclusive, mas diria que é impossível não olhar, sinto muito…..

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Gu. Pois é isso que a gente pede. Que os caras que, como você, são gente fina e não querem nos colocar nessa situação, não façam gracinhas com a gente na rua…

      Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Rafael. Acho que você está confundindo “estupro” com “pedofilia”. Ambos são abusos e são terríveis, mas é uma questão de etimologia.

      Responder
        1. Decepcionada

          O que ela quer dizer é que pedofilia acontece com ambos os sexos apenas por serem crianças… Já o estupro acontece específicamente com nós mulheres em qualquer tempo da vida… Quantos homens adultos você já ouviu dizer que foram estuprados? Tá difícil a interpretação de textos por aqui, não?

          Responder
          1. Bela

            Por favor, parem de dizer que homens adultos não sofrem estupro. Isso acontece sim, e muito. E é um problema sério, e não ajuda em nada aos homens vítimas de estupro que vocês ridicularizem a possibilidade deles terem sido vítimas de estupro.
            Assim parece até que vocês pensam que mulheres são coitadinhas e que outros seres humanos não sofrem violência “porque não sabem como é a violência que as mulheres sofrem”.
            Se vocês querem reflexão e auto-análise por parte dos homens, maravilha, mas façam esse exercício vocês também. Olha o papel cristalizado de eterna “vítima” em que vocês estão se colocando… O mundo não é dividido entre vítimas e algozes, e esses papéis são intercambiáveis.

  36. Bruno

    Nossa, todos que tem uma opinião contrária a sua são machistas. Que pobreza de argumentação. Seria a mesma coisa que dizer que você escreve isso por ser recalcada. Será?

    Responder
  37. Bruno

    Não entro no mérito da questão porque não sou mulher e não fico de mexendo com pessoas alheias! Mas como disse um cara ali em cima, fato hipotético que concordo plenamente, ser for um “Brad Pitt” da vida, a reação seria totalmente diferente. Daí dá pra cada um tirar sua conclusão!

    Responder
  38. Roger Zao

    Me coloquei no lugar, e entendo perfeitamente. Talvez seja pelo fato de eu sair na rua, e ter medo de ser assaltado e etc e tal. Talvez o problema já venha até do próprio berço, respeitando seu pai e sua mãe, afinal, sua mãe é uma mulher e seria muito estranho ver algum a chamando de vagabunda, ou essas cantadas no qual já foram ditas. Mas certamente, não vou acusar o apenas o homem disso. Assim como vocês jogam a culpa em alguns homens, também posso chegar e falar que a culpa, é de algumas mulheres. Não essas que andam na rua, que vão trabalhar, ou que estão vestindo alguma roupa mais curta…e sim aquelas, que lá trás, não se deram o respeito. Digo isso por que? Homem, é um bicho, que algumas vezes é burro, e ele acha que a mulher, assim como ele, quer curtir o resto da vida. Ou seja, porque ele saiu com algumas “vagabundas”, ele acha que toda a mulher é vagabunda.

    E sobre aquela “checada”, como dizem, olhar não arranca pedaço. Olhar, todo mundo olha, como mulheres olham para outras para verem o que estão vestindo, homens dão aquela checada, mas não é por isso que vão sair estuprando…Mulher se veste para ficar bonita, e se é para ficar bonita, porque caralhos não podem olhar? Quanto mais curto suas roupas, mais homens e mulheres vão olhar. O homem, tem aquele instinto de ver, então, não nos culpe. Já houve ocasiões, de eu me pegar olhando para um rabo de saia…

    Mas enfim…
    Existem homens e homens com pensamento de muleque. Não nos julguem por causa de alguns, e sim por um todo, afinal, você vai se casar um homem ou com um “muleque”?

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Roger, respeito não é algo que as pessoas devem “se dar” ou “fazer por merecer”, mas algo que temos o dever de ter com o outro, não importa a roupa que esteja usando, nem com quantas pessoas transou. Vou te falar algo que pode ser novo para você: as mulheres não saem na rua para serem admiradas, sabia? Às vezes, a gente só quer ir à padaria, andar no parque, atravessar a rua, como qualquer ser humano normal.

      Responder
      1. Daniel

        Mas quando elas fazem questão de utilizar uma certa roupa porque acha mais bonita e demarca melhor suas curva, o homem não tem culpa de achar o mesmo e querer admirar.

        Responder
      2. Bela

        Concordo com a Cintia, e digo mais: A pessoa não se dá ao respeito então eu não devo respeitá-la? Acho que uma ótima forma de ajudar a pessoa a se respeitar é demonstrando que eu a acho digna de respeito.

        Responder
        1. cintiacosta Autor do post

          Oi, Bela. Respeito não é algo que as pessoas precisam fazer por merecer. É um dever seu e meu respeitar as pessoas, independentemente da roupa que está usando.

          Responder
  39. Lucas

    Concordo com o texto, bem, com quase tudo, você só ignorou um pequeno detalhe.

    “Pare de virar o pescoço pra checar a bunda de cada mulher que passar por você. O corpo de cada uma é de cada uma, e não seu. Elas não saem de casa para serem avaliadas pelos homens.”

    O instinto masculino nos faz olhar o corpo de uma mulher, não é o estigma de macho, reafirmação de masculinidade ou qualquer coisa do tipo, é algo biológico. Claro, há um abismo entre simplesmente olhar e desrespeitar, seja verbalmente ou fisicamente, porém é ingenuidade querer impor algo do tipo.
    Demandar respeito é essencial, há ainda muito desrespeito com as mulheres em geral, o desrespeito exarcebado, porém demandar mudanças de comportamentos instintivos não invasivos é um pouco demais.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Lucas, esse papo de “instinto” é a maior falácia. Sentir atração por outras pessoas é normal, concordo. Mas não conseguir segurar o “impulso” de fazer uma gracinha é, sim, desrespeito. Não sou só eu, veja quantas mulheres aqui dizem que não gostam de cantadas…

      Responder
      1. Daniel

        A gente está defendendo o nosso instinto de olhar, não o de fazer alguma gracinha, não pode misturar ou manipular o que foi dito. Não é nenhuma “falácia” esse instinto. Isso acontece tanto aqui quanto na China.

        Responder
      2. Vitor

        Dou risada Cintia, quando vejo você tanto pregar que nós homens nao estamos na pele de mulheres para comentar sobre como vocês se sentem, e ao mesmo tempo tem a cara de pau de falar que nosso argumento de “olhar por instinto” é falácia, filha, você ja foi homem por acaso? O mesmo vale pra você. Agora, comentando como homem que abomina cantadas ameaçadoras, e que de vez em quando da uma olhada pra bunda das mulheres, é de uma hipocrisia enorme você dizer tudo isso, sendo que com certeza ja ficou olhando alguem que achou atraente na rua, mas afinal, uma mulher medir um homem dos pés a cabeça pode, afinal vocês são inofensivas, mas um homem olhar uma mulher é sinal de ameaça e invasão.
        Piada, ja esperava isso de um texto feminista, mas esperava que tivesse sido argumentado de forma mais inteligente, no minimo abordando aspectos psicológicos da coisa, e não um aglomerado de palavras colocando mulheres como vitimas do sistema, e homens que olham uma bunda como potenciais estupradores.
        E ainda mete o migué que se fosse um “Brad pitt” acharia nojento ser cantada da mesma forma, filha… Só por ser ele , seu sub consciente e “instinto primitivo”(que segundo voce são falácias, afinal quem é a ciencia perto da sua pagina de internet) agiriam sobre você de tal forma que você ia mudar de opinião rapidinho…

        Texto absurdamente feminista e autoria hipócrita, fico por aqui.

        Responder
  40. zequita

    ahh, seila, meio zuado esse texto, concordo com algumas coisas,
    e agora eu nao posso elogiar mais, pq vou querer violentar a rapariga? hahaha

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Zequita. O que digo no texto e as mulheres que aqui comentaram estão dizendo, e que você não está entendendo, é: cantada não é elogio, é desrespeito. Um dos muitos que nós sofremos diariamente.

      Responder
  41. Tiago

    Olá, Cintia.
    Procurarei reiterar aqui algumas considerações que foram feitas por outros leitores e que percebi que você não respondeu.

    Eu entendo que “cantadas de rua” (que já é um gênero específico), passar a mão sem consentimento e outras coisas são no geral violência. Piadinhas também podem ser cruéis.

    Agora, sobre a questão do olhar, é meio preocupante essa posição de textos feministas que PARECEM exigir uma certa neutralidade do olhar do homem. Ora, eu posso sair para ser avaliado ou não, mas o fato é que serei avaliado sexualmente por olhares quer eu queira, quer não. ´

    Serei avaliado por homens e mulheres que notarão meus ombros, rosto, postura, caminhar, braços, bunda… É importante marcar que a mulher deve ser tratada como sujeito a principio e como objeto apenas se houver consentimento e, portanto, com mais respeito? É. Mas exigir que os homens não avaliem já é quase que uma ingenuidade.

    Podem pedir que se contenham no olhar, mas que não avaliem, isso aí não se pede de ninguém, pois o ser humano avalia (valora) o tempo todo, sexualmente e de outras formas.
    A diferença do olhar interessado da mulher para do homem é que o da mulher é mais contido, mais polido, mas é interessado e avaliativo, mesmo quando eu não quero que seja.

    Eu sei que posso estar falando na verdade o que é um pressuposto; mas penso também que os textos feministas pecam na pedagogia. Eles são bons em provocar, mas muito ruins em ensinar o homem.

    Ora, não adiantam provocar o homem dizendo que x e y não é respeitoso, pedir para se colocar no lugar das mulheres, mas não fazer as distinções didaticamente de forma a mostrar pra eles o seguinte: quer aprender como se faz? Vá por aqui, nós queremos que seja mais desse jeito, e não desse outro jeito…

    “Não é nossa obrigação ensinar nada”. Bem, pode até não ser, mas eu acho que se o feminismo quer realmente proporcionar alguma mudança cultural de maneira a diminuir o machismo, deve sim ser pedagógico com os homens. Porque acreditem, qualquer homem que admire mulheres quer aprender como se interessar sem desrespeitar.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Tiago, meu caro, você parece um cara legal e genuinamente interessado em aprender como não ofender as mulheres quando sua intenção é justamente o contrário. Pois acredite quando a gente diz que virada de pescoço é algo ofensivo. Não sou só eu dizendo. Converse com as mulheres que você conhece um dia e ouça da boca delas. Porque existe uma diferença entre olhar e se expressar fisicamente (virar o pescoço, fazer algum gesto, mandar beijinho) ou passar uma cantada, que é o que nós consideramos invasivo e que nos incomoda. Sobre nosso papel como feministas, você acertou: estamos aqui para provocar a reflexão e a conversa, não para “cagar regras”. Beijos

      Responder
      1. Tiago

        Cintia, obrigado pelo reconhecimento de que eu tenho interesse no respeito.

        Veja, você acabou de fazer o que achei legal para você fazer: mais algumas distinções. “Porque existe uma diferença entre olhar e se expressar fisicamente (virar o pescoço, fazer algum gesto, mandar beijinho) ou passar uma cantada, que é o que nós consideramos invasivo e que nos incomoda”.

        Distinção legal e pedagógica. O que quero dizer com isso?

        Ser pedagógico não significa “cagar regras”. Se fosse assim, a educação se resumiria a ficar “cagando regras”. Pedagogia e educação não é isso. Ser pedagógico significa orientar, orientar para o que seja esse respeito que vocês querem. Eu falo isso de um ponto de vista pragmático: me parece muito mais inteligente ser pedagógico nessa questão do que apenas provocar, ainda que a provocação seja essencial. Apenas dizer o que é errado é distinto de apontar uma orientação, mesmo que contingente, para o que é o certo.

        E eu acho as duas coisas úteis nesse caso porque sim, muitos homens embebidos na cultura machista (inclusive eu) recebem essa provocação e ficam: “tá, mas eu não sei o que é o certo então. Certo é não se aproximar, não falar nada, não demonstrar interesse?”. É uma coisa meio burra essa postura, mas, dentro de uma ideologia, parece que quando ela é desmontada não há saída. Ao tirar alguém de uma ideologia, é bom adicionar perspectivas positivas alternativas. “Cagar regras” seria impor uma outra ideologia, o que vocês tem feministas tem razão de não querer fazer.

        No mais, o meu entendimento hoje é que abordagem de homens a mulheres envolvendo interesse sexual deve passar por três crivos: respeito à mulher como sujeito de direitos invioláveis, respeito à ideia de consentimento, e respeito à conveniência, pois nem todo uso da linguagem é conveniente em todo contexto.

        Responder
        1. Dayanne

          Muito pertinente seu questionamento, Tiago. Vou te dar exemplos de situações por quais eu já passei pra tentar ilustrar.

          Eu também detesto as tradicionais cantadas de rua, como o “ô lá em casa”, “ô delícia”, “gostosa!” e afins; essas cantadas causam um misto de raiva, vergonha e medo, como foi mencionado no texto e nos comentários. Raiva por ter seu espaço invadido de forma grosseira. Vergonha por ter sido ridiculamente exposta. E sim, medo. Medo de reagir e a agressão verbal se tornar física. Medo de ser perseguida. E é por isso que sempre calculamos as rotas previamente, com o intuito de evitar locais com maiores chances de cantadas.

          Porém, certo dia eu recebi uma cantada diferente. Eu estava numa livraria e um rapaz me abordou dizendo: “Boa tarde, moça. Eu só vim aqui te dizer que você é linda. Acho que às vezes é bom a gente ouvir isso.” Repare que ele não gritou “ô gostosa!” do outro lado da livraria. Ele não falou comigo com aquele olhar de “te chupava inteira”. Ele cruzou o corredor, falou apenas pra mim e com um sorriso. E sim, ele estava certo! É ótimo ouvir isso! Eu simplesmente agradeci com um sorriso e ele se afastou. Não trocamos telefone, nem sequer sabemos o nome um do outro. Mas foi um elogio que eu gostei de receber, porque o cara agiu de forma natural e foi muito respeitoso. Entende a diferença?

          Não sei se vale pra todas as mulheres, mas eu gosto quando me abordam pra conversar, seja na faculdade, seja no parque, seja na balada. Cantada pronta é triste.

          Responder
  42. Allan

    Pode até ser que 10% do seu texto tenha coerência, mas não todo o restante.
    Fala tanto de machismo com um texto extremamente feminista que diz que todas as mulheres odeiam serem admiradas e todos os homens são potenciais estupradores.
    Dispensa mais comentários né?
    Vá se tratar…

    Responder
  43. Francisco Mossri

    Muito bom! Nós homens temos que aprender que a única opinião válida em casos como esse da cantada, que é sempre uma intromissão no espaço social de uma pessoa, é a da própria pessoa que sofre a intromissão. Acho muito engraçado, porque os mesmos machinhos que acreditam que a cantada não é um problema, por ser um elogio, se ofenderiam grandemente de sofrer uma mesma cantada de um cara. Mas uma cantada não é elogio? Um homem elogiando outro homem é mais ofensivo do que o que elogia uma mulher por que? Porque está subentendido que o outro homem não está interessado? Então, está subentendido que a mulher que sofre uma cantada está interessada? É obrigação de uma mulher se sentir elogiada, ou se interessar por qualquer homem que por ventura possa achá-la bonita?
    A esses “cavalheiros”, esses tão pró-ativos “cidadãos de bem”, tão interessados em prontamente defender aqui uma prática que não lhes diz respeito, sugiro esse pequeno curta, muito interessante:
    http://www.upworthy.com/a-french-film-showing-men-what-being-a-woman-feels-like-kinda?g=2

    Responder
  44. Julio Gregorio

    Bom… Só vejo caras aqui comentando merda, “homens” que na maioria das vezes não conseguem se colocar no lugar da própria mãe quando um tarado, no ponto de ônibus, mostra o pau pra ela.
    Ai entra aquela coisa de : “ah mas se fosse com a minha mãe, eu matava o cara, e bla bla bla…”, mas ninguém pensa no outro como alguém próximo. Essa questão já é além de sexismo, é uma questão de que o ser humano é egoísta ao ponto de ignorar o sofrimento do próximo, apenas por não conhece-lo.
    Claro que a educação vem desde a infância ensinando a respeitar independente de sexo, raça, cor, sexualidade, religião, origem e o caralho a 4.
    Mas infelizmente é uma coisa que, hoje em dia, não existe mais. Só vemos aquele pai que ensina o filho que ele tem que comer todo mudo e já era, e não um pai que ensina a respeitar as mulheres como semelhantes, pois independente de tudo, SOMOS O MESMO SACO DE CARNE QUE VAGA NA TERRA SEM DIREÇÃO !

    Responder
  45. Brenda

    Ótimo texto!
    Lembro que quando mais nova, com 12 (!!!) anos de idade aproximadamente, odiava sair na rua… Justamente pelos comentários indecentes que muitos homens mais velhos faziam.
    Um outro fato que me marcou muito, foi uma vez que xinguei o cara, hahah Ele me seguiu durante uma semana por isso, pois era o caminho que eu fazia para ir a escola.
    Triste é termos que aceitar, e acharem que é normal esse tipo de coisa.

    Responder
  46. Leonardo

    Queridas e queridos eu, também, sou totalmente CONTRA quaisquer que sejam as violações pessoais tanto de homens quanto de mulheres, sejam elas praticadas por homens ou por mulheres.

    Agora no fim do texto você fala sobre o olhar… Bem ai está um enorme exagero, eu como homem tenho de ter a minha liberdade de olhar para quem quer que seja como eu quiser. Não estou invadindo a liberdade de ninguém, tão pouco lhe assediando ou então lhe molestando, estou apenas olhando. Se concordarem que homens não podem mais olhar com desejo, desprezo, surpresa ou quaisquer que sejam os sentimentos carregados no olhar, logo estarão querendo cercear as liberdades vinculadas ao pensar.

    Pelo fim ao assédio, estupro e demais invasões !!!

    mas por favor, permitam-se serem observadas.

    Um abraço e parabéns pelo blog.

    Responder
  47. Helena

    Olá Cintia,
    Adorei o texto! Li parte dos comentários e acho que tenho sugestões para você!
    Acho que a maior parte das confusões ocorre, em primeiro lugar, porque inverter a situação é praticamente impossível, já que por questões físicas, a mulher não conseguiria conter um homem para estuprá-lo (apenas um exemplo, claro).
    Em segundo, porque muitos homens não sabem que são ou possuem uma opinião machista. E isso ocorre pela criação cultural, a de dentro de casa, pois não apenas homens são machistas, mas as mulheres também.
    Me citando, por exemplo: tenho um irmão mais velho. Eu sei cozinhar, lavar, passar, cuidar da casa, cuidar dos cachorros, etc. Se meu irmão souber fritar um ovo, ou conseguir tirar o prato da mesa depois do almoço, é muito. Porque minha mãe é machista. Ela possui aquela ideia de que o homem tem que trabalhar e a mulher cuidar da casa, assim como muitas mulheres.

    Assim, voltando às sugestões:
    Quanto às cantadas, tente inverter a situação de modo a causar algum medo psicológico aos homens. Por exemplo, levar uma cantada de um grupo de gays “bombados de academia”, no meio da rua, à noite, sozinho. Ou ouvir a filha de 15 anos reclamando que o vizinho da rua chamou ela de “gostosa”.
    E se possível, tente explicar (em algum outro texto, um dia, se tiver vontade haha) que as mulheres também são machistas, não é apenas uma reclamação de mulher contra homens. É uma reclamação de mulheres contra a sociedade em que elas vivem.

    Responder
  48. Rey

    Eu entendi o texto mas há um pequeno trecho que me soa ofensivo contra nós homens:

    “…Pra isso, basta oportunidade. Uma rua sem saída, um lugar deserto e um cara com tesão.”

    Passa a impressão que qualquer homem na situação descrita acima esta apto à cometer violência sexual.
    Um homem de bem por mais que se encontre nessa situação extrema não vai cometer um crime do tipo. Situação extrema pq não é o fato de olhar uma mulher e ter atração que vai fazer homens normais ficar com puta tesão. Existe essa crença que o homem fica com tesão instantãneamente só por olhar uma mulher na rua.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Rey. Infelizmente, estupradores não são pessoas doentes, com desvios mentais. São pessoas que se acham no direito de abusar de uma mulher se ela estiver usando “a roupa errada”, andando sozinha “no lugar errado”, “na hora errada” e se agir da “maneira errada”. E quando a gente se vê numa situação perigosa, como numa rua sem saída com um desconhecido fazendo gracinha, a gente não tem como saber quem é aquele cara e quais são suas intenções. E isso nos causa medo e revolta.

      Responder
  49. diego

    verdade, mas pra que vcs (algumas mulheres ) andam com roupas que parecem estar nuas ? vc escreveu que não era pra nos (homens) entao pra quem e?
    sou contra o maxismo e quem estruma tem que morrer! mas mulheres estão se vestido dês de criança como prostitutas. não pasta ser gostosa concordo , mas se querem mexer com a cabeça de um homens, que seja do seu namorado marido amante etc.
    Acho meio ipocrita isso que homens não sabem oq a mulher gosta sobre cantadas, isso q vc escreveu e so pra algumas , grande parte se veste assim por 2 motivos um bomba gíria, e pq querem que mexam para ser ego subir , e se sentir gostosa!

    adoro mulher, pra mim e o ser mais belo feito por Deus, so que a maioria não se valoriza ou não se guarda !

    Responder
  50. Aurelia

    O pior é que acabamos nos acustumando com isso e achando normal.
    Conversando com um menino israelense fali desse costume no Brasil, de andar e saber que tem algum homem olhando para sua bunda, até motoqueiros ja viraram a cara de onde deviam estar olhando para conferir a “cara”, porque a bunda devia ter visto antes..
    Aqui na Inglaterra não senti isso o que sinto normalmente no Brasil, dando uma falsa segurança, visto que teve notícias até de homem estuprado num parque da minha cidade, porque isso não acontece apenas com o nosso sexo, embora seja maioria dos casos.
    Site da notícia: http://www.dailyecho.co.uk/news/10736154.Police_step_up_hunt_for_Southampton_Common_sex_attacker/?ref=rc

    Responder
  51. Thisgo

    “Porque estupro é um crime típico do machismo. É uma violência específica contra a mulher.” – O nosso código penal discorda de você. Tudo bem, é muito mais comum ocorrer estupro contra mulher, mas homens também sofrem violência sexual e não são poucos.
    “É para mostrar quem manda e quem é o objeto.” – eu duvido muito que essa seja a motivação de algum estuprador. Nos EUA 61% dos estupradores presos no período de uma pesquisa já tinham passagem pela polícia. Eles são os criminosos que mais relatam ter sofrido violência sexual ou abuso na infância. As razões da violência sexual são mais complexas, não podemos justificar todos esses crimes apontando o dedo pro machismo.
    *Fonte: Bureau of Justice Statistics

    Tirando esses pontos, eu concordo com você. Cantada é uma coisa desagradável que infelizmente muitos homens fazem, mas acho exagero dizer que quem passa a cantada vê a mulher como objeto. Acho que é uma bobagem, uma coisa que o homem faz sem pensar.
    Ainda assim, eu não mexo com mulheres na rua, em parte por timidez, admito. Mas também porque sei que mulher tem direito de sair de casa e não ser constrangida por um estranho.

    Responder
  52. mateus

    cara cintia,
    achei muito bom esse texto, sou homem, e no mundo masculino, quem não faz isso é, muitas vezes intitulado de gaz ou frouxo. Eu como crente e filho de Deus, não o faço, pois além de ser feio, luxuria é luxuria. Nunca gostei de andar na rua ver uma mulher, e logo atras um ou mais homem olhando com indecencia pra ela. Mas o ponto de vista feminino sobre essa questão não sabia. Achei otimo saber, pois sempre achei que elas não ligavam, mas é verdade. Tenho uma mãe que é mulher e detesto que ela ande sozinha de noite. Pelo mesmo medo que a maioria das mulheres tem, estrupo. Gostei muito do artigo, acho que você deveria postar nas redes sociais. Pois as mulheres não são respeitada. Tem meu total apoio. abraços, mateus 🙂

    Responder
  53. Jean

    Texto totalmente generalizante o que leva tudo por água abaixo. Reduzir a abordagem de rua como algo pejorativo em si mesma é a mesma generalização de que todo político é corrupto. Generalizações não possuem poder argumentativo sustentável. São casos e casos. Abordar uma mulher na rua de forma respeitosa é válido.

    Responder
  54. Katherine

    Lindo! Sério! Adorei, mas acho que podia pelo menos falar da parte “uzomi também sofre estupro”, já que isso pode levar comentários idiotas dos mesmos.

    Responder
  55. Otávio

    eu entendi o texto, não se trata de que todo homem cantador ser estuprador potencial, mas sim do medo que a cantada passa para a mulher. Afinal, ela não te como saber se é algo inofensivo ou não.

    Mas existe uma coisa que a maioria dos argumentos feministas ignora que é biologia e a natureza sexual do ser humano, eu não me considero um feminista mas devo me considerar machista por olhar para uma mulher bonita? uma mulher argumentar que agiu de uma determinada maneira por estar de tpm é normal – hormonios! – eu me aproveito desse argumento biológico e digo que dou aquela olhada(só olhada mesmo,não canto mulher na rua nem comento quando passam por que não é do meu caráter agir de tal maneira) por causa dos meus hormonios tambem, me desculpem mas ao menos isso é da natureza.

    Responder
  56. Homem

    Mulheres, mulheres, mulheres. Me desculpe pelo que direi mas assim como tem aquela que abomina e teme o homem que a elogia, também tem aquela que adora estar andando na rua e acabar ouvindo um homem comentando com o amigo: “nossa, aquela é sensacional!”

    Responder
  57. Fellipe Aguilar

    Olha, eu sou totalmente contra quase 100% do que a autora disse, porém, há duas coisas que me intrigam:

    1ª) Em que classificação fica a abordagem em um bar, em uma casa noturna, em uma festa, se essas abordagens na rua (com razão) são classificadas como uma invasão e violência à mulher?

    2ª) Eu, quando olho a bunda de uma mulher, tento ser o mais respeitoso possível, mas digo que é quase impossível deixar de fazê-lo. Me digam: Quando vocês acham algo atraente, vocês não observam e admiram? Acho que sim, como nós, os homens. Quando vejo uma moça que me atrai, automaticamente, se tiver a oportunidade, vou olhar para a sua bunda, porque é uma das partes que mais gosto no corpo feminino. Que problema há nisso? Se a gente não dissesse que é a bunda, mas sim as panturrilhas, vocês iam reclamar? Claro que o meu espaço termina onde começa o do outro, portanto, só posso olhar sem o consentimento da pessoa em questão, mas posso.

    A maioria das mulheres também tem um critério de avaliação do corpo masculino, não porque sermos hipócritas. Umas avaliam pela altura, outras pela largura dos ombros, e conheço casos de mulheres que gostam e avaliam tanto os homens pela bunda como os próprios avaliam-nas. A questão é que a grande maioria dos homens leva em consideração a bunda e as mulheres tem um gosto variado. Moças, desculpa, mas adoramos bundas, não conseguimos deixar de olhar.

    Responder
  58. Fellipe Aguilar

    Desculpem-me, ficou confuso o início do meu comentário. Eu sou quase totalmente contra as atitudes citadas pela autora e quase totalmente a favor do posicionamento da autora.

    Responder
  59. Machista insensível

    O que as mulheres não entendem sobre medo,
    Nenhum homem está alheio do medo constante e patético de estupro que as tão fortes e brava feministas sentem constantemente. Eles apenas não vêm legitimidade nenhuma nele. “O medo é seu, a culpa não é minha”. Se você é uma dondoquinha que não pode ouvir um assovio na rua sem tremer as perninhas de desespero, você não deveria ser uma feminista, deveria ser uma dona de casa bem convencionalzinha, protegida por um maridão machista. Lutaram pela igualdade, pois bem, conseguiram. Agora o mundo exige de vocês a mesma coragem e auto-suficiência que sempre foi esperada dos homens dez de sempre. “Tá com medinho de andar ná rua é? És um homem ou um rato” Homem só tem medo de assalto? Que tipo de piada é essa? Morrer não é pior que estupro? Ficar paraplégico? Ou ser estuprado mesmo?
    Nesse choro interminável de quão cegos os homens são as dores do universo feminino, deixam de perceber o quão cega são vocês próprias do universo masculino. Homens aprendem já na infância a não reclamar de medo, ou insegurança, ou injustiça, ou o que seja. Ninguém dá atenção a quem faz isso, uma pessoa assim parece fraca e exigente. Um homem aprende que a responsabilidade é dele de aprender a lidar com aquilo que o incomoda. É mais nobre aperfeiçoar-se para melhor lidar com o mundo do que ficar batendo o pé exigindo que o mundo seja mais bonzinho com você. Se o filho está com medo de estranhos na rua, logo o pai põe na aula de Karatê. Se a menina tem medinho, papai passa a mão na cabeça e dá dinheiro para o taxi. O homem que te dá cantada, não vê porque se preocupar com o teu medinho de estupro, porque quem tem que resolver ele é você. Ele já teve medos parecidos um dia, e ninguém quis ouvir os seus lamentos, quem sabe a melhor resposta que ele conseguiria com um mimimi desses seria ser chamado de bixona. Moças, se querem ser tratadas como fortes e independentes, que tal o ser de fato?

    Responder
  60. Luli

    O que os homens não entendem é que o problema é muito maior do que receber um elogio ou uma cantada na rua, e sim o medo que as mulheres sentem de serem violentadas, e todos sabem que hoje em dia tem maníaco pra tudo. Eu, particularmente, sempre que recebo uma dessas cantadas, além de me sentir extremamente incomodada, sempre olho para trás para ver se o cara continua onde ele estava ou começou a vir atrás. E eu honestamente não entendo qual é a intenção dessas cantadas, esses homens esperam que a gente vire e comece a conversar com ele só porque ele grita um “gostosa” ou um “ô lá em casa”? Homens, gostosa não é um elogio tão bom quanto parece. É compreensível que vocês usem pra falar entre si, mas usar isso como um elogio diretamente a uma mulher desconhecida, é no mínimo ridículo. Isso é humilhante para as mulheres, não tem a ver com machismo ou feminismo, tem a ver com o respeito ao próximo e bom senso!

    Responder
  61. Marcelo

    Esse pessoal fala que é impossível não olhar…. que comodismo não? é totalmente possível não olhar… mas é muito mais fácil e agradável olhar… e claro… pra nós homens, foi ensinado que olhar é permitido e até mesmo esperado e aprovado por outros homens… até porque se um não vê os outros falam pra olhar.
    Se bem que o olhar, no caso da experiencia feminina como as mulheres comentam causa desconforto e invasão… logo a princípio não deveriamos olhar… porém ficarei com meu benefício e continuarei olhando. Sobre o medo do estupro acho interessante colocar aqui que é real, até porque um simples oi de um desconhecido já causa medo, embora minhas “abordagens de rua” nao tenho sido mal sucedidas… mas é claro discurso academico de pesquisa comportamental dá uma enrolada legal pra um simples oi de desconhecidos. Sobre o medo feminino das consequencias que poderiam acontecer caso uma mulher enfrentasse um homem… acho bastante complicado, porque a maioria masculina realmente vê as cantas de rua como algo ” inofensivo” e “elogio” como a maioria dos caras disse nos comentários, no caso , concordam. Embora eu não concorde com as cantadas de rua, não considero que esse comportamento de medo de enfrentar porque “ninguem vai proteger” muito relevante, mas tambem gostaria de saber mais casos de mulheres enfrentaram… claro que considero essa questao de força fisica e intimidação… mas acho que pra enfrentar talvez fosse mais interessante estar em um “ambiente seguro” onde a probabilidade de o cara achar ruim e partir pra violencia seja menor… mas bem, alguem com experiencia no enfrentamento?

    Responder
  62. Gabriel

    Concordo com tudo, exceto pelo “não virem seus pescoços para olhar”
    Rídiculo, se eu gosto eu olho. Agora tenho q andar de tapa-visão?

    Tá certo que DESCARADAMENTE continua constrangendo, como um cara q vi dando quase uma pirueta pra olhar pra trás. Mas sendo discreto, deixa ele.

    O ponto é, é NATURAL do homem se atrair mais pelas mulheres do que as mulheres pelos homens. O que tem que haver é o bom senso de não constranger, mas do mesmo jeito que vocês querem que nos coloquemos em vossos lugares, se coloquem no nosso.
    Uma garota gostosíssima, daquela que provoca até a testosterona do seu cabelo, passa na sua frente e você tem q olhar pro céu?

    AAAAAAAAAAAAAAH, TE CONTAR VIU.
    Tudo o que é bonito nos prende a atenção, se você fica horas olhando um quadro de picasso, é porque lhe instiga.
    Sua bunda tbm nós instiga bastante.

    Quer definir instinto como uma doença? Fiquem à vontade, vão lutar no vácuo sem força pra dar soco. Mas contra agressões verbais, concordo.

    Segundo uma pesquisa de uma universidade canadense, a maioria esmagadora de mulheres gostam de ser ‘dominadas’ na cama. Já a MINORIA dos homens gostam. Repensem.

    Responder
  63. Gustavo

    Na moral, abordagem verbal ou fisica, sim, nós homens devemos evitar, mas olhar que mal tem? Mulheres, pelo menos as mais abertas e chegadas a mim, falam sem problema algum sobre minha bunda e ficam olhando… do mesmo jeito quando vejo alguma mulher bonita de rosto gosto de ver seus olhos e quando vejo a “boazuda” gosto de dar aquela olhadinha, sem mal algum. Porem, mulher de coraçao puro sao poucas, digo e assassino em baixo, se é o gostosinho que solta aquela trova, ja dao uma rizadinha, se é a porra do velho feio chinelo, que ate uma mulher apanha, aí é aquele escandalo. Repito, tem muito homem safado por aí mas é elas por eles, porra, mulher é santa desde quando? Quando algum inseto for estrupar alguma mulher, nao vai ser pela brincadeira (de mal gosto, claro) que fez ou deixou de fazer.

    Responder
  64. Bruno

    Então ficaremos todos sentados sem nenhuma interação… aí qd uma mulher quiser ser cobiçada ela ira enviar um e-mail para um homem dizendo que este poderá se aproximar dela.. por favor!!! Pelo menos 90% dos caras com quem você saiu deram em cima de você e você saiu com eles porque você quis, não cuspa para cima minha querida… Comparar uma aproximação educada com estupro ou abuso é simplesmente ridículo…

    Responder
  65. Marcello Teixeira

    Pro tipo de pessoa que sai em uma marcha que se chama “Marcha das Vadias” e usam termos como “a boceta é minha eu dou pra quem quiser”, é um texto bastante hipocrita. Abusos em geral são repugnantes, mas olhar e uma cantada normal e sem agressões verbais? Daqui um tempo vão querer proibir o cara de chegar numa mina pra se conhecerem. Texto bla bla bla.

    Responder
  66. Carlos

    1. Estupro não é um crime típico do machismo. Machismo é agir como homem, defender e honrar valores masculinos. Estuprar é agir como um psicopata, pessoa necessitada com complicações psicológicas. É sim típico de um homem que não consegue transar de outra forma.

    2. E as cantadas que eu tomo na rua, dia-sim-dia-não. Como é que fica, mulherada?

    Responder
  67. ZecaAraujo

    Vi esse link no perfil de uma amiga e me interessei em ler. Se as mulheres estão falando sobre algo que fazemos direcionadas a elas, é sempre bom conhecer sua opinião e aprender.

    Demorou, mas apareceram alguns homens reconhecendo o óbvio. Não é machismo dizer que as mulheres exageram ao falarem de seus medos ou mesmo afirmar que a elas basta reagir. É estupidez mesmo. Porque medo é algo pessoal. Se você não sente medo de algo e alguém sente, ok. É assim que funciona o mundo. Se alguém tem pavor de altura você respeita, não coloca ela na sacada do vigésimo andar e manda encarar.

    Mulheres tem medo ao serem abordadas assim, seja por uma cantada, por um assobio, um olhar ou uma inocente “perseguição” porque ao contrário do que os espécimes especiais de masculinidade expressaram por aqui, estuprador não é um perturbado, doente mental, estuprador é um homem (nesse caso em específico). Eu, vocês, seus vizinhos, somos todos potenciais estupradores, principalmente ao olhar de quem não nos conhece. E isso porque somos na maioria das vezes mais fortes que elas, uma potencial ameaça. Já que tantos citaram instintos e natureza para justificar um monte de baboseira, recorra à natureza para entender isso: somos um espécime mais forte, e sendo assim, ameaçadores até que se prove o contrário. Esse comportamento de cantada de rua, esse olhar que “come” a mulher quando ela passa, vindo de um desconhecido, transmite uma mensagem de risco e perigo, é isso que elas estão falando. “Me olhando desse jeito, ele pode me fazer um mal”. Essa é a relação entre esse comportamento e uma violência sexual. Porque em essência um homem tem o potencial, físico (força física), para cometer uma violência. Se você é um sujeito que jamais faria isso, como ela vai saber? Ela não te conhece. Para ela você é um estranho com potencial. E esse comportamento de cantada de rua transmite a ela a mensagem do que você pode e está disposto a fazer. Você está incomodado como homem? Ok, é isso que o texto está dizendo. Você está transmitindo a mensagem errada. Não sejamos hipócritas. Quantos de nós não dobramos os esforços, fomos buscar a irmã, namorada, amiga, na faculdade, no trabalho, na rodoviária porque é perigoso que elas venham sozinhas? Quantos não tememos que um estupro acontecesse? Quantos não evitamos que uma namorada fizesse algo sozinha por sabermos dos riscos que existem? Sem hipocrisia. E esse argumento de que se fosse o Caio Castro… Sinceramente, não acho que faria diferença, não. A questão é se sentir segura, e essa sensação vem do respeito que você, homem, demonstra. Não importa se é o Brad Pitt ou Caio Castro. Até porque, bonito ou feio, um estuprador sempre será repugnante e feio para a vítima.

    E porque nós, homens, não nos sentimos ameaçados quando percebemos que uma mulher nos observa? Porque sabemos que ela não pode nos fazer mal, que é mais frágil. Já vi muito machão partir pra porrada quando a cantada vinha de outro homem. Aí sim, esse instinto, o de preservação, falou mais alto.

    Não é normal, não, cantar alguém na rua. Eu nunca gostei da ideia, tanto que nunca cantei ninguém. Cantar alguém sempre me pareceu vulgar. Tanto que não me recordo de ter sequer me envolvido com alguém que fosse uma desconhecida porque partindo desse princípio, quando alguém me interessou sempre tratei de estabelecer um contato, um diálogo, um conhecimento, até para saber se o interesse é verdadeiro já que interesse apenas na “embalagem” é superficial e sim tratar a mulher apenas como um objeto é uma forma de violência e não só, desmerece você mesmo, homem, como homem. Se você quiser tratar uma mulher como objeto apenas para seu prazer sexual, compre uma playboy e se masturbe, será melhor para ambos. Estar com uma mulher é muito mais do que estar com um par de pernas, de peitos, de bunda. Uma mulher é uma pessoa completa e fascinante e como toda pessoa, pode lhe proporcionar muito mais do que apenas sexo. E cantada nenhuma irá lhe proporcionar isso. Alguma mulher se tornou sua mãe, outra pode se tornar sua companheira, mãe dos seus filhos. Sempre haverá mulheres em sua vida que serão a parte mais importante dela. Logo, todas elas, tem o potencial para tal, senão para você, para alguém. Tente pensar nelas mais do que como uma boneca inflável.

    Não vi mulher nenhuma aqui se posicionando contra a abordagem masculina, apenas contra a abordagem masculina errada. E se nós, homens, não podemos entender e aceitar isso é porque, sinceramente, não somos pessoas que nos garantimos para fazer algo diferente e melhor do que cantar uma “fêmea”.

    E mais: mulher não tem que se dar o respeito. Respeito é algo que nós temos que exercitar diariamente pelos outros. Respeite seus pais, seus amigos, suas amigas, as mulheres desconhecidas, os idosos, as crianças. Respeito é a base da sociedade.

    Quanto ao olhar, mais um monte de barbaridade. Instinto incontrolavel, desejo animal, provocação feminina… Sou homem, hetero, e sei me controlar quando quero, ou ser discreto ao dar vazão ao meu desejo. Olhe com respeito e discrição. Quando uma mulher passa a gente repara, não encara. Eu mesmo perco muito mais tempo fitando o ridículo dos homens que “olham com os olhos, comem com a testa” quando una mulher passa do que para a própria mulher. E sim, é ridículo. Duvidam, façam a experiência e reparem em outros homens fazendo o que vocês fazem e acham normal e verão que não é.

    Logo, não é que as mulheres querem ter sempre razão. É que vocês estão apenas querendo defender seus status quo e isso é babaquice. Se as cantadas são direcionadas a elas e elas estão se manifestando, aproveitem a oportunidade para aprender e não para expor publicamente nossas recorrentes limitações em conquistar uma mulher de verdade da maneira como elas querem e merecem.

    Responder
    1. Machista insensível

      Ver todos os homens como potenciais estupradores é bastante sexista para um grupo que fala tanto em igualdade. O medo aqui descrito é completamente fora de proporção e igênuo, e o mundo não deve se dobrar a particularidades de cada um que se incomoda com cada coisinha.
      E se eu me sinto ameaçado quando vejo um homem negro na rua, porque para mim todo negro é um potencial assaltante (soa feio né?) posso até sustentar meu argumento no fato de a raça negra ter por característica genética maior força física (Não é mentira). E aí? Isso é motivo pra trancar todos os negros em casa.
      Este é o ponto. Há reclamações legítimas, e mimimi. Eu sou a favor da igualdade dos sexos, por isso tento alertar as feministas, manerem no mimimi, questionem a legitimidade de suas exigências, porque esse tipo de coisa não ajuda a causa de vocês, do contrário, dá uma má aparência a todo o grupo. Mulheres que querem ser independente devem andar na rua de cabeça erguida e peito estufado, jamais sentir medo de homem algum, e quando ouvir alguém gritar “linda maravilhosa” deve fazer um “Pfff, eu sou lindona mesmo”. Essa sim, é a verdadeira mulher do futuro. Não uma cagona incapacitada, aceitando o taxo de sexo frágil e ainda tendo que pedir arrego para os “homens mais fortes”

      Responder
  68. Eduardo Quagliato

    Concordo contigo.

    Mas dizer “Pra isso [estupro], basta oportunidade. Uma rua sem saída, um lugar deserto e um cara com tesão.” é simplesmente reduzir todos os homens “com tesão” a estupradores. E eu, como homem, obviamente me sinto ofendido por tal comparação.

    E no ante-penúltimo parágrafo, ela diz “E o que você, rapaz de família, bom moço, que lê meu blog, tem com isso? Ora, pare de achar normal as invasões que as mulheres sofrem na rua, todo santo dia.” como se apenas pelo fato de ser homem eu já estou errado.

    Resumindo, a questão é igualdade, então sejamos igualitários com todos os cidadãos, independente de seu gênero. E lembrando que igualdade é extremamente diferente de justiça.

    Uma pessoa não pode estar errada por ter nascido homem ou ter nascido mulher, uma pessoa está errada pelos atos errôneos que comete.

    Responder
  69. dudu

    Mas então , se não pode olhar e cantar , como vou expor minhas intenções de ser um parceiro sexual CONSENSUAL de uma mulher que eu ache atraente na rua ?Sinal de fumaça?o0 Me expliquem por favor.

    Responder
  70. Hanna Itamaro

    Não concordo, não sinto medo quando levo uma cantada na rua, mulheres e homens dão olhadas, mas não é pq alguém olha, fala algo que vai estuprar alguém. Achei muito generalizado.

    Responder
  71. Alexandre

    Tem medo de estupro? Para de sair mostrando os peitos e a Bunda. Se homens saíssem de pau duro na rua como mulheres saem com os peitos de fora. Aposto q teríamos mais mulheres dando cantadas. E digo mais. . Se cantada e aproximação são proibidos. É proibido contato entre homens e mulheres? ! Ou só a mulher pode dar cantada?

    Queria ver se homens fossem frescos para escolher mulheres e vocês não se sentissem desejadas se vocês não iriam cair de boca em cima dos homens suplicando por um pouco de atenção e de sexo! !

    Responder
  72. Armando

    Por este motivo a humanidade vive um intenso declínio social, se cada ser cidadão se preocupasse com uma sequer contribuição para algum problema persistente em nosso país e outros seres cidadãos cada qual com seus deveres em determinadas áreas do planeta, teríamos uma evolução positiva perante tantas crises que nos acercam, porém a realidade é totalmente diferente: se prefere pelo nosso querido ser “cidadão” as baladas constantes, o big apple, o baseado, a farinha, a cerveja, o boteco, big brother brasil, e viver acolchoado nas virtudes de uma mídia falida. Por isso ser ” cidadão ” pense, reflita, e em extremo conjunto étnico
    façamos a diferença. Obs.: Se Deus quiser

    Responder
  73. Débora

    O que mais me incomoda lendo comentários é a falta de empatia de alguns homens. Eles realmente não conseguem se imaginar no lugar de uma mulher, ou se negam totalmente a fazer este exercício de imaginação? Parece uma atitude defensiva, de não querer ouvir e muito menos aceitar uma mudança na confortável posição em que vivem. Tenho visto isso em todo tipo de discussão, sobre os mais variados temas…
    Sobre este assunto, indico um vídeo francês muito interessante sobre como seria se os papéis fossem trocados:
    http://www.upworthy.com/a-french-film-showing-men-what-being-a-woman-feels-like-kinda?g=2

    Responder
  74. Leandro

    Excelente texto, porém esta parte é bem contestável!
    “Pare de virar o pescoço pra checar a bunda de cada mulher que passar por você. O corpo de cada uma é de cada uma, e não seu. Elas não saem de casa para serem avaliadas pelos homens.”

    É comum entre as mulheres, sendo discretas ou não (não faltam homens discretos pra isso também) avaliar o corpo de muitos homens que passam por elas.
    Esses exemplos de utilizar o pedreiro o ou pobre do buteco, que sempre são os exemplos de praxis, podem soar como sinais de discriminação social com pessoas pobres.
    Um homem elegante, não sejam hipócritas, não causariam tanto medo à mulher assim ao perceber que o mesmo esteja querendo flertar seja onde for com ela.
    Inclusive, homem elegante querendo flertar é bonito e vira até trilha musical. Agora pobre operário é uma ofensa machista horrorosa

    http://www.youtube.com/watch?v=B7L9_be2epc

    Responder
  75. Hermann

    Cintia,

    Imagine a seguinte situação:
    Você está passando por mim na calçada. Olho pra você, você olha pra mim. Eu sorrio pra você e você permanece com a expressão imutável. Senti-me atraído por você, mas não houve reciprocidade. Continuamos andando normalmente. A vida continua.

    Agora te faço uma pergunta: depois do acontecimento, você ficou incomodada?

    Abs,
    Pedro

    Responder
  76. Henrique

    Na boa… Quem foi que escreveu esse texto??

    Como podem comparar cantadas ou comentários inofensivos com contato físico ou ofensas verbais??
    Não tem absolutamente nada a ver uma coisa com a outra, sou homem e não conheço um unico que não faça um comentario quando passa uma mulher bonita por perto, e nem por isso eles ou eu perde o respeito com as mulheres, da mesma forma que as mulheres também fazem isso… O caso de agressão verbal ou até mesmo assedio físico esta absurdamente isolado de cantadas e etc… Não confundam as coisas, cantadas e comentários todo mundo faz o tempo todo quando vê uma pessoa bonita (principalmente quando passam exibindo seus corpos, isso para ambos os sexos) assédio é crime, desacato também, não misturem as coisas. E mulheres quando quiserem ser vista como mulheres pelos homens por gentileza tentem chamar atenção pelo que são como pessoa e não pelos seus dotes físicos, passa a semana malhando o corpo e usa minusculas roupas para exibi-lo e querem ser vista como? Pelo amor né, se não quisessem que os homens olhassem não investiriam grana e tempo nas academias e muito menos sairiam com as partes a mostra. Querem ser reconhecidas pelo lado intelectual de vocês, malhem mais o cérebro e menos o bumbum, caso contrario contente-se em ser só mais um corpinho bonito (Tipo uma peça de carne pendurada na prateleira do açougue.)

    Responder
  77. victor

    Só um detalhe: não basta um beco sem saída e um cara com tesão para haver um estupro. tem que ser um escroto com tesão. sou homem, já tive tesão milhares de vezes em milhares de lugares e nunca estuprei ninguém.

    Responder
  78. Tassia

    Amigo Henrique, se nós, receptoras dos comentários, estamos dizendo que nos sentimos OFENDIDAS com cantadas na rua, como tu podes dizer que tais cantadas e comentários ditos na rua são inofensivos? Se eles nos ofendem, como dito repetidamente por várias mulheres, é porque são OFENSIVOS. Não há outra conclusão ou lógica.
    Além disso, faço academia para manter minha saúde e porque gosto. Conhece endorfina? Mas pela sua lógica, para evitar receber cantadas bagaceiras na rua, eu deveria parar de me exercitar e me jogar em um pote de nutella, o que não faz sentido nenhum pra mim, pois mesmo quando eu engordei 10kg enquanto estudava para o vestibular de medicina, eu continuava recebendo cantadas escrotas de desconhecidos.
    Ouvir comentários bagaceiros e sexuais de homens na rua nos faz sentir invadidas e desprotegidas. Também nos faz sentir desrespeitadas e vulneráveis, pois mesmo sem pedir, pelo simples fato de eu gostar de correr na esteira, sou tratada como “carne de açougue”.
    E eu tenho certeza que tenho muito conteúdo “como pessoa”, como tu comentaste, pois falo 4 línguas, trato as pessoas com educação e já estou em minha segunda graduação em uma universidade federal bem prestigiada. Mas mesmo assim eu continuo ouvindo homens falando “te chupo toda” ocasionalmente e sendo submetida a julgamento de pessoas ignorantes (não quero ofender; uso a credencial “ignorantes” para caracterizar todos os homens que não sabem/ignoram o real problema pelo qual passam as mulheres).

    Responder
  79. homem/mulher ou vc prefere mulher/homem? ou tanto faz? foda-se meu genero le a porra do texto amiguinho!!

    galera, cuidado com o que vcs escrevem por favor
    cada palavrinha, cada artigo, qualquer virgula mal colocada, o pessoal faz intinfinitas erpretações erradas!! tanto no texto escrito quanto nos comentários feitos e suas respectivas replicas. Isso se torna uma bola de neve!
    Porque não perdemos a preguiça de pensar antes de escrever, e colocar as palavrinhas nos locais certos para que todos possam entender sem restrição a educação.
    O pessoal escreve tão formalmente e com um vocabulário cheio de palavras boas, ricas, querendo elaborar respostas complexas, tudo isso pra que gente? isso é uma mensagem para os homens que violentam fisicamente as mulheres que invadem sua privacidade, sua liberdade, que estão espalhados por todos os cantos, ricos , pobres, miseráveis, analfabetos, doutores, etc..mas quem tem educação;(não é dizer quem é homem de verdade); não faz essas coisas..tem que aprender mesmo, porque isso é uma atitude muito desequilibrada e a culpa não são apenas dos homens não poxa vida! quando falamos especificamente o homem, a mulher, estamos generalizando e é claro que (toda mulher, todo homem;todo homem, toda mulher) que ler,por mais que não se encaixe nas criticas sentirão um pouco de vergonha, vão defender o seu gênero assim como quando percebem que algo não agradou, seja mal interpretado ou mal compreendido,por falta de experiencia, todos queremos o melhor para nos..
    e é nessa hora de replicar ou expor nosso ponto de vista que fazemos a maior confusão de todas e causamos a maior perda de tempo em discussões e falta de compreensão no texto !!!!!!!!!!!!!

    Responder
  80. diana

    Ótimo texto, comentários absurdos. Onde investimos nosso dinheiro não é da conta de ninguém. Se malhamos, talvez não seja para exibir nossos corpos, podemos fazer por saúde, por que não? Somos “cantadas” de forma nojenta 24hras por dia, e não é porque andamos peladas, com os peitos e bunda pra fora. Uma simples calça legging já é motivo pra olhadas. Existem sim suas exceções, mas não é via de regra. Nem toda mulher que usa shorts e regata assim o faz porque quer ser cantada, mas porque nesse calor do nosso Brasil é simplesmente difícil andar de calça jeans. Mas como a maioria dos homens (a maioria e não a turma toda) acha que fazemos isso para provocar e receber “cantadas”, então vamos todas andar de burca, casar com um homem que tem 50 mulheres e não mostrar nem a canela, pra eles não cairem em tentação! Absurdo!!!

    Responder
    1. Exagerado

      Outro comentário exagerado, por que calor bla bla bla, minha senhora o calor afeta todos e em grande parte os homens são forçados a usar calças enquanto mulheres não, mas é uma OPÇÃO é isso tem a consequência de atrair olhares caramba!

      Responder
  81. Rafael

    Concordo com quase tudo… Exceto a parte da olhada… se a mulher ve um cara bonitinho olha do mesmo jeito que um homem, olhar e normal (chega ser ate instintivo)… outra coisa e passar do limite…

    Responder
  82. Uma mulher

    Meu, mas eu concordo com esses caras aí que falam que a mulher pede e que isso é hipocrisia e o caramba! Pq afinal, onde já se viu?? Mulher saindo na rua SEM BURCA? Mas tá pedindo mesmo, a cachorra!!

    Alias, vocês são filhos do que mesmo? De chocadeira, né? Não, pq até onde eu sei vocês saíram das entranhas de uma mulher. E tudo muda quando você, querido torcedor de pescoço pra ver bunda de mulher que passa e adora gritar uma putaria pra provar que é macho, pensa na sua MÃE andando na rua e sendo desrespeitada.

    Vamos fazer uma brincadeira? Se imagine, depois de um dia de trabalho, super cansado, nesse calor da porra, ir ao mercado próximo de casa comprar um leite pra sua família usando uma bermuda e uma regata. Roupa normal, não é? Na volta você é abordado por uma pessoa, que tem pelo menos o dobro da sua força e não está em choque como você. Ele arranca sua bermuda e enfia um cabo de vassoura no seu cu, dizendo que ninguém mandou vc sair mostrando os braços, o pescoço, as pernas… Até que vc já não aguenta mais e começa a desejar morrer pra não ter que viver com aquela lembrança!

    Conseguiu imaginar? Não? Porque será?? Achou tudo isso uma bobagem… um exagero?!
    Hipocrisia, meu querido? Vamos falar de hipocrisia!

    Responder
  83. Cleberson Luis

    Cara, as mulheres usam sedução ? Sim! Qual a mulher que não quer seduzir, se sentir valorizada ? Mas logo digo, mulheres querem que nós homens, valorize o que elas usam como primeiro ato de sedução: Sorriso ! Repare bem ao olhar para alguma mulher, se ela gostar de você ou até te achar estranho ela vai abrir aquele sorriso.
    Certa vez estava em um dia em que nada estava dando certo, brigas no trabalho, provas na faculdade. Aquele dia na qual você apenas quer ir para algum lugar e fica só. Então, foi naquele bar que vi uma moça sentada com suas amigas, rindo atoa com a vida. Resolvi mandar um bilhete: ” Oi, desculpe atrapalhar alguns minutos da sua noite, mas queria apenas pedir obrigado. Deve está se perguntando o por que ( eu sei ), mas sabe quando você está em um dia que nada dar certo na vida ? Que tudo está cinza ? Então você resolve sair para que seu dia mude. Ai você encontra uma pessoa com o sorriso tão lindo que você esquece seus problemas, fica apenas observando o sorriso dela, imaginando mil e uma situações. Por fim, você lembra antes de terminar o dia, que apesar da vida agitada, ainda temos um sorriso escondido para mostrar para alguém que a vida é bela. Obrigado! Ps: Seu sorriso é lindo … ” . Antes de dar uma cantada na qual seja clichê, apenas diga para ela: ” Seu sorriso é lindo e contagiante, continue assim “

    Responder
  84. Nome

    Questão de ameaça… Uma estudante de arquitetura que escuta graça ao cruzar o corredor de engenharia não estaria correndo risco de estupro, e acho que um estuprador não falaria nada antes de agir. Os que falam, ou é só graça, ou estão tentando desesperadamente todas as alternativas (vai que…), e se olhar demais, estão impressionados… Só não andem por ruas desertas Ok? hehe

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, “Priscila” do e-mail “anonimo.com.br”. O que a gente quer é falta de discriminação. Não é muito difícil, né? Se bem que tá rolando aí uma dificuldade em relação ao uso de maiúsculas e tal, imagina com idéias mais complexas…

      Responder
  85. Patrícia

    É incrível como sempre, sempre, SEM-PRE que o assunto é esse, aparece um monte de homem querendo relativizar as coisas. Ora, se as mulheres categoricamente classificam como assédio e os homens na defensiva classificam como elogia é evidente que tem alguma coisa errada com a prática. E eles ainda assim não vêem a violência no ato e na defesa do ato. O que mais vocês precisam para se tocar que é uma violação um homem desconhecido invadir o espaço pessoal de uma mulher?

    Responder
  86. Yago

    Assim, eu não vou tirar a razão do texto de forma alguma, em vários pontos ele é simplesmente correto e ponto, não há argumentos para coisas que vários homens costumam fazer. Mas, a impressão que ele me passou foi: “nunca, em situação alguma, fale com uma mulher, não importa onde vocês estejam, não importa se é cantada ou não, apenas fiquei longe”. Tudo bem, cantada é uma coisa naturalmente idiota, mas como eu disse, a ideia tirada do texto é um pouco além disso, tem mais aparência de uma carta de repúdio a todos os homens. Quero dizer, um cara NORMAL não vai chegar em você na rua do nada puxando papo. É uma coisa que venho percebendo, as palavras das mulheres sempre vem em tom de generalização para os homens, quero dizer, todos fazem isso? Todos são possíveis estupradores? Uma coisa é desconfiar de todos, outra é colocar todos no mesmo saco como se fosse uma verdade absoluta. Isso é outra coisa que o texto deixa aparecer muito, mesmo que não seja a intenção da autora.
    Eu vou repetir, eu acho o texto muito correto, não há argumentos para coisas que alguns homens fazem, eles simplesmente precisam parar; mas generalizar não é o correto, nunca.

    Responder
  87. Beatriz

    Eu moro na Europa e realmente, essas coisas só acontecem no Brasil… Os homens aqui não buzinam, não fazem fiu fiu, não olham e falam NOOSSA EIN!!!! Não viram pra ver sua bunda … E na balada, não encostam no seu braço pra vir conversar … É uma diferença enorme, e é maravilhoso, você se sentir normal andando na rua como Apenas um ser humano e nao um objeto de desejo -.-

    Responder
  88. Leonel

    Gente,
    Eu concordo quasi que plenamente com o post. Acho que homem nao vive com medo de ser esuprado tanto como a mulher. Pessoalmente acho que elogiar uma mulher na rua que voce nao conheçe nao faz sentido algum. Se é uma amiga o colega do trabalho tem maneiras de elogiar uma mulher que ela vai adorar seguramente, e que estao bem longe de ser uma ameaça. Agora, tipica cantada do cara da obra, ou tipo cara que torçe o pescoço para reparar direitamente na bunda de uma mulher e acompaña com gestos e até um repertorio de pensamentos obsenos claramente é ameaça.

    Acho que um homem ou mulher de uma olhadinha discreta para uma mulher ou homem (Segum corresponda) na rua. DISCRETA (aqui esta o segrdo) sem que ele perceba! longe dele nao invade seu espacio nao torçe o pescoso como se voce fosse morrer se nao aprecia. Nao acho uma ameaça. E até acho que esse é o jeito de muitas mulheres, só uma olhadinha e acabou nem faz gesto algum! porque voce falar para ela uma cantada obsena ou fazer um gesto obseno é a mesma coisa. Mas só por olhar alguem acho que voce nao ameaça.

    Começei falando que concordo QUASI plenamente com o post, ja que como muitos homens comentaram (talvez com palavras erradas) mas a mulher muitas veces teria que aprender a cuidar o jeito de se vestir, porque voces queram ou nao, faz parte da sua IMAGEM FRENTE AO RESTO DAS PESSOAS, e se voce gosta de vestir de puta, ou com uma saia que apenas cobre o 20% da sua bunda vai ter um monte de homens que irao reparar. ALGUEM FALOU NO POST QUE MULHER ASSIM É VAGABUNDA. BOM, ACEITO MAS É MULHER, entao nao vamos dizer nem que 100% dos homens gostam de andar molestando mulheres, nem que o 100% das mulheres pensam como a mulher desse post aqui. Cuidado com generalizar. Se vamos a anilzar extremos, mulher vagabunda é mulher finalmente e homem safado é homem tambem. Eu poderia fazer um post dizendo: Mulheres que usam saia bem curtinha adora ter homens reparando na sua bunda. E logicamente vai ter um monte de mulher que vai se queixar justamente porque isso nao é verdade absoluta, mas tem mulheres que dentro sabem que elas adoram.

    Em conclusao acho que seu post fala de uma triste verdade como é o medo ao esupro com que a mulher vive, conecta o proposto com outra cuestao que é daqueles homens safados que desrespeitam mulheres con cantadinhas e até aproximaçoes fisicas (o qual acho merecedor de um bom soco na cara dele) mas o post tem um pequeno ar feminista no momento que voce generaliza o proposto e ainda justifica aquelas mulheres que querem sair quasi sem roupa na rua (o qual pessoamente acho de vagabunda). Se voce quer se vestir como puta nao pretenda ser tratada como princesa. FIM

    Meu portugues nao é o melhor porém desculpas se nao posso me expressar corretamente como eu quiser. 🙂

    Responder
  89. Theo Lamar

    CHOCADO!!! com a pequena mente dos homens que aqui postaram! VERGONHA de estar incluso meste nicho da cuecas!
    Hipocrisia?!
    Olhem para o mundo que vcs vivem em que nós (homens) somos completamente favorecidos por nossa genitália ser para fora.
    Não, é não!! e sempre será.
    Respeitem as mulheres como seres humanos que são, e tudo que elas querem é ser tratadas com dignidade, igualdade e não temerem por suas vidas a cada passo que dão na rua. Se uma mulher está aqui abertamente expondo seu sentimento quem é vc, babacão superior, pra dizer que ela está errada. É o que ela sente e o que ela vivencia diariamente. E vai ser para sempre algo que 99,99999% dos homens provavelmente nunca vão sentir na pele para chegar perto de ter noção do que as mulheres passam. Em vez de chamar gostosa, dê um bom dia, pergunte como vai. Saiba ser sociável em vez de ser um troglodita babão. E outra, saiba olhar, seja discreto! O que se perpetua por aí só fazem com que as mulheres se defendam cada vez mais, desconfiem mais e se afastam mais. Em uma sociedade cheia de problemas como a nossa esse deveria ser um dos mais fáceis de se resolver. Respeito, compreensão e coperação.

    infelizmente essa é uma luta que parece não ter fim!

    Responder
  90. Daniel

    O problema é a generalização. Só porque você não gosta que homens olhem para você, não quer dizer que toda mulher não gosta. Até porque, há mulheres que olham homens e fazem cantada para eles. Pois é.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Daniel. Não sei se você viu, mas no começo do post tem um link para uma pesquisa muito interessante que ouviu milhares de mulheres sobre essa questão.

      Responder
  91. Jennipher

    Para os homens que acham absurda a comparação, é porque ou é machista ou é inocente demais. Vocês parecem não saber que existe todo tipo de gente no mundo, e de que não é possível adivinhar o caráter de uma pessoa.

    Para as mulheres, eu só digo que esse é um dos motivos pelo qual eu pratico MUAYTHAI.

    Responder
  92. Renata

    Eu ja ouvi a seguinte cantada de 4 rapazes em um carro “nossa se eu te pego eu te machuco” e era um sabado pela manha onde eu havia levado meu cachorrinho para passear. e eu usava roupas normais tipo calça e camisetinha, agora o que eu deveria usar para não levar essa cantada hein rapazes que acham q a culpa é das mulheres???

    Responder
    1. Machista insensível

      Não use nada além de maior coragem e auto-confiança.
      Pense, o que um homem hetero-sexual faria se recebesse a mesma abordagem sob as mesmas circunstâncias dos mesmos caras?
      “Ai meu deus, serei estuprado! Vou reclamar na internet! Aí sim jamais terei este tipo de problema novamente.”
      ou,
      “Eles que tentem me pegar pra ver se sobra um dente na boca desses filhos da puta”
      É isso aí minha amiga, parece duro, mas assim é o mundo, e não é porque você não gosta que ele vai mudar. Concordo que essa forma de vida é terrível e primitiva, mas ainda é assim que vivemos. As mulheres de antigamente aceitavam uma vida submissa porque tinham sido completamente convencidas de serem incapazes de sobreviver de qualquer outra forma. Hoje o mundo dá espaço para as mulheres serem tão independentes e capazes quanto qualquer outro homem, mas parece que ainda a ranços da cultura do “sexo frágil” tão fortemente imbuídos na mentalidade feminina que nem vocês mesmas percebem o quão derrotistas são em certos aspectos.

      Responder
  93. Anna Maria

    EU TBM ACHO UM ABSURDO, OS HOMENS SE SENTIREM NO DIREITO DE MEXER OU OLHAR PARA UMA MULHER NA RUA!!!ELAS PODEM ESTAR VESTIDAS COMO QUISEREM, QUE NÃO É DA CONTA DE NENHUM SEM CARÁTER. A MULHER TEM SEU DIREITO DE IR E VIR, E NINGUÉM , OU MELHOR, NENHUM “CAVALO”TEM O DIREITO DE MEXER COM ELA.TODAS AS VEZES QUE UM ANIMAL DESSE MEXE OU FICAM OLHANDO PARA A BUNDA DELAS, SEM QUE ELAS TENHAM LHE DADO “BOLA”, É ULTRAJANTE!!! ELES ACHAM QUE ADORAMOS!!! EU ABOMINO HOMENS QUE SE ACHAM NO DIREITO DE FAZEREM ISSO!!!

    Responder
  94. Vitor

    Concordo com tudo o que disse menos a parte da viradinha de pescoço. Quase todos os homens, principalmente os solteiros, olham sim pra mulher quando ela passa e, acredite, olhar a bunda não é o único objetivo, porque vai que a garota olha também? Aquela pequena esperança surge. “E se ela olhar…?”
    Uma mulher com pernas bonitas à mostra não pode esperar não ser olhada, é claro que falta muito respeito, um pouco de discrição seria bom, mas simplesmente querer que ninguém olhe já é demais.
    O tema não pode ser levado a nenhum extremo, nem pro lado da infeliz frase “não quer ser estuprada mas sai de saia curtinha” e nem pro lado feminista. Discrição, cavalheirismo, e menos mulheres-frutas, é o que o Brasil precisa.

    Responder
  95. Bruno Mercado

    Nunca fui a favor dessa besteirada de “mexer” com pessoas estranhas na rua, usando de comentários ridículos e redundantes, acredito que isso não ajude em nada, a não ser quando a pessoa em questão,também esteja afim.
    Porém, eu gosto de ver como as mulheres tendem a reclamar de tudo, e apontar o que não gostam, sem dar um rumo a si mesmas e aos homens, que aos olhos da sociedade são quem devem dar o primeiro passo.
    ” Ah mas essa história de homens obrigatoriamente terem de dar o primeiro passo não é regra, e quem pensa assim em pleno século XXI é retrógrado ” Porém desde muito jovens quando os homens esperam pela atitude feminina ( mesmo quando determinadas mulheres o querem ), ou nada acontece devido a famosa “trava” da moça, ou o rapaz passa por ( lerdo, lento, travado, fraquinho,não é de nada )e essa fama é passada por elas, entre elas mesmas! e depois de alguns anos me veem com este discurso manjado !
    É óbvio que andando na rua a noite, uma cantada dessas, vinda de um completo estranho, deve ser de arrepiar, levando-se em conta a possibilidade de um estupro.
    Generalizar não é o caminho, até porque por incrível que pareça, este tipo de coisa funciona mais do que vocês mulheres em geral imaginam.
    E o comentário do rapaz acima, não está totalmente errado, pois já presenciei esse tipo de coisa funcionando do meu lado.
    Conclusão:
    1-Há mulheres que aceitam e gostam
    2-Há mulheres que não aceitam e não gostam
    Por mais filosoficamente linda que seja a ideia, de que a aparência realmente não conta, sejamos racionais,não deveria!MAS É CLARO QUE CONTA, E SEMPRE CONTOU !
    Principalmente das mulheres para com os homens.
    Para os homens não importa em que tu trabalha, quanto tu ganhas, que cargo ocupa, que carro tu tens.
    Se bater olho e gostar, ponto está no jogo, não interessa se é uma mulher “comum” ou uma top model.
    Ponham na cabeça de vocês, ninguém te olha na rua, e tem alguma ideia de quão, inteligente, simpática, divertida, trabalhadora que tu es !
    Mas a primeira impressão, e fator x em uma aproximação, é pela aparência, é pela atração física sim, e é hipocrisia ou preguiça de pensar a respeito dizer o contrário.
    E claro que acho que não deveria ser assim, mas assim as coisas são !
    Agora eu queria mesmo era fazer um teste.
    Um dia no mundo todo, o papel de abordagem seria de responsabilidade da mulher, sem que pudessem usar artimanhas de beleza ( já que aparência não conta ) e jogar cantada em estranhos é mal vista.
    Vocês já disseram como não gostam, agora me digam…COMO FARIAM ?

    Responder
  96. Leandro Bahiense

    Bom dia
    Primeiramente, parabéns pelo excelente texto e ótima abordagem, para muito machões é o chamado “chute no saco” dai o motivo da alguns comentários mais acredito que as pessoas de bom senso vão apoiar e muito o seu texto e assunto abordado.
    Questão do machismo no nosso país ainda é algo muito forte e difícil de ser discutido. Vamos pegar um exemplo simples de uma grande maioria das famílias brasileiras que possuem um casal de filhos. Normalmente o filho pode tudo, sair, “pegar” a mulherada, viajar, ir dormir na casa da namorada e etc. e a menina? Essa por sua vez tem que ficar vigiada por todos o tempo todo, não pode viajar sozinha, casa do namorado nem pensar e etc. Até que a sociedade deixe de ser machista, esse tipo de atitude “vulgar” vai ser vista pelos machistas como algo normal e rotineiro. Infelizmente, como li em alguns comentários, existe mulheres que brincam com a situação quando, mesmo de brincadeira, acabam dizendo que se fosse ator ou galã, poderia fazer tudo, não querendo generalizar. Sou contra esse tipo de atitude e principalmente do uso verbal das ofensas, esse último já vi sendo usado até por meninas hoje em dia ou vocês nunca ouviram a forma mais vulgar de se dirigir a alguém? Vou “PEGAR” fulana ou fulano. É você tornar a pessoa um objeto, simples assim.
    Torço que chegue o dia em que o Brasil e muitas outras regiões do mundo se tornem um terreno seguro para as mulheres e de diretos realmente iguais, porque no papel é fácil colocar, já na prática a quebra de anos de tortura psicológica ainda esta longe de acontecer.

    Responder
  97. Wanderson

    Bom dia a todos!

    Acredito que o texto até relata coisas que realmente ocorrem,
    mas tem muitas coisa ditas ai que sejam a soar hipocrisia pelo seu exagero. Quando é dito que um homem não pode assobiar ou até mesmo olhar as pernas de uma bela moça, bom acho que nem todos os homens tem esse pensamento ditos no textos,assim como nem toda mulher se incomoda com algumas das coisas ditas.O grande ponto ai é que não da para saber qual mulher se sentirá ofendida e qual homem vai passar dos limites.Em tempos em que mulheres se sujeitam a posar nua numa revista ou semi nua em um programa de tv para os homens assistirem ou verem, Ai acredito que vocês dirão a mas essas são vagabundas como foi dito em um dos comentários ai eu respondo os rapazes que passam dos limites como expresso no texto não são homens. Então, mulheres para de generalizar os homens por causa de pessoas assim , e homens não devem achar que toda mulher é vagabunda.Acho que oque é bonito é para ser admirado mas tudo tem seu limite, o limite do contato físico =D.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Wanderson. Como você disse: não dá pra saber quem vai se sentir ofendida ou não. Na dúvida, melhor deixar as mulheres na rua em paz. E falo por mim, mas não acho que quem posa nua é vagabunda. Porém existe uma diferença entre uma moça que posa para fotos em uma revista, situação em que ela está à vontade para ser admirada, e uma mulher que anda pela rua e só quer se locomover por aí sem ser incomodada, como qualquer pessoa.

      Responder
      1. Marcio

        Oi Cíntia, concordo com o protesto. Nós homens temos que respeitar sim as mulheres, sou contra o assédio também, mas, tem coisas que são da natureza masculina, claro que não dá o direito de estuprar, ofender ou assediar uma mulher,por exemplo o olhar, o homem se sente sim compelido a olhar os atributos femininos, é isso que nos aproxima, como também tem os atributos masculinos que atraem as mulheres. Espero que vc me entenda. Penso que tudo deve ser discreto e sem “avançar o sinal”.
        Ex.: O cara olhou, se atraiu(natural), a menina correspondeu, nada mais natural. Oque não pode é o cara insistir, perseguir, forçar, ficar cantando o tempo todo, etc. Espero está contribuindo com o debate.

        Responder
      2. Machista insensível

        Você quer nivelar o mundo pelo menor denominador comum absoluto. Pelos mais covardes e fracos. Não vejo bons frutos numa sociedade assim.

        Responder
  98. Tiago de Andrade

    Olá, Cintia.
    Vejo que você procurou colocar a “cantada de rua” do ponto de vista da psicologia feminina: ela causa medo.

    Me inspirei no seu texto e procurei escrever, do ponto de vista da psicologia do homem, por que diabos nunca funcionando como “cantada”, e mesmo as mulheres demonstrando que não gostam desse tipo de coisa, ela insiste em aparecer.

    http://blogtiagodeandrade.blogspot.com.br/2014/02/a-psicologia-da-cantada-de-rua.html

    Responder
  99. Marcus Silva

    Eu concordo com o texto, em partes. Ela não está absolutamente julgando ou levantando nenhum tipo de tópico para discussão, mas expondo a realidade à que as mulheres estão sujeitas todos os dias em nossa atual sociedade. Minha noiva é estrangeira e temos um relacionamento à distância fazem cerca de 3 anos, basicamente nos vemos a cada 6 meses(Já moramos juntos por 4 meses). Mas isso não me transforma num tarado/abusado sem senso de ética, boas morais e bons costumes. Sim, se vejo uma menina bonita na rua, naturalmente vou apreciá-la discretamente, mas de forma a evitar qualquer tipo de constrangimento (daí a parte do texto com a qual não concordo – “Pare de virar o pescoço pra checar a bunda de cada mulher que passar por você. O corpo de cada uma é de cada uma, e não seu. Elas não saem de casa para serem avaliadas pelos homens”), pois ao meu ponto de vista não é uma questão de avaliação, faz parte da natureza humana apreciar o que é belo, o que te agrada – eu já confessei isso à minha noiva e ela reconhece como são belas as mulheres brasileiras, mas meu amor por ela é muito maior e mais nobre que uma noite de luxúria com outra mulher, pois “apreciar” não é “desejar”.
    A questão é, honrar o espaço e a opinião da mulher independente de sua raça, gosto ou credo. Ou mesmo se ela estiver de micro saia e super decote (especialmente aqui no Rio de Janeiro). A escolha é dela e nós homens temos que respeitar.
    Meninas, um galanteio bem vindo enobrece a alma e massageia o ego, já ouvi isso de algumas amigas e até no FB mesmo, muitas mulheres postam.
    Só pra quebrar o gelo(e as discussões :p), procurem no youtube por “Girls check out guys crotch bulge on train” e preparem-se pra dar boas risadas.

    Responder
  100. Gustavo

    Creio que muitos homens aqui ainda n entendem o texto porque ainda nao tem uma esposa ou uma filha, eu mesmo nao sou pai, mas tenho namorada,irmas e sobrinhas, das quais eu me preocupo quando saem sozinhas, mas nao pq sao do “sexo fragil”(descricao babaca) afinal algumas delas fazem algum tipo de luta e academia o que descarta essa hipotese. Eu tenho o mesmo medo que todos tem quando esta a pe a noite, de ser assaltado, atropelado, etc, mas por elas ainda tem um outro agravante, o fato de ser abusada. Creio que poucos homens possam imaginar a humilhacao, a dor e a vergonha de uma situacao nojenta dessas. E homens, vamos deixar esse orgulho besta de lado e se nao puder ou quiser ajudar, pelo menos tente entende-las nesse aspecto, afinal nao somos nos que sofremos esse medo todos os dias.
    Obs: Tem muitas mulheres que expoe suas ideias de forma severa, mas creio que de pra entende-las, afinal viver em uma sociedade machista nao deve ser facil.

    Abraço.

    Responder
    1. Machista insensível

      Não duvido que tenha medo pela sua namorada e familiares mulheres. Continuo achando um medo estúpido. Se elas praticam artes marciais como dizes, mais ainda.
      Veja, jah fui um molequinho de 13 anos magro feito um pau. Nessa idade, gostava de andar no centro a noite, nas ruas com putas e traficantes? Porque? Pura inconsequência puberiana. Nesse tempo fui aqui e ali, seguido por gente estranha, ameaçado, já me mostraram armas, tentaram me assaltar, e nada jamais aconteceu comigo. Auto-confiança é a melhor arma que podes ter. Mulher que sai de casa pensando que vai ser estuprada tem o dobro de chances de ser realmente. Estão a atacar o inimigo errado. Também acho besta e vulgar estes avanços masculinos no meio da rua, e não faço porque são baixos e sem utilidade, mas focar tanto neles não é o caminho certo. Concentrem-se ao invés disso, na capacidade de auto-defesa, e uma dose de realismo também. O estupro não está a espreita a cada esquina. Sim, as estatísticas são alarmantes, mas reduza a amostragem a meninas das classes sociais que postam neste tipo de blog e os bairros que elas frequentam e verás que isso tudo não passa de um fantasma sem sentido.

      Responder
  101. Mathias

    Bom, eu sempre penso nesse assunto ai, o texto ta certíssimo… os homens não passam por esse medo de abuso, estupro ou violação por que simplesmente é raro de ocorrer o caso de abuso com um homem. Bem raro, devo ter ouvido sobre isso uma ou duas vezes na vida. Agora com as mulheres é bem comum e infelizmente… frequente. O problema parte desde a boa educação… todos deveriam entender o tema de respeito, respeitar tudo e ser respeitado… desde o que comer até a opção sexual e o direito sobre seu próprio corpo… todos tem o direito de ficar em paz e exercer o direito quando aceito pelo outro ou se for em sua própria zona…

    A vida e o corpo é de cada um, seja homem, mulher, criança, idoso ou mesmo gato ou cachorro.
    Ninguém tem o direito de violar ou assediar uma pessoa…

    Responder
  102. Ana Sá

    Eu sofri abuso, meu próprio pai! Isso afetou a minha vida por muito tempo, até hoje tem coisas que eu não me sinto a vontade pra falar ou fazer porque isso me marcou.
    Não faço o perfil de guria gostosa, sou reta igual uma tábua, magra demais e feia pra caralho, e nem isso foi motivo pra evitar do meu pai me abusar.
    Nunca usei roupas vulgares, nunca me insinuei para ninguém e mesmo assim mexem comigo na rua, e eu não acho que isso caracterize uma falta de respeito. “Ô lá em casa” ou “O que eu não faria com esse corpinho.. ” Não acho ofensivo, não acho que caracteriza abuso, que define se um homem é estuprador ou não. Eu acho que pra ser pesado e ofensivo só quando o cara diz que vai pegar de um jeito ou de outro, virar do avesso de tanto foder… Já escutei isso. Não é legal. Acho que estuprador é um doente mental que tem carência de aceitação. Acho que indivíduos assim são tão insignificantes que abusando tentam provar que são atraentes, que são machos. Meu pai disse que me abusou pra provar que homem nenhum presta, ele me provou duas vezes, até eu pegar uma faca e ir pra cima dele. Não precisei ferir ele, só disse que se tocasse em mim de novo eu faria ele virar uma mulherzinha e ia fazer a mesma coisa com ele.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Ana. Sinto muitíssimo pelo que você passou. Obrigada por compartilhar com a gente :(. E você provavelmente já sabe, mas não custa repetir: a culpa não foi sua. Força!

      Responder
  103. Natália

    A questão é: Não estamos dizendo que TODOS os homens fazem isso, porque há muitos que respeitam. Não estamos falando que VOCE é um desses. A todos que estão se intrometendo no assunto e defendendo esses PORCOS NOJENTOS, (porque pra mim, se vc falar que quem é a culpada e com frescura é a mulher, isso é um puta machismo ridículo e uma forma de defender) deve ficar claro e bem explicado, (porque vcs não entendem) que há os tiozões, molecões, bêbados e etc que estão em bando e pecisam fazer, sem motivo nenhum, esses ridículos comentários desagradáveis.

    Como disseram as leitoras, não sei como ainda ficam tentando argumentar sobre algo que NUNCA vão passar e NUNCA vão saber como é. E se fosse sua esposa? E se fosse sua filha? Sua irmã? Ah, não importa, NE? Só mandar a merda (e rezar pra não acontecer algo mais), só fingir que não está ouvindo, mesmo que aconece 300 vezes a cada saída que vc faz. Foda-se a humilhação, foda-se se vc se sente um objeto qualquer e se vc se sente violentada só com certas palavras e obscenidades.
    Agora, e se isso acontecesse na sua frente? Se alguém chamasse sua namorada de gostosa, e que queria comer ela toda? Se ficasse olhando pra bunda dela até ela desaparecer da vista dele? Se falassem que vc tá de parabéns pelo que está “comendo”? Iam mandar ela ignorar tbm? Iam ficar quietos e deixar sua namorada ser exposta ao ridículo?
    Iam falar “Oh, querida, isso é só um elogio! Não acho que eu deveria brigar, esse cara só falou a verdade, não? Acho que o problema é que vc deveria usar uma calça masculina ao invés dessa bermuda nesse calor de 40 graus, mas é claro, só e vc quiser evitar isso! Vai solucionar todos os seus problemas!”

    Voce deixa de passar em lugares, desvia seu caminho, faz o impossível pra não encontrar nenhum babaca no seu trajeto casa-trabalho, mas é difícil… Mesmo do outro lado da rua vc é alvo.

    O que pensa um ser humano desse? “Ah, ela vai parar e dar pra mim, claro! Porque não tentar? E porque não tentar SEMPRE?”
    Não importa se vc tá usando calça, saia, vestido, camiseta, burca… Se vc mostra sua PELE, já é motivos de “”elogios”” do tipo “Gostosa”, “delícia”, “oh lá em casa” e etc. É no mínimo humilhante, me fazendo sentir um pedaço de carne inútil, mas eu preciso fica quieta, senão…
    E claro, quantas buzinas, de caminhoneiros, carros, sendo esses sem motivo nenhum. Qual o sentido? De vc estar de carro buzinar, quase cair da janela se inclinando sobre ela só pra chamar a mulher de gostosa? O que ganhar com isso? Qual é a satisfação?
    Uma vez aconteceu comigo, apenas mostrei o dedo do meio pra um cara que estava no CAMINHÃO, veio um MOTOQUEIRO, nada a ver com a história e me gritou que eu era maloqueira, vagabunda … E ai? Preciso falar o quanto isso é ridículo? Humilhante?

    Enfim… Não adianta vc gastar seu tempo tentando expor o seu lado, pq sempre terá quem ache q vc é a culpada. O título da matéria se chama “O que os homens não entendem sobre cantadas”, e nada mais comprova isso como esses comentários horríveis 😉
    Só digo a vcs: Tomara que não aconteça com suas filhas… Que só estão indo para a escola, de uniforme largo, sozinhas e com seus 13 anos de idade…

    Responder
  104. Tiago

    Olha muito bom o Post, concordo plenamente com ele! Assédio é assédio, mas o final estragou, dizendo que a mulher não sai na rua para ser avaliada pelos homens… Em parte sim em parte não…

    Umas gostam de receber olhares (eu disse olhares e não assédio) e outras se vestem muito bem para disputar com outras mulheres quem está mais bonita, eu não acreditava até namorar uma garota que fazia isso então passei a prestar mais a atenção no comportamento da mulher e constatei que SIM, elas disputam entre si quem está mais bonita kkkkkkkk’ chega a ser cômico rsrsrsrsrsrs’

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Tiago. Vou te contar algo que talvez seja novo pra você: às vezes, a gente sai na rua só pra poder ir do ponto A ao ponto B, e não para chamar a atenção de ninguém. Chocante, né? É que além de arrumar marido e dar inveja nas recalcadas, a gente também tem que ir ao mercado, ao banco, ao correio… Sem falar que tem mulher que até gosta de caminhar, magina? Enfim, tá aí algo para você refletir. Beijos.

      Responder
  105. Jaque

    O que me deixa com mais medo é ver o que esses homens pensam. Não tem uma mulher que uma vez na vida não tenha ficado com medo enquanto voltava pra casa. Eu, por exemplo, volto todos os dias pra casa andando e sozinha, a quantidade de caronas me assusta, aquele carro ou aquela moto parando do seu lado e vc só pensa em fugir, por puro medo.
    Eles não entendem o medo.

    Responder
  106. André

    Comentários são 8 ou 80. Sim olhar para uma mulher sem desrespeita-la acho que pode sim ser um elogio. Agora não vejo homens saindo com a poupa da bunda aparecendo ou o busto praticamente para fora. E não estamos falando de burca apenas de respeito próprio. Se você não tem com você mesmo/a não espere que os outros tenham. E se um homem olha para minha mãe, tenho até orgulho da minha velhinha ainda conseguir virar alguns pescoços por aí e com certeza ela tb. Pelo menos para isso ela não precisa usar um decote ou qquer outro artifício para fazer tal coisa. Minha esposa a mesma coisa. Sim pessoas viram para olhá-la e sinto profundo orgulho disso até por que o respeito que ela tem por si só hoje já é suficiente para isto.

    Agora o texto se perdeu perdeu quando começaram a misturar cantadas e olhadas com estupro. Como se qualquer homem fosse sair hoje e estrupar uma mulher na rua. Como já comentaram simples generalização. Perdeu toda credibilidade.

    Responder
  107. Exagerado

    Acho que tem um ponto válido mas está extrapolando no final, ao dizer que não podem olhar o corpo de uma mulher ao passar, daqui a pouco vai falar que não se pode olhar uma mulher de biquini na praia e assim por diante. Me desculpe mas isso não tem como se impedir afinal de contas a mulher quando se veste, se veste sim para os outros e não só para ela, até por que auto estima depende da imagem que você tem para os outros não só para si e mulheres também reparam nos homens na rua, talvez mais discretas mas é uma coisa inerente do ser humano.

    Responder
  108. todos temos medo

    Ok, uma coisa eh cantadas serem nojentas e inoportunas, eu sou homem e nunca faço isso pq entendo que quase sempre vai cair errado.
    Outra coisa é se deixar dominar seus dias pelo medo! Acha que homens também não tem motivos para ter medo? Ainda mais no Brasil onde assalto, sequestro e agressões são comuns do cotidiano.
    Meu ponto é, se você passa sua vida de cabeça baixa por causa de medo de homens ou seja la do que for isso é o que vai definir sua vida, te garanto que a chance de algo acontecer com você não diminui em nada, vai sim até aumentar por ver essa figura ja dominada.
    Viva cada dia ao seu pleno potencial, se algo vai acontecer ou não está fora do controle de cada um de nós, mas se você o fizer não vai ter nada pra se arrepender.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, “todos temos medo”. Felizmente, nenhuma de nós deixa de sair na rua por conta desse medo. Infelizmente, ele nos faz evitar certos lugares a certas horas. E, mais infelizmente ainda, nós somos assediadas mesmo assim. Ninguém aqui está abaixando a cabeça. Aliás, reclamar é exatamente o contrário, é resistência. Mas sabe o que está dentro do controle de cada um de nós? A decisão de assediar ou não quem passa por nós na rua.

      Responder
  109. G

    Durante meus 19 anos nunca “cantei” uma mulher, por esses motivos, nunca arranjei namorada e essas coisas por falta de atitude, e isso é bem complexo da parte das mulheres, se chegar no jeito badboy numa mulher que me atrai corro o risco de ser chamado de estuprador.
    Existe uma barra que vai de 0 à 100, e o nivel certo de atitude está entre 50 e 50,1. Se passar é assédio, se não chegar lá é um cara sem atitude.
    Muitos fazem repetidamente esse tipo de coisa por que fez 1 vez com uma vadia qualquer e deu certo, e acha que todas são iguais.
    Prefiro não ter atitude do que ser preso por tentativa de estupro e ser realmente estuprado dentro da cela.
    Vocês são certinhas demais.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, G. Sabe, não é tão difícil assim… Cantada na rua tá muito próxima do 0. E não chame as moças de vadia, é falta de respeito. Assim realmente vai ficar difícil para você encontrar uma parceira. Abraço e boa sorte!

      Responder
  110. Luís

    Olha, não sei como vai ser o futuro. Como o meu filho vai conquistar uma moça desse jeito? Ele chega e diz “Moça, você é muito bonita” e é preso por machismo.
    Tudo é machismo agora? O rapaz é envergonhado, e para falar com uma garota que gosta prefere usar uma frase pronta que algum amigo disse ou que encontrou na internet. Pronto, tem que morrer por causa de seu “machismo”! Oras.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Luís. Sabe como seu filho não vai conquistar uma moça? Mexendo com ela na rua, já que isso não agrada às mulheres. Agora, se você ensiná-lo a respeitar as pessoas, inclusive as mulheres, e a ser um cara legal e gentil com todo mundo, tenha a certeza de que ele vai encontrar amor nessa vida, sendo tímido ou não.

      Responder
  111. Luis

    Só complementando.

    A mulher usa roupa provacante para provocar, mas não tem que haver falta de respeito. Mas que querem chamar a atenção, isso querem. Ou de outra mulher, ou do homem. Claro que isso não dá o direito de sairem passando a mão.

    Babaca existem em vários lugares, mas sem cantada como existe um relacionamento?

    Acho exagero falar que cantada é ridículo. A falta de respeito é ridículo. Simples assim. Não tem que passar a mão, não tem que fazer nada se a mulher não quiser, mas cantada é uma forma de aproximação (lembrando-se que tem que haver respeito).

    Responder
  112. Gilberto

    Ah, claro. Todo homem que elogia alguém é um possível estuprador. Assim como todo homem é forte e toda mulher é frágil. Assim como eu nunca vi um homem ser embebedado por uma mulher e esta, então, se aproveitar dele fisicamente. Nunca. Nunquinha. Todo homem é forte e opressor e todo ato dele visa o possível estupro.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Gilberto. Vamos trabalhar a interpretação de texto? Porque isso aí que você entendeu não tá escrito neste post…

      Responder
  113. rodrigo

    texto preconceituoso. Homens tb podem ser estuprados. Nos presidios está cheio de homens com esse medo. Existem casos na rua, de familiares….

    Responder
  114. rodrigo

    homens entendem sim o medo de várias formas. O que vc não entende é que apesar do seu medo, a maioria esmagadora dos homens não é potencial estuprador. Cada um sabe que não tem essa intenção e por isso dá a cantada. Não acredito que estupradores dêem bandeira e façam tantas cantadas assim. Possivelmente, pousam de bonzinhos quase sempre. Quanto a sua amiga no metrô se afasta imediatamente e fala tá maluco? Chega pra lá!

    Responder
  115. Matheus

    É impossível demonstrar interesse por uma mulher nas ruas, parques ou qualquer local público hoje em dia sem ser acusado de ser safado atirado, estranho e afins, infelizmente a sociedade veio sendo moldada para fazer as mulheres acharem apenas “aceitável” as investidas de caras que pagam bebidas na balada, no sertanejo, que as curtem no tinder e afins. Nossas damas estão totalmente fechadas a interações genuínas que acontecem muitas vezes sem pensar, até meio sem graça, mas com um suspiro de coragem ocorrem pelo simples fato de um cara na rua olhar e pensar: “Como ela é linda”.
    Aposto que muitos dos nossos avós se conheceram assim. Enfim, deem um pouco mais de valor ao valor que lhes é dado.

    Sinceramente,

    Do cara que acha linda e junta forças para te deixar saber.

    Responder
  116. Felipe R

    Gostei do artigo, já tinha lido algo similar acho que em um livro de psicologia.
    Mas como quase tudo em sociedade não é um assunto assim tão simples.
    O post é exagerado de fato, uma cantada não deveria de forma nenhuma resultar em medo, mas este exagero e medo não injustificados.
    Nossa sociedade é sexista e erotizadora, enquanto as mulheres são incentivadas a serem sedutoras e fisicamente atraentes (e a crer que isso possui grande valor), os homens são incentivados a serem o macho alfa, agressivo e dominador.
    E nem adianta vir com papo de que mulher não se veste pra seduzir e sim pra ficar confortável. Primeiro porque não estou falando simplesmente de vestimenta e sim de todo uma cultura de valores, que embora não seja adotada por todos, é sustentada pela imensa maioria.
    Com isso será que eu quero dizer que a mulher é culpada pelos abusos (pois de fato são abusos)? É claro que não!
    A mulher é sim vitima, pois é ela que dentro do contexto cultural é vista como objeto servil e disponível.
    Mas a mulher não é só vitima do comportamento culturalmente construído, ela também é cocriadora e sustentadora de um modelo cultura e de valores que cria homens predadores.
    É claro que não estou dizendo que o resultado é algo inevitável ou natural e por isso aceitável. Até porque não é por um comportamento ser biologicamente impulsionado que seja aceitável ou desejável (biologicamente somos programados para nos reproduzir sempre que temos uma relação sexual, se o mundo não esta hiper povoado é porque somos seres racionais mais inteligentes que nossos genes).
    O fato é que o machismo das cantadas, uma cantada ser um motivo para medo de assedio físico, são sintomas de um problema que vai muito alem do machismo.
    Sim parte muito importante da mudança é que os homens deixem de se comportar de forma animalesca e encarem as mulheres como seres humanos e não como objetos, mas se de fato desejamos omo sociedade que este e outros imensos problemas sejam resolvido devemos todos avaliar que tipo de cultura e de valores cultivamos.
    Algo que acredito valer a pena ressaltar, todo homem é criado por uma mulher. Se hoje eu respeito as mulheres como seres humanos é porque durante toda a minha vida minha mãe e meu pai me ensinaram a respeitar a todos os seres humanos.

    Responder
  117. Um outro homem

    Concordo com quase tudo, exceto com a seguinte frase:

    “Pare de virar o pescoço pra checar a bunda de cada mulher que passar por você.”

    Quer dizer que nem olhar pode mais? É proibido agora?
    Isso já é um exagero!
    Concordo sobre abordagem, assobios e cantadas, agora proibir um homem de olhar uma mulher tá de sacanagem né?

    Responder
  118. Roberta

    Parabéns pelo texto, gostei muito. Por isso que eu fazia Krav Magá, pois é técnica e não força. Vejam o filme “Nunca mais” com a Jennifer Lopez. Ela interpreta o papel de uma mulher que cansada das agressões do marido decide fugir e depois aprende Krav Magá para retribuir na mesma moeda. Muito legal a ideia do troco, mas acho que o mais importante é conseguirmos nos defender de situações como essas.

    Responder
  119. Tiago

    Sempre me incomodou a atitude de alguns homens em “conferir” uma mulher qnd ela passa. E por mais q digam, da pra perceber qnd um homem olha admirado pela beleza da mulher e qnd ele olha só pra ver a bunda ou o peito dela pq achou gostosa. Sempre critiquei e critico amigos q fazem isso, é algo q me incomoda bastante mesmo.
    Queria poder conversar ou olhar pra uma mulher sem q ela tivesse medo de mim. Se não fossem homens assim, isso seria possível.

    Responder
  120. Sergio Diorio

    Eu só acho que a escolha do título foi equivocada, acho que um termo mais adequado seria abordagem. Existem abordagens invasivas como as citadas nos primeiros parágrafos (que infelizmente foram atribuídas apenas aos pedreiros e tiozões de bares), como as abordagens “adequadas” (ai cada mulher tem o direito de achar o que é aceitável ou não). Agora jogar tudo no mesmo saco e dizer que é machismo e estamos pondo em risco a integridade física das mulheres já é sacanagem.
    Afinal de contas, uma cantada vinda de um perfil de homem q tal mulher acha atraente, muitas das vezes é classificada como “atitude”, já o contrário, como abuso.
    P.s. que nojo ao ler alguns cometários de “homens” dizendo que mulher n pode reclamar se usar um decote ou uma saia, e que deveria mudar de religião e se esconder em uma burca…..Lamentável

    Responder
  121. João

    Cintia, parabéns pelo texto!

    O que acontece é que os caras entenderam que você igualou cantada e estupro, que são coisas completamente diferentes, e o que gerou esses comentários retards.

    A cantada existe dos dois lados, e ela sempre vai existir enquanto nos relacionarmos.
    Realmente, se um cara bonitão te cantar com respeito (veja bem, cantar, e não encoxar nem nada disso) você *provavelmente* vai gostar (dependendo do nível da cantada, claro), agora se um cara zuado te cantar, você não vai gostar. Mas isso é óbvio, você gosta do que te interessa. E isso funciona pra homens e pra mulheres.

    O que precisa existir é bom senso por parte dos homens, e respeito sempre.

    Mas agora, sabe porque tá no que tá? Porque existe uma pequena parcela de mulheres que queimam as outras, essas talvez seriam as Panicats da vida, as que aceitam participar de um comercial de cerveja, aquelas que gostam de ouvir músicas com conotação sexual sobre mulheres (Funk, Sertanejo e etc.) e etc.

    Ou seja, essa luta também precisa ser das mulheres para com as mulheres que não se dão ao respeito.

    E como sempre, no final é tudo uma questão de educação!

    OBS.: Me ative no ato de cantar. Estupro é uma palavra que nem deveria existir, então não falarei sobre.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, João. As mulheres que gostam de funk e as panicats não tem nenhuma parcela de culpa nisso. Afinal, como mostram os exemplos de notícias que dei no texto, uma mulher pode estar totalmente coberta que isso não a deixará mais segura desse perigo. O perigo não está na liberdade das mulheres, mas na cabeça de quem acha que as mulheres devem se encaixar em um determinado estereótipo de “decência” para “merecer” respeito. Respeito é algo que nós devemos ter com os outros, não importa o que eles vestem ou que músicas ouvem.

      Responder
  122. Marcio

    Acho certo o protesto da mulher contra o estupro e o assédio, mas tem sim um tom de preconceito e machismo contra nós Homens em alguns comentários. Agora, dizer que se um homem olha para uma mulher quando ela passa é assédio já acho de mais, porque, não quer dizer que se um homem está olhando já está desrespeitando.
    Tem que ver o lado natural do homem, nós homens somos atraidos pelo que vemos, isso é instintivo, por isso aquela olhada quando uma mulher apresenta aqueles atributos que atraem instintivamente o Homem, se não fosse isso os dois não se relacionariam.
    Então, eu acho importante a campanha contra o assédio e o estupro, mas sem esquecer que não são todos os homens que são estupradores e abusados e nem todas as mulheres são oferecidas.

    Responder
    1. Marcio

      Acho certo o protesto da mulher contra o estupro e o assédio, mas tem sim um tom de preconceito e feminismo contra nós Homens em alguns comentários. Agora, dizer que se um homem olha para uma mulher quando ela passa é assédio já acho de mais, porque, não quer dizer que se um homem está olhando já está desrespeitando.
      Tem que ver o lado natural do homem, nós homens somos atraidos pelo que vemos, isso é instintivo, por isso aquela olhada quando uma mulher apresenta aqueles atributos que atraem instintivamente o Homem, se não fosse isso os dois não se relacionariam.
      Então, eu acho importante a campanha contra o assédio e o estupro, mas sem esquecer que não são todos os homens que são estupradores e abusados e nem todas as mulheres são oferecidas.

      Responder
  123. Artur Sousa

    Achei muito interessante a matéria. E justa.
    Como homem eu me pego olhando sim, vez ou outra. Me pego torcendo o pescoço algumas vezes e percebo o quando não natural é isso. Não há desculpa para isso, mas pra ser sincero é algo tão instintivo as vezes. Não digo olhares agressivos que, por si só, já são um ato de violação. Mas as vezes alguns olhares de encantamento, por exemplo, pelos olhos ou sorrisos que acho bonitos não consigo controlar. E isso acontece, também, atributos físicos também.
    Eu tenho mãe, irmãs e já tive esposa e me coloco no lugar e tento mesmo não ser um babaca, já tem demais nesse mundo, eu trato qualquer mulher como gostaria, que as mulheres que são importante pra mim fossem tratadas. Gostaria de questionar, e as vezes sugerir um post ou algo nesse sentido, qual o caminho para aqueles que se importam? Como podemos mobilizar, pequenos grãos de mudanças, a sociedade para se comportar diferente? Sabe? Um post com dicas, como posso manifestar meu interesse por alguém sem ser agressivo, invasivo? Perceba que não estou falando do óbvio (forçar beijo, passar a mão ou coisas do tipo) mas sim das suaves diferenças. Além disso acredito, Cintia, que como mulher – tão eloquente como és – você poderia mobilizar um post educativo (podia ajudar muito os babacas escondidos por trás do anonimato aqui nos comentários) sobre maneiras de tratar um mulher, com respeito à igualdade e seus valores. Enfim… só divagando… 🙂 um abraço e parabéns pelo post, me fez refletir. Vou me esforçar para ser, sempre, diferente. Artur

    Responder
  124. André

    Sou totalmente contra por qualquer ato de violência, no entanto uma cantada inofensiva não deveria ser tão generalizada de forma negativa quanto foi abordada no texto em questão! Se for generalizar inclua as mulheres também! Homens também são assediados e não estão livres de sofrerem atos contra sua vontade, qualquer pessoa com posse de uma arma exercerá o poder contra a outra! Portanto, entenda que somos todos iguais e corremos os mesmos riscos. Confesso que o machismo impedirá ou melhor envergonhará um homem de ser estatística em caso de abuso.

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, André. Se estamos, eu e tantas outras mulheres que aqui comentaram, dizendo que cantada na rua ofende, então ela não “inofensiva”, né…

      Responder
  125. Rafael

    Texto excelente, aponta uma questão importantíssima na sociedade, a falta de respeito e invasão que é uma simples (que de simples não tem coisa alguma) cantada, além é claro de outros exemplos que já beiram (e alguns já são) crimes. Mas se permite uma pequena ressalva, quanto ao título “… homens não entendem…” creio que existe uma generalização nisso que é meio ofensiva, não são todos os homens que precisam saber disso, alguns já sabem. Jamais tive qualquer comportamento desses que o texto se refere, e conheço alguns amigos que também nunca o fizeram, por mais que a maioria esmagadora seja autora deste tipo de coisa, 99,9% ainda não são todos, por que não chamar o texto de “O que A MAIORIA (ou ALGUNS) homens não entendem sobre cantadas”??

    Responder
  126. GDS

    Concordo com o fato de que as “cantadas” são deveras invasivas e que pode chegar a ser um contato físico ou até uma agressão.
    Mas descordo quanto ver uma mulher que me agrada e não poder olhar, seja pra bunda, olho, cabelo ou o que quer que seja. Não chamo mulher de gostosa ou de princesa, mas se vejo uma bonita não deixo de olhar. Da mesma forma que várias mulheres elogiam um homem que lhes agrada, em casos até chamando de gostoso.
    Não podemos misturar admirar algo belo com querer falar, tocar ou invadir… Mas em resumo é um bom texto, levando em consideração a falta de noção de pessoas do sexo masculino e feminino tbm…

    Responder
  127. André

    Olá Cintiacosta, veja que não é correto generalizar. Eu lhe entendo! Porém o texto não trata de um sentimento unânime entre homens e mulheres e sim sobre alguns. Abs!

    Responder
  128. J

    É crime e assédio ou falta de respeito “olhar ou virar o pescoço para uma mulher que passa na rua”?

    Eu acho no mínimo preconceituoso esse comentário.

    Concordo com todo o resto, agora essa parte eu não consideraria nem feminista, apenas “preconceituosa”.

    Responder
  129. jessyca

    Adorei o texto..
    fez total sentido.
    não gosto de cantada, não me sinto bem com elas, não vai ser um bando de marmanjo que vai deixar meu dia feliz..
    E o cara pode ser gato pra caralhooo, que se ele me canta eu perco o interesse na hora, não vale a pena, não me respeita como mulher.. então foda-se.

    E pra mim essas que gostam de cantandas são vagabundas mesmo.

    Responder
  130. Jessica

    Se o Cauã Reymond fizesse realmente isso, eu ia achar ele um completo idiota também!! Abuso, seja de qual espécie for, não tem, nem nunca teve a ver com sexo, nem com beleza, tem a ver com PODER!!! E chega dessa discussãozinha de 5ª série “nhéeeeee se fosse o Cauã sei-lá-que vcs iam gostar, mi mi mi”!! Já deu pra bola!

    Responder
  131. Daniele

    “É preciso ocupar uma perspectiva muito peculiar para receber naturalmente a tese segundo a qual a existência da mulher não é o bastante para manter seu corpo sob seu domínio diante da presença e intervenção de outrem, e que quaisquer manifestações – em fala, em ato, em intenção, em pensamento – podem subtrair da mulher seu próprio corpo, sua unidade, suas margens.”

    http://fuersie.tumblr.com/post/64004317197

    Responder
  132. Sil

    Muitos homens ao cantar uma mulher não estão elogiando, e sim agredindo e intimidando. Uma vez saindo do fórum um homem disse assim pra mim “vem sentar na minha vara vem”, VAI TOMAR NO CU!!!! Primeiramente isso não é elogio, não é cantada, não me senti bonita ou gostosa, tive nojo do cara e medo ao mesmo tempo. E não senti isso porque o cara era feio, velho ou gordo, sentiria nojo se fosse um cara lindo e gostoso. Não somos objetos para sermos tratadas assim, não gostamos disso.E eu não estava de saia curta, short colado e nem decote, eai, a culpa ainda é minha? Quem mandou eu passar na frente dele né?

    É fácil jogar a culpa na mulher. “Mas também, olha o decote dela” FODA-SE! A mulher pode sambar pelada na sua frente, você pode olhar, mas NUNCA pode tocar sem o consentimento dela, ISSO É ESTUPRO!

    Sinceramente, não ligo de ouvir “bom dia” quando passo na rua, NÃO DISSE QUE GOSTO, disse apenas que isso não me incomoda ao ponto de gritar ou xingar, apenas continuo meu caminho, esperando que fique apenas no “bom dia”. Afinal, não posso obrigar ninguém a não falar nada. Mas vocês, homens, também não podem julgar quando nós mulheres passamos reto sem responder, “cuidado pra não tropeçar no orgulho hein”. NÃO SOMOS OBRIGADAS A RESPONDER! NÃO SOMOS OBRIGADAS A DAR TRELA!

    Agora, quem dera se ficasse apenas no “bom dia”, ou no máximo um “oi linda” quando passamos, muitas vezes pelo tom de voz, pelo jeito em que é dito sabemos que não há porque se sentir intimidada, foi apenas um elogio, sendo o cara bonito ou não, então apenas tomem cuidado com o que falam e o jeito que falam.

    Não podemos fazer com que nenhum homem fale nada, mas vocês podem ter consciência do que é ser educado ou invasivo e grosso!

    Responder
  133. junior

    Este testo ‘e uma lastima, digno desta geracao onde as pessoas sabem se comunicar apenas atraves de meios eletronicos. Agora uma aproximacao de um homem tornou-se uma ofensa? Como voce conheceu o seu namorado, sera que ele nao deu uma cantada em voce? voce ficou ofendida por isso? voce nao gosta de ser desejada? Realmente essa visao e bastante pequena e anti social

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Junior. Te garanto uma coisa: não conheci meu marido sendo cantada por ele na rua. Até porque, se ele fizesse isso, minha reação seria a que expliquei tão detalhadamente no meu texto: ficaria com medo, desviaria e ia querer distância dele.

      Responder
  134. Ela

    Primeiramente gostaria de dizer que adorei o texto, disse tudo. Em segundo lugar gostaria de dizer que há mulheres e há mulheres. Assim como muito homem é machista, muito não é. Agora respeito deve haver sempre. Você percebe quando uma mulher é daquele tipo que dá mole pra todo mundo e quer mais é que falem dela, não pelas roupas e mimimi, mas pela atitude, pelo olhar, pela forma como ELA se porta. Agora a maioria das mulheres gostam de ser respeitadas e realmente sentem medo desse tipo de coisa, independente do cara ser bonito ou não. Quando eu recebo algum tipo de comentário na rua, seja de quem for, eu não gosto, me sinto irritada, me sinto oprimida, me sinto um objeto e sempre foi assim. Certa vez, um garoto começou com esses comentários e eu não gostei e sinceramente, ele era LINDO, mas eu não gostei, contudo ele não parou e me seguiu, no momento em que eu fiquei sozinha, por alguns instantes, ele veio pra cima de mim e me agarrou e se não fosse por meu amigo chegar bem na hora e arrancar ele de cima de mim, poderia ter acontecido algo muito pior do que aconteceu e que normalmente é o que acontece e dai você vive cada vez com mais medo, mais aflita, mais oprimida, pois não pense que e isso foi algo que passou ou que eu já esqueci e já está tudo normal, não, não é e sinceramente acho que nunca vai ser… então esse papinho de bonito ou não é puro blá blá blá… e discordar disso é muito fácil, mas se imagine no lugar de uma mulher… imagine outros homens te assediando, ou assediando suas irmãs, filhas, mulheres, imagina o tipo de abuso, não só físico, como psicológico que isso causa.

    Responder
  135. Miquéias Andrade

    Cara Cintia,
    curti bastante o texto, apesar de não concordar com o viés de olhar já ser desrespeito, porém a explicação do fato das mulheres, ou meninas, ou moças, enfim, sentirem medo é tão elucidativo quanto transformador, visto que nunca me fora dito. E creio que a nenhum jovem do sexo masculino este tipo de coisa tenha sido explicado ou comentado. Não é um assunto de família, as novelas não retratam com frequência muito menos fidelidade, além disso nem mesmo é citado nas escolas, seja em qual fase for. Portanto, segue a sugestão de um programa de palestras sobre esse tema nas escolas.
    “Ensina o menino no caminho que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele.”

    Responder
  136. Paulo Silva

    Então, vamos todo mundo mudar aí! Pq eu me cago toda, sou muito medrosa e preciso que vcs sejam diferentes.

    Eu entendo o Protesto contra a invasão de seu espaço físico. Eu entendo um protesto contra grosserias e obscenidades. Mas não entendo um protesto contra o flerte em geral!

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Paulo. Eu também não entendo quem é contra o flerte em geral – certamente eu não sou, e não é isso que diz meu texto. Talvez se você ler de novo, com calma dessa vez, vai ver que trata-se de um protesto contra as cantadas na rua. Abraço!

      Responder
  137. Carlos

    Bom, sendo bem didático, vamos imaginar uma situação: a mulher está com uma roupa super colada e super decotada.

    Se ela estiver no ônibus, na fila do banco, numa clínica, andando na rua: NÃO FALE NADA. Olhe, eu sei q vc vai olhar, eu vou olhar, mulheres vão olhar, mas não fale NADA. Pense, olhe, mas não diga nada, leve em conta o ambiente, se aquele lugar é um lugar onde as pessoas estão abertas à paqueras. É apenas o cotidiano, ela não tá interessada em seu elogio, ela não está esperando suas belas palavras. Se ela for bonita, tiver bunda grande, peito, ela sabe, não precisa ninguém tá lembrando isso. Se for um show, uma boate, uma festa, chat do uol, blz, chegue, se aproxime, converse, caso esteja mesmo interessado, se ela estiver aberta (pode ser q só esteja ali pela música ou pra beber) e for com a sua cara, ela vai te dar atenção. Roupa não quer dizer nada. Aprendam a avaliar o contexto e deixem de ser burros.

    Responder
    1. Carlos

      E faltou um detalhe: olhar, olhar, blz, todo mundo vai olhar. É quase impossível se segurar, qdo ela faz o teu tipo ou tem alguma característica marcante. Mas seja discreto. Não precisa ficar se lambendo, acompanhar com o olhar até perder de vista. É feio. É inconveniente. É impróprio. E incomoda.

      Responder
  138. Thiago

    Gostaria de parabenizar ao blog pelo texto!!! Simplesmente o PIOR texto que li esse ano, até aqui! Título honrado 🙂
    Repleto de generalizações burras, paranóia, preconceito (não vi em nenhum lugar do texto uma reclamação sequer contra o ‘bonitão” que passa uma cantada em uma balada, apenas reclamação contra o “pedreiro” e “tiozão do bar” e depois separando o leitor como “rapazes de bem” ou “de família”.
    Agora comparar alguém que olhe para alguma mulher na rua a um estrupador foi brincadeira de mal gosto, heim.
    Dizer que um homem também não deve olhar sequer para uma mulher foi ridículo. Vai contra a própria natureza animal, a qual animais escolhem suas parceiras (ou seus parceiros).
    Não estou aqui fazendo guerras de sexo, ou algo do tipo. Respeito muito as mulheres (até demais às vezes, e por isso sinto na pele que por mais que voces digam que não, vocês geralmente preferem sim caras mais “safados”), mas não há como ler um texto tão ruim como esse e ficar quieto.
    E nem preciso ser machista ou passar cantadas nas ruas para ver os absurdos contidos nesse texto.
    Lamento mesmo a situação pela qual a escritora passou no ônibus, porém usar isso como um comparativo a qualquer homem como eu que apenas olha e admira uma mulher que eu considere bonita, usar essa comparação é totalmente sem sentido.
    Beijos e obrigado pela pérola

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Thiago! Obrigada pelo comentário :). Você diz que respeita as mulheres “até demais”, mas vou te dar uma dica: não existe respeito demais. Se você está achando que respeitar os outros é um favor que você faz, você está respeitando de menos. Abraço!

      Responder
      1. Thiago

        Não não. Veja só:
        a questão do “respeito demais” que me referi é justamente o oposto do desrespeito abordado no texto. Esperar que as coisas simplesmente aconteçam, sem precisar de fato “chegar” com tudo. E de forma alguma acho que estou fazendo um favor a alguém. Apenas prefiro me aproximar e conhecer as mulheres para depois ver com qual rolou uma afinidade, do que sair “xavecando” qualquer uma. Mas isso é algo pessoal. E como você me deu uma dica, também faço o mesmo: cuidado com generalizações e comparações! E, principalmente: cuidado quando for tratar da distinção entre classes. Será que todo estrupador nrcessariamente é alguém de classes mais baixas?
        Será que toda pessoa que olhe para alguém do sexo oposto na rua é um estrupador em potencial?
        Vou além: será mesmo que a grande maioria dos estupradores são pessoas que fariam brincadeiras e passariam essas cantadas vulgarmente ditas como “de pedreiro” para qualquer uma na rua??
        É difícil fazer tal análise para todos que cometeram algum tipo de estrupo, mas com certeza são perfis diferentes. Agora, claro, pode haver excessões, geralmente provenientes de situações que possivelmente começaram por essas cantadas associadas ao consumo de alguma droga (principalmente o alcool) e que acabou saindo do controle. Mas daí a generalizar todo estrupador como alguém que te passa uma cantada na rua (ou vice-versa) aí é demais.
        Abraços

        Responder
  139. artur

    a unica coisa que tenho contra o que foi dito ai em cima é “Porque estupro é um crime típico do machismo. É uma violência específica contra a mulher.”
    o estupro nao é só contra a mulher
    ja vi sim muitos homens que foram estuprados
    mas isso parece uma mentira certo?
    equando digo estuprado
    nao foram estuprado só por outro homem
    pq todo mundo pensa
    “ah um homem nao pode ser estuprado por outra mulher, se ela for pra cima ele vai gostar logico”
    pelo contrario
    ja li uma materia que mostrava depoimentos de varios homens que foram abusado por mulheres mas nao falavam por ter vergonha e por serem ridicularizados por isso.
    o estupro jamais vai ser um violencia especifica ocntra a mulher

    Responder
  140. Kaiservaix

    Nao vou tomar lados, pois a Perpesctiva mudara quem esta certo e errado, O sentimento de uma Mulher para um Homen e de um Homen para uma Mulher sao por Motivos “opostos” aparentes, vou comecar por algo bem simples; Um homen inconsientemente procura sua Parceira pelo corpo tamanho do Quadril para carregar a sua Herenca Genetica, e suas perfeicoes de acordo com a midia, tornam mulheres belas ou feias, um Exemplo na idade media as “Gordinhas” eram chamadas de belas e perfeitas para os Homens e as magras feias e desnutridas, entao proponho a voces mulheres e homens como iguais oque seria a beleza? http://www.artbarbarians.com/gallery2/images/7/callep_-_and_a_grizzly_claw_necklace.jpg ele era belo no passado e ela era bela no Passado http://thegraphicsfairy.com/wp-content/uploads/2013/09/Victorian-Ladiy-Image-Velvet-GraphicsFairy.jpg, para continuar a Propria beleza e contestada como “Temporal e Sociopolitica”, apos essa Pergunta respondida continuem a ler, o medo presente na Mulher assim como presente ao homen sao uma forma de defesa, como varias aqui falaram “O homen nao se preucupa em ser Estrupado”, mas e um Olhar de um unico ponto eu diria que:”O Homen teme ao Estrupo de si mesmo e daqueles que tem afeto, mas para proteger aqueles que ama nao demostra, mas no fundo todos temos o medo Dormente” e a Mulher nao esconde esse medo protegendo aqueles/Aquelas confrontando a Existencia ou envez de escondela?, para completar vamos finalmente ao titulo cantadas; sejamos Honestos todos voces Homens e Mulheres, Se voce fala ou alvo dessas frases “Linda,Sexy gata,etc” “Coloque uma cantada generica aqui”,Ja pararam para pensar por um Minuto apos receber? nao so como uma Mulher ou um Homen, mas como alguem de fora vendo pelos dois lados?. Sejamos francos com nos Mesmos se ele chega tentando lhe consquistar dessa Maneira,nao passa de um Interese obvio nao concordam,mas param para tentar julgar?;agora para os Homens: A beleza dela o atraiu mas se voce realmente a quiser ter ela ao seu lado; porque nao tenta ser Sensivel e entender a possivel proxima parceira antes de Jogar “Gata quanto e hora.”

    Responder
  141. Vinícius dos Santos

    De fato, as famosas cantadas são uma invasão ao espaço intrapsíquico gerando, naturalmente, insegurança. Adorei o texto, mas vale lembrar que homens também sofrem violações sexuais, sobretudo quando optam por roupas e pelo gênero femininas. Claro que são categorias distintas, cada qual com suas especifidades sendo no caso da mulher o machismo claramente evidenciado. Existem inúmeras outras formas de demostrar interesse por uma mulher sem faltar com respeito: olhada nos olhos, sorriso, palavras de cortesia, etc.

    Responder
  142. Stefano

    O porque de alguns homens não entenderem que o que uma mulher veste, o horário que ela anda na rua ou a profissão dela não dá direito a eles de faltar com respeito ao corpo e integridade delas, nunca fez sentido para mim.

    Quem imagina que o nível social ou beleza justifica esta falta de respeito, usa isto de desculpa para justificar suas próprias falhas que o impedem de conseguir alguém.

    O meu medo é quando tais homens adquirem algum tipo de poder e se acham no direito de agir da maneira tal querem…

    Enfim… que vergonha da sociedade.

    Responder
  143. bruna

    bom dia!!
    Existem aqui mts pontos de vista,alguns com alguma razão e outros totalmente distorcidos.
    Uma coisa que me aconteceu e eu jamais esqueci,mesmo 20 anos depois.
    Minha irmã e eu no ponto de ônibus e vinham dois senhores em nossa direção,como vi que não desviariam de nós,puxei minha irmã pro canto,e ouvi um deles dizer que se fosse um muleque ou um bandidinho a gente teria continuado no mesmo lugar!
    Aquilo me deu um ódio e revolta,mas eu era apenas uma “criança“,tinha 12 ou 13 anos..minha irmã 10..
    Não mt tempo depois a mesma situação,descendo a rua e dessa vez eu estava com minha mãe,parou um carro como que fosse pedir informações,e mais uma ve um senhor com idade de ser meu pai me oferecendo dinheiro pra entrar no carro,,corri pra perto da minha mãe,e quem não tem discernimento,e se fosse um local ermo?
    hoje ja sou uma mulher adulta,e por mais que saia na rua coberta da cabeça aos pés,sempre ouço gracejos ofensivos do tipo.´´Vou te chupar toda´´.´´Que bu….“
    existe é claro meio termo pra tudo,escutar um você é linda não mata,e creio eu não ofende tanto assim,mas me parece que alguns homens já vem perdendo a mão do que é respeito a mt tempo.

    Responder
  144. Ernesto

    Nem sequer olhar??? nem discretamente??? Eu nunca achei certo falar besteira pra desconhecidas,encoxar e etc,mas por exemplo vc está no metrô e entra uma mulher com a calcinha enfiada no útero ,uma calça tão apertada que só pode ter sido costurada no corpo,repartindo a vagina ao extremo e os seios pulando do decote,e o homem não vai olhar? só se for homossexual,e este tipo de mulher quer ser admirada certamente,e mesmo que não queira o que é que tem demais olhar? vcs mulheres são as primeiras que reparam e olham para outras mulheres,não sei se por inveja ou sei lá o que,vejam bem não quero dizer olhar de uma tal maneira que irá trazer constrangimento,mas um olhar que não desperte a atenção daquela da calcinha enfiada,é impossível não olhar para uma linda mulher,nem que seja por 1 segundo,sou contra estupro,assédio,blá blá blá,mas olhar discretamente sem parecer um tarado,um maníaco,qual o problema? Sei perfeitamente que o corpo é de vcs e inclusive acho até que vcs valorizam tanto ele que o levam pra passear com todos os atributos e curvas a amostra, que levam alguns homens a pensar estarem em uma passarela ao ar livre de lábios divididos e mini saias que mais parecem abajur de vagina,realmente não imaginava que incomodava nossos olhares em vcs,da próxima vez que me deparar com uma mulher voluptuosa colocarei as mãos nos olhos até ela passar,para não correr o risco de ser matéria na internet.

    Responder
  145. Miyuki

    Sou mulher e passei por uma mudança nesses últimos anos. Eu não me cuidava devidamente, na verdade, não sentia necessidade de sair arrumada para, por exemplo, ir à padaria ou alguma loja perto de casa, então eu ia do jeito que estava. Usava muito moletom, porque adoro roupas largas, acho confortáveis, então saía assim de casa. Os homens nunca olhavam para mim e não falavam nada para mim e eu não sentia falta, não ligava, não sentia necessidade de ser vista ou notada.
    A partir do momento em que comecei a namorar, naturalmente, passei a me arrumar melhor. Comecei a sair de calças jeans e shorts, e foi aí que os homens começaram a me olhar. Alguns já falaram comigo, mas eu passo reto e ignoro, não me sinto ofendida nem nada. Sinto medo sim, mas, no meio da rua, com um monte de gente, acredito que eles não tentarão fazer nada.
    Eu entendo o lado da mulher de sentir medo, mas acho que pedir para os homens pararem de olhar, além de utópico, é hipócrita. Realmente não há necessidade do homem chegar e falar algo desrespeitoso, mas se você não quer que eles olhem, então não mostre. Ande com calças (não aquelas apertadas que marcam tudo) e camisetas (que não mostrem metade do peito). O fato dos homens olharem é puro instinto. O macho sempre está disposto a achar uma fêmea, para manter a espécie, é natural do homem olhar e reparar nas mulheres. Acho que os homens devem se segurar e tentar não falar coisas desrespeitosas e saber que as mulheres também sentem medo. Mas acho também que, se as mulheres querem discutir sobre esse assunto, é melhor tentarem fazer isso sem hipocrisia. Porque a mulher pode olhar para um homem sarado na rua, porque o homem não poderia?

    Responder
  146. Daniel LC

    Entendo que seu texto aborda principalmente a sensação de ameaça que advém da exposição constante ao assédio repetitivo e até mesmo agressivo de alguns homens e dos altos e bem conhecidos índices de agressão sexual contra o sexo feminino. Esse sentimento de preocupação também me invade quando lembro que minha esposa, mãe, irmãs e amigas também são vítimas dessa realidade. Porém acredito que houve um certo exagero no que tange o ato de olhar, pois em algumas circunstâncias é quase impossível evitá-lo, mesmo porque algumas mulheres, consciente ou inconscientemente, usam roupas que acabam por acentuar seus atributos físicos/sexuais. Mas ainda assim penso que o olhar deveria ser no mínimo gentil, sútil e sem nenhum resquício de agressividade. Mas por favor, mude o título, pois a generalização contra o homem também é ruim, assim como a generalização contra a mulher (falar que todos os homens atuam assim é como falar que todas as mulheres querem provocar intencionalmente o desejo sexual ao usar uma mini saia ou um biquíni cavado). Estou certo de que o seu texto não trata da rivalidade entre homens e mulheres! Ele é mais inteligente do que isso! Abraço!

    Responder
  147. sem nome

    … acho que a questão n é só ser contra a violência que as mulheres sofrem (que são pscicológicas e físicas), convido as feministas a serem simplesmente contra a violência … pois imagina se uma mulher já se sente massacrada por exemplo pelo estrupo … imagina uma criança que n tem o corpo nem o episcopológico formado para o ato sexual … muito menos para o estrupo…. e n falo só de meninas, falo de meninos tbm… ser contra a violência em geral ….é ser humano… é querer o melhor para todos n para um grupo seleto…. em fim todos temos que olhar menos para os nossos umbigos ( falar menos a mulher sofre, pq a mulher isso a mulher aquilo, mas sim proteger quem precisa, respeitar a todos e o mais importante amar n do jeito tolo que a mídia prega , mas amar de verdade pq quem ama respeita, cuida, liberta ou seja quer o melhor para quem ama e sinceramente é o tipo de pessoa que sabe respeitar a todos!).

    Responder
  148. Garga

    Concordo e imagino como seja se sentir assim saindo na rua todos os dias. Mas eu olho quando passa uma mina bonita na rua, olho pro bumbum que é o que mais acho bonito. Mas eu olho justamente por isso, acho lindo. Mulheres e bumbuns. To fazendo errado? :/

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Garga, se por olhar você está dizendo que vira o pescoço, que demonstra fisicamente de maneira desrepeitosa o que você achou do corpo de alguém, sim, você está fazendo errado…

      Responder
  149. Fernando

    Acredito que de fato a abordagem verbal na rua a uma estranha é de fato uma invasão e acredito que seja intimidador e assustador para as mulheres, quanto a olhar acredito que haja um limite, flertar olhando nos olhos e aguardar sinais que indiquem uma reciprocidade, como um sorriso, para entao cogitar um aproximamento, é natural e não vejo desrespeito nisso, agora fitar seios e bundas torna nítido um quadro de desrespeito e de desejo sexual, a beleza de cada um independente de como for, de saia, decote, ropas curtas, ou toda coberta pode ser um fator determinante para que cada pessoa encontre admiradores, o que muitos homens não entendem é que o desrespeito invasivo das cantadas na rua, nunca fara com que as admiradas os adimirem, pelo contrario terao não só medo mas tbm nojo, independente da beleza do homem. Todos gostam de ser respeitados e espero que a maioria não permita ser humilhada por alguem só por ser bonito. Em fim, olhar, se sentir atraido é natural mas se querem uma chance de pelo menos não passar vergonha, mantanham o respeito e procure caminhos dignos de conquistar a admiração da admirada!

    Responder
  150. Fernando

    Gostaria de acrescentar que as mulheres tem todo o direito de não aceitar esse tipo de comportamento, mas não tenham raiva dos homens em geral pois estariam concordando com aqueles que dizem que isso é um instindo natural, sintam raiva e muita, mas apenas daqueles que os ofenderam, afinal eu me considero um homem decente, que apesar de repara na baleza de forma moderada e repeitosa, dentro dos limites como citei acima, vejo que as vezes as mulheres com toda a razão decidem bater de frente a essas coisas mas algumas com toda a sua raiva descontam em qq um por tanto, gostaria de dizer que assim como eu existem outros que estão do lado de vcs diante dessa questão! A luta é valida mas cuidado para não sair atirando para todos os lados

    Responder
  151. Fernando

    Para que entendam o que eu quis dizer com limites , por mais que os olhos sejam seus e o teu corpo tbm , algumas vezes só falta ficar olhando com o pau duro levantando a calça, nunca saberei a sensação mas imagino que para mulher isso seja ameaçador, seria como ver alguem segurando uma arma, será que ele vai me assaltar, será que ela vai me estuprar talvez seja meio por ai, por mais que ele não va, a mulher deve andar como quiser e se sentir segura o um direito indispensável, flerte tem tudo a ver com classe e respeito e essa é a maneira correta de se fazer ! Fica a dica

    Responder
  152. NoName

    rsrs… Eu consigo entender o medo das mulheres de serem estupradas e ou sofrerem assédio… mas a forma como tratam um elogio por exemplo ou uma cantada… é oq vai tornar os homens cada vez mais parados… a falta de atitude masculina que já foi fruto de vários protestos femininos vai voltar a moda… A não ser que seja um homem bonito… daí ele pode elogiar e fazer cantadas… não eh um pensamento machista defender a atitude de poder elogiar ou fazer uma cantada para uma mulher… acredito que o problema nunca foi de fato o homem provar a mulher quem eh o objeto… ou quem manda… se eu fosse apontar a possível causa de tudo isso eu diria que o problema surgiu quando uma mãe não soube educar devidamente seu filho…

    Responder
  153. Pingback: “Oi, princesa” o meu cu | Cintices

  154. Pingback: O machismo nosso de cada dia | Cintices

  155. Pingback: Dicas de presentes para o Dia das Mulheres | Cintices

  156. jader

    Essa regra só vale para homens feios e pobres sem valor social, se existe algo repugnante para uma mulher é receber cantada de homens pobres, feios e sem valor social a verdade seja dita, se for bonito, rico e com valor social ai a história é outra né???

    Responder
    1. cintiacosta Autor do post

      Oi, Jader. Não, essa regra vale para todos. Cantada na rua é assédio, não importa a classe social do assediador. Em vez de ficar questionando os critérios das mulheres ofendidas, questione a atitude de quem insiste em assediar na rua, seja você ou seus amigos.

      Responder
  157. Pingback: Fora Temer, com medo mesmo | Cintices

  158. Vagner Jeger

    Pergunta: será que quando a princesa Diana andava na rua os homens olhavam pra ela e diziam, uhhhh, iisss, fiu fiu, ô isso lá em casa? Provavelmente não em seu ambiente natural. E se ela tomasse um trem para periferia lotado? Aí a coisa já muda de figura não?

    Uma mulher “recatada e do lar” talvez consiga passar desapercebida numa universidade assim como uma prostituta mascando um chiclete com uma bolsinha no ombro consiga passar desapercebida num trem lotado com destino a periferia. Por outro lado, a recatada no trem lotado ou a prostituta na universidade talvez não consigam a façanha de passar desapercebidas.

    Cada caso é um caso. Não há como encontrar uma única explicação. É um somatório de coisas. Pode ser a roupa da mulher, pode ser um sorriso, pode ser uma mexida despretenciosa no cabelo, pode ser sua felicidade que instiguem o assediador. Todos sabem o poder da linguagem corporal e muitas vezes esses sinais são emitidos inconscientemente. Pode não ser nada disso. Pode ser o machismo. Pode ser a loucura de um tarado/depravado excitado no meio da rua. Por isso as respostas fáceis não funcionam. Por que não há uma única resposta.

    A verdade é que todos nós sofremos influências uns dos outros que com certeza dependem do contexto para serem externalizadas. Se vc for abordada numa boate é uma coisa, no meio da rua é outra. Se você for abordada por alguem com uma beleza e uma condição social e educacional compatível com a sua talvez seja normal. De outra forma talvez você estranhe.

    Todos tem sua parcela de culpa. Querer culpar única e exclusivamente o comportamento dos homens com certeza é igualmente simplista. O comportamento dos homens são influenciados pelo das mulheres assim como o oposto também acontece. Todos influenciam todos.

    O debate deve continuar.

    Responder
    1. Cíntia Costa Autor do post

      Eis aqui mais um homem querendo nos dizer que tipo de mulher “merece” respeito (Lady Di) e que tipo “merece” ser assediada (aparentemente, qualquer uma que não seja uma princesa branca, loira, magra, rica com guarda-roupa todo trabalhado em Chanel e Dior. Nada de novo sob o sol…

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *